Meio Bit » Games » RetroArch ganha data para chegar ao Steam

RetroArch ganha data para chegar ao Steam

De olho num novo público e prometendo manter todas as qualidades do original, o conjunto de emuladores RetroArch deverá chegar ainda este mês ao Steam.

1 ano atrás

Se você possui um Raspberry Pi ou simplesmente gosta de jogos antigos para consoles, existe uma boa chance de já ter entrado em contato com, ou ao menos ter ouvido falar no RetroArch. Agora, se você não sabe do que se trata esse programa, saiba que em breve o acesso a ele deverá se tornar muito mais fácil do que aquilo que temos hoje.

Acontece que conforme anunciado pelo pessoal da Libretro, no dia 30 de julho o conjunto de APIs que ajudou a popularizar os emuladores um pouco mais passará a ser distribuído gratuitamente também pelo Steam. Curiosamente, apesar da política imposta pela Valve não permitir discussões sobre a emulação de consoles, aparentemente a loja não possui nenhuma regra contra esse tipo de programa, logo a aposta é de que ele não deverá ter a sua estreia barrada.

Conforme pode ser visto na página que o RetroArch já ganhou no Steam, ele é “um frontend/backend multiplataforma de código aberto para emuladores, engines de jogos, videogames, media players e outras aplicações.” Porém, os criadores admitem que mesmo com todas essas possibilidades, a maioria das pessoas utiliza o programa para rodar emuladores, muito graças a interface gráfica que ele oferece, mas principalmente por facilitar o processo de configuração.

Ainda segundo aqueles que vem se dedicando a manter o projeto ativo, o objetivo é ajudar a preservar a história dos videogames, motivo pelo qual eles estão trabalhando arduamente para fazer com que o RetroArch também passe a rodar jogos antigos através dos seus discos (CD) originais.

Algo que poderá ajudar neste processo de preservação é a utilização da API fornecida pelo Steam, o que se acontecer da maneira como eles estão imaginando, acabará fazendo com que o RetroArch passe a contar com duas versões diferentes. No entanto, até que isso aconteça, o programa que baixarmos pelo site oficial e aquele disponível na loja da Valve serão iguais, mas disponível inicialmente apenas para o Windows. Existe planos para que versões para Linux e MacOS sejam lançados com o passar do tempo, mas ainda sem uma data prevista para isso acontecer.

Por oferecer um alto nível de personalização e permitir que uma imensa quantidade de plataformas antigas possam ser emuladas, acredito que um número bem maior de pessoas deverão passar a se interessar não só pelo programa, mas pela emulação como um todo e é justamente essa maior exibição que poderá disparar alguns alertas na donas dos direitos autorais desses jogos. A dúvida é: até que ponto a Valve está disposta a comprar esta briga?

Tudo bem, mesmo com o RetroArch oferecendo apenas os emuladores, com as pessoas ficando responsáveis por obter as cópias dos jogos, será que gigantes como SEGA, Sony, Nintendo, EA ou Activision não verão problemas em ver o Steam servindo como uma plataforma de distribuição para algo que, ao menos na visão das editoras pode servir como um incentivador para a pirataria?

Veremos até onde a responsável pelo Steam está disposta a esticar essa corda, mas mesmo achando que isso não deveria acontecer, eu sinceramente não ficarei surpreso se o RetroArch for removido da loja antes mesmo de ser lançado.

relacionados


Comentários