Meio Bit » Fotografia » Jardins Botânicos vão cobrar por sessão fotográfica

Jardins Botânicos vão cobrar por sessão fotográfica

Jardins Botânicos estão instituindo cobranças para ensaios fotográficos profissionais. Veja o que acho disso.

5 anos atrás

jardim_botanico_são_paulo

E o mimimi está solto entre os fotógrafos tanto nas redes sociais quanto em fóruns. No dia 22 de setembro uma notícia n'O Globo afirmou que o Jardim Botânico do Rio de Janeiro vai passar a cobrar pelas sessões fotográficas profissionais feitas em suas dependências. Da mesma forma, o Queiroz Fotografia colocou a imagem abaixo na sua página do Facebook de um cartaz que se encontra no Jardim Botânico de São Paulo.

jardim_botânico_fotografia

Todo mundo está esbravejando, xingando, esgoelando e estressando nas redes sociais, é claro. A história de proibição e cobranças para fotografar em parques, praças ou jardins não é uma coisa nova. Toda semana temos um caso de fotógrafos que foram impedidos de fotografar por seguranças ou funcionários dos locais. Para se ter uma ideia, o Jardim Botânico de São Paulo tem uma tabela bem salgadinha para poder utilizar o local para fotografias. Existem horários específicos com preços específicos. Por exemplo, utilizar o Jardim Botânico de segunda e terça-feira, das 9:00 as 17 h, com um grupo de até 9 pessoas (entre modelos e equipe de produção) custa R$ 612,00 por hora. Isso mesmo, por hora.

Você pode achar errado, por ser um local mantido com o dinheiro do poder público, mas existe base legal para essa cobrança, e também estamos lidando com a falta de noção das pessoas (fotógrafos). A Lei de Direitos Autorais diz que você pode fotografar, sem necessidade de autorização, construções e obras de arte que se encontram em logradouros públicos. Só que praças e parques não são considerados logradouros públicos. Ou seja: é necessário uma autorização para fotografar. O segundo ponto é que essa autorização, e consequente pagamento de taxas, é necessária apenas para produções comerciais. Você que vai com seus filhos para passear no local não vai sofrer restrições. E, por último, temos a legião de fotógrafos que pensam que esses locais são seus estúdios particulares e chegam a maltratar os visitantes normais que estão atrapalhando suas fotos (existem relatos disso).

Deixando de lado todo o mimimi de a culpa é do PT (vi isso em um grupo do Facebook), “nossos políticos são desonestos” e “o Brasil é um país de ladrões”, eu não acho justo você utilizar um bem público, mantido por todos, para ganhar dinheiro e não pagar nada pela manutenção extra do local. Sei que os tempos estão difíceis para prestadores de serviço (estou sentindo isso na pele), e utilizar parques e praças para ensaios fotográficos é mais barato (e possui um resultado visual mais agradável) do que manter um estúdio. Mas, tem dias que os usuários normais do local ficam tropeçando em fotógrafos que querem suas imagens livres dos visitantes (isso acontece aqui na cidade em um local histórico bem bonito).

Cobrar é a maneira mais fácil de disciplinar a atividade. Talvez o preço esteja abusivo, talvez uma conversa entre a administração do local e os fotógrafos (se bem que fotógrafos não possuem organização) possa resolver o problema, talvez uma cobrança diferenciada para tipos de ensaios, ou talvez os Jardins Botânicos só queiram se livrar dessa galera.

Leia mais sobre: .

relacionados


Comentários