Meio Bit » Internet » Plataforma educacional de Steve Wozniak é basicamente um scam, segundo denúncias

Plataforma educacional de Steve Wozniak é basicamente um scam, segundo denúncias

Profissionais pagam US$ 13,2 mil e recebem curso com material ruim e profissionais pouco capacitados, quando disponíveis; Wozniak diz que "só cedeu o nome" para terceiros tocarem o Woz U.

2 anos atrás

Em 2017 o guru Steve Wozniak apresentou o Woz U, uma plataforma voltada para capacitação tecnológica de médio e longo prazo e principalmente, para oferecer ensino na área a todos de forma acessível. O co-fundador da Apple sempre esteve envolvido com projetos do tipo nas últimas duas décadas, e este tinha tudo para ser sua iniciativa mais ambiciosa e relevante.

No entanto, denúncias feitas por alunos que passaram pelo curso e ex-colaboradores revelam que o Woz U apresenta uma grande quantidade de problemas, e que a empresa responsável por vender o programa está mais preocupada em fazer dinheiro do que oferecer conteúdo minimamente decente.

Quando Woz revelou o programa, ele disse que o Woz U foi planejado como um portal voltado principalmente para jovens e graduandos do setor de Tecnologia da Informação, de modo a oferecer treinamento especializado aos estudantes que desejam entrar no mercado. Assim, num primeiro momento ele é mais restrito e pago, indicado para quem já está trabalhando com programação e deseja incrementar seu currículo, e depois ele viria a ser expandido. O curso tem 33 semanas de duração e o preço é bem alto, US$ 13,2 mil.

Só que alunos que ingressaram no curso relatam diversos problemas com o Woz U. Bill Duerr, o primeiro a por a boca no trombone disse à CBS News que o material possui vários erros de gramática, as palestras que deveriam ser ministradas ao vivo eram pré-gravadas e pior, com conteúdo desatualizado. Os instrutores não seriam suficientemente qualificados para lidar com os alunos e ao menos em um caso, um dos módulos não possuía um professor designado.

Duerr disse que o material como um todo poderia ser chamado de "um e-book de US$ 13 mil", em que ao invés de trazer material escrito por um dos maiores e mais respeitados profissionais de TI da história ainda vivo, em muitas ocasiões trazia apenas links para materiais da Microsoft (oh, a ironia...) ou para artigos da Wikipédia.

Um ex-instrutor do Woz U meio que confirmou as denúncias, ao dizer que o curso não atendia às expectativas dos inscritos e que sentia estar fazendo algo errado, mas que ao mesmo tempo precisava "sustentar sua família"; tal declaração levanta a possibilidade de que mesmo os colaboradores da plataforma não estão numa situação muito melhor do que aqueles que pagaram pelo curso.

Ao ser contatado pelo site Business Insider, Steve Wozniak disse que não possui nenhuma ligação com a operação da plataforma, tendo apenas cedido seu nome e sua ideia para ser tocada por outros e quem sequer sabia do estado em que ele se encontrava (como assim, você empresta seu nome e não fica de olho?); quem responde por ela é o presidente Chris Coleman, ex-engenheiro de software da 3M e até o ano passado o CEO da Coder Camps, empresa que hoje é a espinha dorsal do Woz U. Em nota, o executivo disse que reconhece a presença de erros no material do curso, e que estão implementando um sistema de controle de qualidade para corrigi-los.

Ainda que não esteja diretamente ligado, não dá para isentar Woz completamente dessa pataquada porque afinal, o programa leva seu nome. Ao menos ele deveria saber com quem está fechando negócios, antes de entregar suas ideias para outros administrarem.

Com informações: CBS News, Business Insider.

relacionados


Comentários