Meio Bit » Cultura » Rumor — Amazon estaria desenvolvendo um novo serviço para rivalizar com o YouTube

Rumor — Amazon estaria desenvolvendo um novo serviço para rivalizar com o YouTube

Jeff Bezos indo para a guerra? Amazon registra domínio “AmazonTube” (ela já possuía o chamado “OpenTube”), o que pode indicar o lançamento de uma plataforma rival do YouTube.

2 anos e meio atrás

O Google e a Amazon vêm se estranhando e não é de hoje, desde que Jeff Bezos deixou de vender o Chromecast em sua lojinha (e a Apple TV também) de modo a promover seus próprios set-top boxes. Hoje eles estão de volta, o Amazon Prime Video chegou à Apple TV e em breve poderá se tornar compatível com o dongle do Google, mas no geral esta e a Amazon não são um exemplo de BBFs.

A última treta envolvendo as duas companhias diz respeito ao YouTube, especificamente o fato de que o acesso à API da plataforma de vídeos pelo Amazon Echo Show e pelo Fire TV Stick foi barrado; a justificativa foi de que ambos não exibiam as propagandas da maneira correta e de modo a não ficar sem o produto em seus dispositivos, a Amazon explorou um hack que lhe permitiu fazer uso da versão móvel do YouTube de maneira totalmente ilegal. Resultado, a porteira será fechada totalmente em 2018.

Só que agora Bezos prepara um contra-ataque: segundo dados disponibilizados pelo Escritório de Patentes e Marcas dos Estados Unidos (USPTO) a Amazon registrou dois possíveis nomes bastante sugestivos para um futuro produto de nome "AmazonTube", lembrando que a empresa já possui outro chamado "OpenTube". Eles vai de encontro a dois domínios recém-adquiridos pela empresa, o AlexaOpenTube.com e o AmazonAlexaTube.com.

A descrição na patente fala de novos serviços de distribuição de áudio e vídeo colaborativo, que não tem nada a ver com o Amazon Prime Video (que é um serviço de streaming tal qual a Netflix) e que funcionaria de forma similar ao YouTube, "possibilitando que usuários compartilhem conteúdo, fotos, vídeos, textos, dados, imagens e outras obras eletrônicas". A patente também descreve a disponibilização de "obras de áudio, vídeo e audiovisual pré-gravadas não-baixáveis via redes sem fio", dando a entender que o novo serviço seria voltado para consumo móvel. Diferente do Twitch, que é primariamente um serviço de transmissão voltado para gamers (consoles e computadores apenas, ele nunca liberou o streaming de games para smartphones e tablets) esse é totalmente pensado no usuário comum.

A pergunta a ser feita é: a Amazon vai ter força para a essa altura do campeonato bater de frente com o YouTube? Pois bem, todo mundo reclama que o serviço do Google se tornou um Paradoxo Tostines, todo mundo está nele porque ele é o mais acessado e é o mais acessado porque todo mundo está nele e por isso ele abusa de seu poder, então faz falta a existência de um concorrente de peso que ofereça ferramentas sólidas, condições agradáveis e justas para os criadores e uma experiência de uso agradável para os usuários. E se tem alguém capaz disso é Jeff Bezos, que tem dinheiro até para investir em foguetes.

É preciso lembrar que já existem concorrentes, Vimeo e Dailymotion até contam com recursos interessantes (o primeiro por exemplo é o preferido por profissionais de foto e vídeo, já que o YouTube costuma derrubar a fidelidade das cores), mas lhes falta suporte e massa crítica. O primeiro a Amazon tem, e o segundo ela pode muito bem conseguir atrelando o novo produto aos seus serviços já existentes e consolidados.

Claro, tudo pode não passar de uma simples proteção de marca mas dado o timing, é bem possível que Jeff Bezos esteja mesmo pensando em iniciar uma guerra contra o YouTube, o que pode vir aser bom para usuários e criadores de conteúdo.

Fontes: TV Answer Man e Engadget.

relacionados


Comentários