Meio Bit » Mobile » Snapdragon 865 sem modem integrado: problemas à vista

Snapdragon 865 sem modem integrado: problemas à vista

Na ânsia da Qualcomm em promover o 5G, Snapdragon 865 pode prejudicar performance do 4G, já que chip exige modem separado

30 semanas atrás

O Snapdragon 865, o novo chip de ponta da Qualcomm foi apresentado recentemente e é um monstrinho: 25% mais desempenho quando comparado ao Snapdragon 855, consumo energético até 35% menor, suporte a câmeras de até 200 megapixels, com filmagem em 8K ou a 960 fps sem limite de tempo.

Ele também traz suporte a redes 5G de até 7 Gb/s, no entanto uma particularidade do design está deixando muita gente com os dois pés atrás: o modem deixou de ser integrado inclusive para o 4G, e a adição de um componente extra obrigatório pode trazer alguns probleminhas.

Qualcomm / Snapdragon 865

A Qualcomm optou por um curioso design para seu novo processador, onde ele conta com os tradicionais núcleos Kryo, a GPU Adreno 650, a ISP de câmera Spectra 480, o co-processador e motor de IA Hexagon 698, a memória integrada, o processador de recursos de segurança e o hub para os sensores.

Notou falta de alguma coisa? Pois é, não há modem no chip. Em uma decisão para lá de estranha, a fabricante optou por não inclui-lo e ao invés disso, condiciona aos fabricantes parceiros a implementação de um modem externo, o Snapdragon X55, que traz ambos módulos 4G e 5G.

A título de comparação, o Snapdragon 855 trazia o modem 4G embutido; celulares com suporte a 5G equipados com o chip também dependiam de um modem extra, mas o estranho na história é a Qualcomm não só optar por esse design em seu processador mais premium, como depreciar o 4G junto. Lembre-se sempre que componentes integrados possuem desempenho superior em relação àqueles que dependem dos barramentos para se comunicar com o processador.

Designs do Snapdragon 855, Snapdragon 865 e Snapdragon X55

Designs do Snapdragon 855, Snapdragon 865 e modem Snapdragon X55

Isso significa que todo celular equipado com o Snapdragon 865 sairá de fábrica com suporte a 5G, o que a princípio parece uma coisa boa, mas é preciso levar em conta alguns fatores. Primeiro, a disponibilidade da rede de alta velocidade ainda é bem pequena, mesmo em países desenvolvidos (o Brasil nem tem um 4G decente), o que tornará o Snapdragon X55 um componente subutilizado.

Segundo, a presença do modem externo (no sentido de fora do chip, mas integrado à parte na placa-mãe) trará compromissos em design para os fabricantes, que precisarão lidar com o design interno para acomoda-lo e com o consumo extra de energia, já que a Qualcomm menciona o menor consumo como referente ao 865, não ao modem, que a rigor é outro chip, mesmo sendo obrigatório. Assim, não dá para chamar dois componentes de SoC (System on a Chip).

No passado, celulares com modems 4G ou 5G separados apresentaram problemas de superaquecimento, como o HTC Thunderbolt (a empresa chegou a pedir perdão pelo vacilo) e mais recentemente, o Galaxy S10 5G. Neste último caso, imagine que todos os celulares premium com o 865 (Galaxy S11 e cia. ltda) podem estar sujeitos a sofrer com isso, mesmo que o Brasil ainda demore a implementar o 5G, porque o X55 abriga também o modem 4G.

O mais irônico é lembrar que os Snapdragon 765 e 765G, lançados junto com o 865, ambos trazem um modem 4G/5G integrado ao chip.

Com informações: Ars Technica.

relacionados


Comentários