Meio Bit » Fotografia » Ektra, a segunda tentativa da Kodak no mercado de smartphones

Ektra, a segunda tentativa da Kodak no mercado de smartphones

Kodak tenta de novo: o Ektra, seu segundo smartphone Android possui conjunto de câmeras de ponta e controles manuais para imagens de qualidade.

4 anos atrás

kodak-ektra-001

Há cerca de dois anos atrás a Kodak revelou seus planos para entrar em um novo mercado, o de telefonia móvel. A ideia da companhia centenária era de introduzir smartphones em parceria com a britânica Bullitt Group, se focando em obviamente performance de câmera a fim de conquistar os amantes de fotografia, os que desejam capturar imagens com extrema qualidade e facilidade.

No entanto o Instamatic 5 não foi lá essas coisas, a bem da verdade ele é um produto nada digo de carregar o nome da outrora famosa linha de câmeras point-and-shoot mecânicas. Agora estão tentando de novo com o Ektra, um gadget que resgata outra linha famosa de câmeras e que em comparação ao IM5 é sensivelmente melhor como um todo, mas não muito.

A Kodak desta vez foi esperta, preferindo jogar com o fator nostalgia: o visual do Ektra faz referência à outrora linha de câmeras lançada nos anos 1940, mas que se tornou extremamente popular na década de 1980 com as Ektra 200 e 300, câmeras extremamente compactas e portáteis. O smartphone possui um design que remete a esses dois modelos em especial e conta com um disparador dedicado, o que é o mínimo necessário para entregar uma experiência fotográfica à moda antiga.

A Kodak e a Bullitt (que fabricou o Ektra, a primeira novamente só emprestou o nome) desta vez se preocuparam em destacar o que dela se espera: não só as configurações das câmeras são o foco principal da campanha de marketing (no IM5 eram quase que um detalhe, o que é inexplicável), como desta vez as specs são bem decentes: o conjunto principal é equipado com um sensor IMX230 da Sony de 21 megapixels, abertura f/2,0, HDR, estabilização óptica de imagem em seis eixos e capacidade de filmar em 4K a 30 fps. A câmera selfie conta com 13 MP e abertura f/2,2; ambas possuem autofoco de detecção de fase.

Como era de se esperar, o Ektra conta com um software de câmera dedicado que permite controle fino preciso: ISO, ajuste de branco, controle de exposição, alcance focal, abertura de lente e velocidade do disparados, tudo pode ser configurado com precisão. Não obstante o smartphone vem com o app Print pré-instalado em que você pode enviar suas fotos à Kodak, que se encarregará de imprimi-las; bom para quem prefere preservar suas fotos fisicamente.

O erro da Kodak, no entanto é promover o smartphone como um produto para fotógrafos. Embora o Lumia 1020 e aparelhos posteriores tenham provado que um gadget hoje pode capturar imagens com extrema qualidade, qualquer profissional que se preze jamais vai abandonar sua DSLR. No entanto, o conjunto do Ektra é bom o bastante para coloca-lo lado a lado de smartphones com câmeras mais potentes e customizáveis. Ele pode não ser um dispositivo profissional, mas ainda seria um gadget interessante para muita gente.

Ah sim, já ia esquecendo das demais entranhas: o Ektra conta com um Helio X-20, SoC deca-core da MediaTek com dois núcleos Cortex-A72 de alta performance, oito Cortex-A53, clock de até 2,3 GHz e GPU Mali-T880, 3 GB de RAM, display de 5" com resolução Full HD (441 ppi), 32 GB de armazenamento expansível via Micro-SD, bateria de 3.000 mAh, porta USB-C e Android 6.0 Marshmallow, desta vez quase puro. Suas medidas são de 147,8 x 73,35 x 9,69 mm, bem compacto.

A Kodak irá distribuir o Ektra inicialmente na Europa pelo preço sugerido de US$ 550. Caso a receptividade seja boa a empresa pretende lança-lo em mais mercados a partir do 1º trimestre de 2017. Dificilmente ele chegará por aqui, mas seria um produto bem interessante caso não fosse muito caro.

Fonte: PetaPixel.

relacionados


Comentários