Meio Bit » Entretenimento » Aardman Animations agora é dos seus funcionários

Aardman Animations agora é dos seus funcionários

Os donos da Aardman Animations resolveram passar 75% das ações do estúdio de stop-motion para os seus funcionários.

3 anos atrás

Os fundadores da Aardman Animations, Peter Lord e David Sproxton, tomaram a decisão de passar o controle acionário do estúdio de animação para os seus 140 funcionários, assim 75% das ações foram colocadas em um fundo, que será administrado pelos empregados, que devem estar realmente muito felizes.

Lord e Sproxton dizem que não pretendem se aposentar tão cedo, e que estão fazendo isso pra proteger a independência do estúdio. Eles definitivamente não queriam que a Aardman Animations fosse comprada por nenhuma empresa gigante, e acabasse perdendo sua personalidade e suas características próprias.

O caminho que os sócios da Aardman Animations resolveram seguir pode ser pouco comum, mas mostra que eles valorizam acima de tudo os profissionais que sempre estiveram ao lado da empresa, lutando para que ela fizesse sucesso, uma atitude muito louvável.

É claro que os dois fundadores não vão sair de mão abanando, já que pelo acordo, devem ganhar alguns milhões de libras esterlinas, e também vão manter 25% das ações da Aardman Holdings, grupo controla o estúdio, ou seja, o negócio pelo visto foi bom para todos os envolvidos. Dito isso, no caso da Aardman Animations, o mais importante definitivamente não era o lado financeiro.

A bem da verdade, dinheiro nunca foi um problema para a Aardman, já que eles ganham muito com licenciamento da imagem de seus personagens no mundo inteiro, especialmente Shawn, o Carneiro, que faz bastante sucesso no mercado do Japão, como lembra o The Guardian, isso sem falar nas várias campanhas de publicidade que eles sempre fizeram para grandes marcas.

Peter Lord valoriza a independência que o seu estúdio sempre teve, mesmo fazendo uma parceria de distribuição com a gigante Dreamworks para o lançamento mundial de A Fuga das Galinhas, em 2000. Nas suas palavras: “nós sempre acreditamos que a independência era nosso ponto forte. Nós não tínhamos que dançar para a música de outras pessoas, e podíamos tomar nossas próprias decisões.”

Ele disse ao Hollywood Reporter que a empresa não teve tantas ofertas assim ao longo dos anos, mas que durante a distribuição mundial de A Fuga das Galinhas, Jeffrey Katzenberg fez uma sondagem para saber se eles não queriam vender o estúdio, uma oferta que foi prontamente recusada. Em suas palavras, os motivos para ele e seu sócio não terem vendido a Aardman Animations: "nós resistimos pois somos éramos independentes e ainda somos." Lord também falou sobre a falta de propostas desde então com muito bom humor: "é quase insultante, na verdade".

Brincadeiras à parte, a Aardman Animations vai continuar funcionando da mesma forma. Seus diretores vão continuar em suas funções, e o estúdio vai criar um novo conselho executivo, com Peter Lord como diretor criativo, e David Sproxton como o diretor administrativo provisório, enquanto eles não encontram um substituto para essa função, já que ele pretende permanecer na Aardman Animations apenas como consultor a partir do ano que vem.

Nick Park, vencedor do Oscar por Wallace & Gromit: A Batalha dos Vegetais (e também co-diretor de A Fuga das Galinhas em parceria com Peter Lord), será parte chave do conselho da Aardman Animations, e continuará a manter o direito de propriedade intelectual de suas criações através de empresas como a Wallace & Gromit Limited, que ele tem em parceria com a já citada Aardman Holdings.

A Aardman Animations foi criada em 1972, e ficou conhecida mundialmente por seus trabalhos em stop-motion nos anos 80, quando criou clipes como o sensacional Sledgehammer de Peter Gabriel, que fez história na MTV, emissora para a qual a Aardman também criou a série Angry Kid.

Wallace & Gromit: a dupla que deu vários Oscars a Aardman Animations, incluindo o primeiro de longa de animação para um filme stop-motion.

O estúdio chegou ao ápice do sucesso em 2006, quando venceu o Oscar de melhor animação de longa-metragem pelo já citado Wallace & Gromit: A Batalha dos Vegetais, que foi o primeiro longa feito com essa técnica a ganhar um Oscar, e pode ser assistido na Netflix, coroando uma história de sucesso da empresa com a Academia.

Bem antes disso, Nick Park e a Aardman Animations já tinham ganho alguns outros Oscars de curta-metragem de animação. Ambos foram agraciados em 1990, com o Oscar por Creature Comforts, e todos os quatro curtas que formam a série Wallace & Gromit (ao lado do de A Batalha dos Vegetais) também foram indicados ao Oscar, sendo que dois deles efetivamente venceram.

O estúdio de stop-motion continua com a criatividade em alta, e lançou este ano a animação O Homem das Cavernas (no original se chama Early Man), novo filme de Nick Park, no qual dois amigos precisam salvar sua vila de um vilão muito mais poderoso, vivido por Tom Hiddleston. O elenco também tem Eddie Redmayne e Maisie Williams, além do próprio Nick Park. Os próximos projetos também já estão definidos, o segundo filme de Shaun o Carneiro, que deve se chamar Farmageddon, chega no ano que vem, e depois disto, a Aardman Animations vai produzir A Fuga das Galinhas 2, a continuação do seu maior sucesso comercial.

A Aardman Animations sempre cuida muito bem dos seus funcionários, sejam eles os 140 fixos, com também os vários profissionais que trabalham como freelancers, um número variável, mas que pode chegar até 180 pessoas extras, nos períodos nos quais o estúdio está produzindo os seus longas. De acordo com a política da empresa, qualquer pessoa que tiver trabalhado lá por três meses, em qualquer ano, tem direito a um bônus como participação nos lucros do estúdio, que são consideráveis. No ano passado, eles tiveram um lucro de 2,5 milhões de libras esterlinas, com vendas totais de 30 milhões. Deve ser muito bom trabalhar nesse estúdio.

A empresa lançou no domingo passado um game sobre a Primeira Guerra Mundial com um visual artístico, 11-11: Memories Retold. A data de lançamento foi no dia 11/11, prestando uma homenagem aos 100 anos do Dia do Armistício, que marcou o fim das hostilidades na Primeira Guerra Mundial, e o jogo parece bem promissor, mas vamos deixar pra falar dele em outro post, assim que conseguirmos testá-lo. Esse está longe de ser o primeiro jogo da empresa, que empresa começou com o jogo Chicken Run, lançado pela Blitz Games para o PlayStation original em 2000, e de lá pra cá, fez muitas parcerias e lançou vários jogos.

relacionados


Comentários