Meio Bit » Games » Gears 5 e a inspiração que veio do Super Mario Galaxy

Gears 5 e a inspiração que veio do Super Mario Galaxy

Um dos responsáveis pelo Gears 5 revelou que Jack, o robô que nos ajuda no jogo, teve como inspiração uma mecânica presente no Super Mario Galaxy

49 semanas atrás

Quando falamos de jogos como o Gears 5 e o Super Mario Galaxy é difícil imaginarmos que o título lançado para o Wii possa ter tido algum tipo de influência no do Xbox One, mas para a surpresa de muita gente, foi justamente isso o que aconteceu.

Gears 5

Quem revelou a história foi Rod Fergusson, chefe do estúdio The Coalition, que ao participar esta semana do Montreal International Game Summit, contou um pouco sobre o processo de criação e falou sobre uma interessante parte do Gears 5: o robô conhecido como Jack e que nos ajudará durante a campanha.

De acordo com o game designer, sua equipe queria adicionar alguns elementos de RPG ao título, mas sem mudar a maneira como os personagens funcionavam. Para eles, não faria sentido fazer com que o personagem que controlamos de repente passasse a correr mais rápido ou tivesse uma mira melhor, então eles tiveram a ideia de adicionar esse sentido de progressão ao robô.

O pessoal do estúdio então passou a cogitar a possibilidade de três pessoas jogarem juntas e a maneira para isso acontecer seria justamente permitindo que uma deles controlasse o Jack. Foi aí que entrou algo que a Nintendo havia implementado no Super Mario Galaxy.

Caso não saiba, naquele jogo um segundo jogador pode utilizar o Wii Remote para coletar estrelas espalhadas pelo cenário e as atirar de volta nos inimigos. Aquela mecânica foi criada para que pudéssemos ajudar o primeiro jogador, mas sem que fosse necessário ter muita habilidade nas partes de plataforma.

Já no Gears 5, o robozinho flutuará pelo campo de batalha enquanto poderá ser utilizado para atordoar os inimigos e até mesmo curar os humanos que forem atingidos. Pode não parecer grande coisa para os fãs mais antigos da franquia, mas pense num jogador novato, que não possua muita familiaridade com jogos de tiro, mas que mesmo assim queira participar da brincadeira.

Então propositalmente criamos esse personagem cujas habilidades e movimentos são o exato oposto daquilo que o jogo é, assim o jogo poderia proporcionar uma diferente maneira de jogar.

Fizemos com que a maior parte dos novatos quisessem jogar como o Jack e agora o Jack é desejado. As pessoas gostariam de receber um jogador como Jack — ‘Jogue com a gente, precisamos de um Jack!’ — então isso tornou o ecossistema muito mais amigável e acolhedor.

Como eu ainda não comecei a jogar o Gears 5, não sabia da existência do robô e, por isso, não poderei dizer se a ideia foi bem implementada ou não. Porém, ao menos na teoria é difícil não adorar o conceito e me vejo quase na obrigação de elogiar o pessoal da The Coalition por ter tentando tornar sua criação mais acessível.

E por falar em acessibilidade, essa é uma palavra que parece ser levada bem a sério pelo estúdio. No evento, Rod Fergusson falou até sobre como incluir a possibilidade de aumentarmos o tamanho das legendas é algo que pode permitir que um número maior de pessoas aproveite seus títulos.

O trabalho tão bem feito neste sentido rendeu uma avaliação perfeita para o Gears 5 no site Can I Play That? e, como o game designer bem disse, é impressionante como ainda hoje existam vários jogos que não nos forneçam essa opção.

Fonte: PCGamesN

relacionados


Comentários