Meio Bit » Software » Como previsto, Windows 10 falha em atingir marca de um bilhão de dispositivos em três anos

Como previsto, Windows 10 falha em atingir marca de um bilhão de dispositivos em três anos

Segundo a Microsoft, o Windows 10 roda atualmente em 700 milhões de dispositivos; no entanto, marca está bem longe do um bilhão de ativações, número projetado para o período no lançamento do sistema operacional.

2 anos atrás

Durante a conferência Ignite 2018 que está sendo realizada nesta semana em Orlando, na Flórida, a Microsoft revelou que o Windows 10 atingiu a marca de 700 milhões de dispositivos ativos, entre desktops, notebooks, dispositivos móveis, linha Surface, IoT, headsets HoloLens e de terceiros e linha Xbox One.

Embora sejam números impressionantes, a companhia não cumpriu a promessa original de um bilhão de ativações no período, como já havia previsto.

Quando o sistema operacional foi introduzido em julho de 2015, o vice-presidente de Software da Microsoft Terry Myerson afirmou que o Windows 10 atingiria o patamar originalmente projetado em dois ou três anos, motivado pelo excelente desempenho no primeiro mês com 75 milhões de ativações. Em um ano, o SO chegou a 350 milhões de aparelhos, mas já estava claro que a meta não seria alcançada dentro do período.

Os motivos foram vários. Primeiro, a estratégia desastrada da Microsoft em forçar a atualização desagradou usuários do Windows 7, 8 e 8.1, especialmente clientes corporativos que têm razões fortes para não aderirem a um update de larga escala logo de cara. Segundo, a pataquada com o setor mobile, em que a empresa não deu uma dentro e outra vez atualizou poucos dispositivos do Windows Phone 8.1 para o Windows 10 Mobile (estratégia essa que a Microsoft já havia adotado antes, e mais de uma vez); no fim, a pouca adesão por parte dos desenvolvedores e as baixas vendas levaram Redmond a jogar a toalha de vez.

Com a morte do Windows 10 Mobile, a meta da Microsoft para alcançar o bilhão de dispositivos em três anos foi para a cucuia, mas 700 milhões não é um número totalmente desprezível: o Windows 10 é o sistema operacional com a taxa de adoção mais rápida da companhia; para se ter uma ideia, a plataforma registrou 100 milhões de novos dispositivos nos últimos dez meses, mostrando que alguma coisa certa a empresa fez nesse período.

O próximo desafio da Microsoft é superar a participação do Windows 7: segundo a NetMarketShare, o sistema lançado em 2009 responde hoje por 48,14% de todos os desktops e laptops rodando uma versão do SO da Microsoft, contra 38,38% do Windows 10.

Com informações: Neowin.

relacionados


Comentários