Meio Bit » Games » A zuera tem limite: idiota é condenado a 20 anos de cadeia por swatting em partida de Call of Duty

A zuera tem limite: idiota é condenado a 20 anos de cadeia por swatting em partida de Call of Duty

1 ano e meio atrás

Ninguém gosta de perder, dá pra ser honesto quanto a isso. A gente precisa evoluir e aceitar as derrotas, eu mesmo já passei da fase do Rage Quit pro Sad Quit, quando algum adolescente de 12 anos com reflexo de batráquio me acerta um headshot no BF4, mas idiotas que praticam swatting não entendem isso.

O conceito é cruelmente simples. Idiotas perdedores mal-amados que colocam toda sua patética vida em um videogame ficam revoltados quando algum  adolescente de 12 anos com reflexo de batráquio lhes acerta um headshot, então decidem prejudicar de verdade quem só os feriu virtualmente.

Usando de meios escusos eles descobrem o endereço do desafeto, então fazem uma ligação telefônica para a polícia local, relatando tiros, reféns, etc. A polícia responde a esse tipo de chamado com sangue nos olhos, e há casos de casas depredadas, cachorros mortos, e até gente que tomou tiro sem saber o motivo.

Só que no caso a situação foi especialmente ruim. Dois absolutos retardados, Shane Gaskill, de 20 anos e Casey Viner, de 19 estavam discutindo por causa de uma partida de Call of Duty que haviam perdido. A discussão passou da fase de xingar a mãe um do outro e virou ameaça de swatting, bem aquela coisa de adolescente retardado "passa dessa linha se tu é homem".

Eles trocaram endereços, mas Viner, que não era completamente retardado deu um endereço antigo. Gaskill, que era, foi pro Twitter e procurou outro retardado chamado Tyler R. Barriss, um desperdício ambulante de carbono de 26 anos, essa figura aqui:

O idiota era conhecido no Twitter como ótimo perpetrador de trotes, com dezenas de casos de telefonemas falsos que causaram bastante incômodo e prejuízo, inclusive ameaças de bomba a um evento de Call of Duty que atrasou a vida de milhares de pessoas.

Dessa vez entretanto a "brincadeira" saiu da esfera dos gamers, a última coisa que um pobre sujeito chamado Andrew Finch viu quando abriu a porta de casa foi um bando de policiais armados até os dentes, incluindo um idiota que se precipitou e fez um disparo fatal.

Isso foi em 2017, e depois de rápidas investigações a polícia chegou até Barriss, que confessou o crime e foi indiciado entre outras coisas com 51 acusações de ameaças e telefonemas falsos, o que é crime federal.

O mané, claro, pagou de arrependido, pediu desculpas à família da vítima, e vendo que se fosse condenado o resultado não seria bom, com sentenças na casa de 10 anos de cana dura, ele seguiu os conselhos dos advogados e fez um acordo com a promotoria, se declarando culpado.

Feito isso o caso vai direto pra parte da sentença, quando o Honorável Juiz Eric Melgren condenou o mentecapto a VINTE anos de cadeia.

O argumento do Juiz é que a Lei ainda não contempla o crime de swatting, e que se ele seguisse na Letra, a pena não seria consistente com o crime.

Para os familiares talvez não ajude tanto, continuarão sem seu ente querido, mas ao menos esse idiota só vai voltar pro mundo dos games quando o Half Life 3 estiver quase saindo.

Fonte: AP

Leia mais sobre: .

relacionados


Comentários