Meio Bit » Games » Spyro Reignited Trilogy — Review

Spyro Reignited Trilogy — Review

Trazendo a primeira trilogia que marcou o PlayStation, Spyro Reignited Trilogy é uma coletânea com bastante conteúdo e gráficos muito bonitos.

2 anos atrás

Durante as décadas de 80 e 90 praticamente todas as empresas ligadas a games buscavam criar um mascote poderoso e quando se tratava das fabricantes de consoles, ter um personagem que representasse a sua marca era praticamente obrigatório. Mas enquanto a Nintendo e a Sega já haviam apresentado as suas armas, com o seu primeiro videogame a Sony fazia de tudo para emplacar um protagonista que fosse carismático e principalmente, estivesse em um jogo bastante divertido.

Alguns anos se passaram desde o lançamento do PlayStation, até que em 1998 a Insomniac Games colocou no mercado o Spyro the Dragon. O título era estrelado por um dragãozinho roxo e aproveitava a capacidade daquele console para nos entregar um mundo bastante colorido e repleto de coisas para serem encontradas, com uma jogabilidade que tentava conquistar o público que adorou um dos melhores jogos já criados, o Super Mario 64.

Nascia ali uma trilogia que viria a se tornar sinônimo daquele lendário console e para a alegria daqueles que passaram horas e mais horas vasculhando cada canto dela, duas décadas depois recebemos a oportunidade de revisitar tais clássicos, tudo graças ao Spyro Reignited Trilogy que está chegando ao PlayStation 4 e Xbox One.

Uma remasterização de respeito

Ao iniciar a coletânea poderemos escolher entre o Spyro the Dragon, Spyro 2: Ripto's Rage! e o Spyro: Year of the Dragon, com os jogos podendo ser experimentados na ordem que quisermos e já de cara é possível perceber o excelente trabalho realizado pela Toys for Bob.

O salto de qualidade visual dos originais para essas remasterizações é absurdo, com cada personagem e fase apresentando um alto nível de detalhes e nos passando a sensação de estarmos assistindo um desenho animado. Eu gostei do fato deles serem visualmente idênticos, fazendo parecer que no fundo temos uma grande história dividida em três partes e com as novas texturas e efeitos de sombra e iluminação, é fácil acharmos que estamos jogando algo criado para os dias de hoje.

Outro ponto do Spyro Reignited Trilogy que merece destaque é o trabalho de localização. Com todos os textos e menus estando em português, os três jogos ainda estão dublados na nossa língua e o melhor de tudo é se tratar de um trabalho feito por profissionais, com todo o cuidado para entregar a melhor dublagem possível. Como muitas crianças deverão se interessar pelos games, a editora merece elogios por ter investido nessa parte.

A única coisa que me incomodou um pouco na parte técnica foram as cenas não interativas com uma resolução mais baixa e principalmente as constantes quedas na taxa de frames por segundo. Não chega a ser nada gritante, mas seria muito melhor se tudo acontecesse de maneira mais fluida.

Uma jogabilidade sólida, mas sem inovação

Assim como a sua principal fonte de inspiração, o Spyro the Dragon é um game de aventura em três dimensões, mas também podemos considerá-lo um jogo de exploração. Nele basicamente teremos como principal objetivo buscar diversos objetos que estão espalhados pelos cenários, enquanto derrotamos alguns inimigos e assim possamos avançar.

Mirando fortemente nos jogadores que não gostam de deixar passar nada, tentar encontrar tudo o que existe nos estágios poderá consumir vários minutos, mesmo com eles não sendo muito grandes ou oferecendo muitos caminhos. De certa forma isso é bom, pois nos coloca sempre em cenários bem diferentes dos anteriores e há uma boa variedade de pequenas missões que teremos que realizar.

Contudo, foi com o Spyro 2: Ripto's Rage! que a Insomniac Games realmente conseguiu entregar uma experiência mais agradável. Além da continuação contar com mais estágios para serem explorados, existem algumas habilidades — como nadar ou escalar — que só adquiriremos com o tempo e que serão essenciais para alcançarmos certos lugares. Isso faz com que o jogo possua uma complexidade muito maior, impedindo que várias fases sejam concluídas logo de início.

Ainda assim, não dá para dizer que o Spyro Reignited Trilogy seja composto por títulos difíceis, mesmo porque essa não é a proposta deles. Aqui o desafio estará nos estágios com contagem regressiva e em tentar encontrar todos os itens das fases, quando teremos que realizar as tarefas necessárias para isso e ter uma memória razoável para lembrar onde vimos um lugar que antes parecia intransponível.

Não se deixe enganar pela simplicidade

Experimentar a trilogia Spyro hoje em dia é ser exposto a sentimentos interessantes. Ao mesmo tempo em que os três jogos são muito bonitos, suas jogabilidades um tanto simples deixam claro se tratar de obras lançadas numa época em que as empresas ainda tentavam entender os mundos abertos, ou nesse caso, quase-abertos.

Isso não quer dizer que tais jogos pequem pela ausência de conteúdo, pois ao todo teremos mais de 100 estágios para visitar e 400 inimigos para enfrentar. Pode ser que aqueles que procuram uma mecânica mais complexa ou uma grande variedade entre os três títulos acabem se frustrando, mas se você continua gostando do estilo que invadiu a indústria no final da década de 90 e que praticamente não tem representantes atualmente, encontrará aqui um ótimo material.

Podendo ser indicado para para os jogadores mais novos e para aqueles que adoram caçar itens que estão escondidos pelos cenários, o Spyro Reignited Trilogy surge ainda como uma ótima alternativa aos títulos focados na violência ou jogabilidades frenéticas, algo ideal para quem quer voltar à uma época em que tudo parecia um pouco mais lúdico.

Eu só achei uma pena a pacote não nos permitir alternar entre os gráficos novos e os originais a qualquer momento, além de não trazer extras como entrevista com os criadores, limitando-se a nos entregar apenas algumas artes conceituais. Mesmo assim, ele é um ótimo exemplo de como as remasterizações ou remakes podem servir para para manter viva a história dos games e/ou apresentar alguns clássicos a um novo público.

O Meio Bit analisou o Spyro Reignited Trilogy em um Xbox One X, com uma cópia digital cedida pela Activision.

relacionados


Comentários