Meio Bit » Games » Muito popular no Japão, Monster Strike é cancelado no ocidente

Muito popular no Japão, Monster Strike é cancelado no ocidente

Após conquistar um imenso público no Japão e render mais de US$ 1,3 bilhão aos seus criadores apenas com microtransações, o Monster Strike ganhou uma data para ver sua versão ocidental ser encerrada.

4 anos atrás

É bastante comum ouvirmos falar que o mercado japonês é bem diferente do que temos nos Estados Unidos e Europa, mas será que isso é mesmo verdade? Pois o Monster Strike serve como um belo exemplo de que aquilo que faz sucesso lá, não necessariamente fará por aqui, ou vice-versa.

Lançado pela Mixi na Terra do Sol Nascente em 2013, o título foi idealizado por Yoshiki Okamoto, um ex-funcionário da Capcom que havia trabalhado em títulos como Street Fighter II e Resident Evil, e que resolveu apostar na criação de um game free-to-play para smartphones.

Tendo alcançado mais de 14 milhões de downloads no primeiro ano, a empresa de pesquisa de mercado SuperData revelou que só em 2016 ele teria rendido US$ 1,3 bilhão, o que o colocaria a frente até mesmo de gigantes como Clash of Clans e Clash Royale.

Diante de tamanho sucesso, era natural que o título viesse para este lado do mundo, então coube à Xflag a tarefa de distribuir o Monster Strike no ocidente. Porém, pouco mais de dois anos depois da localização, a editora anunciou que a versão em inglês do título já possui uma data para morrer: 1º de agosto de 2017. Além disso, já a partir de 2 de julho o game será removido da Apps Store e do Google Play, quando as vendas in-game também serão desabitadas.

Após funcionar por vários anos, é doloroso para nós dizer isso, mas a versão em inglês do Monster Strike será encerrada” diz o comunicado. “É difícil chegar a essa decisão, mas apesar dos nossos esforços para manter a versão em inglês funcionando, ela não foi o sucesso que esperássemos que fosse. Sustentar o jogo num nível satisfatório se tonou difícil, não importando o quanto quiséssemos mantê-lo funcionando.

Talvez isso tenha acontecido por eu não gostar muito de jogos para dispositivos mobile, talvez a culpa seja da própria editora, que falhou em fazer um bom trabalho de divulgação, mas a verdade é que preciso admitir que nem conhecia o Monster Strike.

De qualquer forma, é impressionante ver que um título tão lucrativo no Japão foi incapaz de conseguir o mínimo necessário para se manter por aqui e acho que isso explica porque muitas vezes só podemos lamentar o fato de alguns títulos japoneses nunca saírem de lá.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários