Meio Bit » Games » American Truck Simulator — Review

American Truck Simulator — Review

Mesmo ainda parecendo um tanto cru, o American Truck Simulator possui conteúdo para nos entreter por um bom tempo e principalmente, um enorme potencial a ser explorado.

6 anos atrás

american-truck-simulator-3

Preciso confessar que a primeira vez que ouvi falar no Euro Truck Simulator 2 fiquei pensando no que poderia existir de divertido num jogo assim. Ficar levando cargas de um lugar para o outro parecia algo extremamente entediante, até que num certo dia resolvi arriscar e bastou apenas alguns minutos para me ver completamente preso na fantástica criação da SCS Software.

Para ser sincero, ainda hoje não sei dizer ao certo o que me fascina naquele jogo, mas a verdade é que explorar o velho continente enquanto respeito as leis de trânsito e tento cumprir os prazos mostrou-se algo extremamente viciante. Porém, sempre me perguntei como seria algo assim nos Estados Unidos, país que tenho a sensação de conhecer como a palma da minha mão graças ao muitos road movies que já assisti e quando o American Truck Simulator foi anunciado, parecia que um sonho estava prestes a ser realizado e depois de algumas (poucas) horas no simulador posso dizer que isso aconteceu… em partes.

Logo de cara é possível perceber que o estúdio tcheco preferiu tentar manter as características da série, com vários aspectos do novo jogo — como menus, interface, controles e até mesmo a trilha sonora — sendo muito parecidos com os do anterior, isso quando não são idênticos. O problema é que se por um lado isso ajuda os antigos jogadores a se encontrarem, por outro passa a sensação de que os desenvolvedores lançaram nada mais do que uma simples expansão.

american-truck-simulator-2

Outro fator que ajuda a reforçar essa impressão está na aparente falta de conteúdo, afinal por enquanto contamos com apenas dois dos 50 estados americanos (Califórnia e Nevada) além de somente dois modelos de caminhões (o Kentworth T 680 e o Peterbilt 579). Quanto a esses dois pontos, o pessoal da SCS já disse que eles estão em processo de licenciamento e que por isso em breve novos caminhões serão adicionados gratuitamente, assim como o estado do Arizona, mas que outras regiões provavelmente só mediante o pagamento de uma taxa.

O que poderá complicar nesse modelo de negócios é que por se tratar de um país gigantesco, desconfio que mesmo com a intenção da desenvolvedora de um dia chegar a costa leste, acho pouco provável que eles consigam fazer isso e se o meu temor se confirmar, infelizmente teremos um excelente simulador que deixará o gosto amargo de não ter sido terminado.

No entanto, há de se dizer que embora por enquanto só temos acesso a uma região tão restrita, explorar o mapa disponível levará bastante tempo, dada a longa distância entre as cidades e a variedade de cenários. Aliás, a atenção aos detalhes é o que me faz acreditar que o trabalho feito pela SCS está longe de poder ser considerado algo preguiçoso, já que a todo momento é possível ver como o ATS tenta melhorar o que tínhamos visto no seu antecessor.

Desde as cidades com um nível muito maior de detalhes e parecendo muito mais vivas, até a vastidão do deserto, foram várias as vezes que me encantei com o cuidado dos artistas, como por exemplo a primeira vez que vi as luzes de Las Vegas ao longe enquanto me aproximava durante a noite ou mesmo os meteoros rasgando os escuros céus de Nevada. Aviões sobrevoando as plantações de uva em Napa Valley? Sim, eles estão lá! E os pássaros e balões sobre as areias do Oceano Pacífico? Sim, também foram lembrados, mas de tudo o que mais me satisfez foi a possibilidade de percorrer a famosa Pacific Coast Highway, uma das estradas mais bonitas do mundo.

american-truck-simulator

Quanto as novidades do American Truck Simulator, uma das que considero mais legais é a presença de carros de polícia pelas ruas, o que faz com que nunca saibamos quando estamos sendo vigiados, mas lamento a inteligência artificial não ter sido sensivelmente aperfeiçoada e assim nunca vemos os outros veículos se envolvendo em acidentes ou cometendo erros que poderiam ser perigosos para o jogador. Também gostei do novo sistema de estacionamento, que nos permite escolher entre três níveis de dificuldade e com recompensas de acordo. Mas no geral é mais do mesmo e na verdade não acho isso ruim.

Ou seja, assim como no Euro Truck Simulator 2 o ATS basicamente se resume a iniciarmos nossa carreira como um motorista freelancer que prestará serviço até conseguir dinheiro para comprar seu próprio caminhão e a partir daí poderemos montar um verdadeiro império, uma carga por vez, chegando a termos garagens espalhadas pelo mapa e com outros profissionais dirigindo os veículos que adquirirmos. Porém, para isso precisaremos nos preocupar com o combustível, com a manutenção do caminhão, com a escolha de qual serviço aceitar e até mesmo em descansar entre uma viagem e outra. Acredite, tudo isso é muito mais legal e viciante do que parece.

Enfim, caso você seja o tipo de jogador que prefere colocar as mãos em um produto mais completo, talvez este não seja o melhor momento para adquirir o American Truck Simulator, pois é evidente que a SCS Software terá um longo e árduo caminho pela frente, mas o estúdio já mostrou com o ETS2 que é capaz de dar conta do recado. Ainda assim, fique tranquilo pois o que foi entregue com o o jogo até aqui conseguirá te entreter por um bom tempo e no fim das contas acho que será divertido acompanhar seu desenvolvimento com o passar do tempo.

Vida de Gamer — American Truck Simulator | Gameplay

relacionados


Comentários