Meio Bit » Ciência » NASA quer transformar seus foguetes em outdoors espaciais

NASA quer transformar seus foguetes em outdoors espaciais

Ainda não está decidido, mas o administrador da NASA esta planejando vender naming rights dos seus foguetes, além de liberar propaganda nos próprios.

3 anos atrás

Em breve os foguetes da NASA terão patrocínios com direito a venda de naming rights dos próprios e propagandas impressas nas laterais, ficando mais parecidos com carros de corrida da NASCAR ou da Fórmula 1, isso se os planos do administrador da agência Jim Bridenstein, derem certo.

De acordo com o The Washington Post, estas foram as suas palavras: "Seria possível para a NASA terceirizar alguns dos seus custos vendendo os naming rights da sua nave, ou dos seus foguetes? Eu digo a vocês que existe interesse nisso agora mesmo. A questão é: Isso é possível? A resposta é: Eu não sei, mas queria ter alguém para nos dar conselhos se é ou não é."

NASA quer vender naming rights e propaganda nas laterais de seus foguetes

Outra preocupação de Bridenstein é tornar os astronautas mais acessíveis aos jornalistas e a oportunidades de marketing para grandes empresas, popularizando a sua imagem pessoal, para quem eles possam influenciar as crianças americanas, como acontece com atletas famosos. "Quero ver as crianças crescendo ao invés de quererem ser uma estrela profissional de esportes, gostaria de vê-las crescendo querendo ser um astronauta da NASA, ou um cientista da NASA. Quero ver, talvez um dia, os astronautas da NASA em caixas de cereais, misturados com a cultura americana."

Hoje em dia, os astronautas já são bem acessíveis a todos através do Twitter, mas o ponto mais importante para ele é a mesmo a questão da abertura comercial e das receitas que podem ser obtidas através da exploração da imagem deles. Nunca imaginei que veria astronautas vendendo produtos em órbita, mas essa é uma realidade que pode estar bem próxima.

Também existe a proposta de privatizar os investimentos da Estação Espacial Internacional, algo que tem sido criticado pelo Congresso dos Estados Unidos com bastante veemência, pois na prática, a NASA estaria abrindo mão para a iniciativa privada de algo que custou cerca de US$ 100 bilhões aos contribuintes americanos.

O administrador da agência espacial dos Estados Unidos foi indicado por pelo presidente Donald Trump e assumiu o cargo em abril do ano passado, sob críticas de democratas e republicanos. Se os planos de Bridenstein forem para frente, é possível que a gente tenha algumas coisas bem bizarras pela frente, mas eles já estão enfrentando críticas de vários lados.

Quem está comprando essa briga são ex-astronautas, que estão se manifestando contra a ideia da NASA se associar com alguma marca, produto ou serviço. Um deles é Scott Kelly, que declarou ao Post que a ideia de vender naming rights de foguetes seria "uma mudança dramática das regras que proíbem oficiais do governo de usar seu cargo público para ganho privado. Mas acho que esse é o mundo que vivemos hoje."

Prestes a completar 60 anos, a NASA segue tentando se reinventar e se tornar mais cool para o público, e Bridenstein está colocando suas cartas na mesa, mostrando que não quer mais depender do congresso para bancar todos os custos da agência, algo que pode ser um caminho sem volta, mas que pode garantir o suficiente para pagar a carona do Elon Musk a partir do ano que vem. Resta saber se o administrador terá força política para aprovar esta polêmica proposta.

Leia também aqui no MB o ótimo post do Cardoso sobre a nova Força Espacial de Trump e este meu outro post sobre os 18 anos de imagens diárias de satélites que a NASA liberou no Worldview.

relacionados


Comentários