Meio Bit » Ciência » Elon Musk aprova: SpaceX vai mandar erva do diabo pra ISS

Elon Musk aprova: SpaceX vai mandar erva do diabo pra ISS

A SpaceX, que foi investigada algum tempo atrás por causa do cigarrinho de artista de Elon Musk deu a volta por cima e irá mandar para a ISS a Erva do Diabo

41 semanas atrás

Você provavelmente se lembra do auê gerado quando Elon Musk, no programa do Joe Rogan, tragou um cigarrinho do capeta. A grande ironia é que depois de todo o stress, a NASA vai usar a SpaceX para mandar para a Estação Espacial Internacional... amostras da famigerada Maria Joana.

Recapitulando, já que você não vai clicar mesmo, algum burocrata da NASA ficou melindrado com Elon Musk fumando um beque em um podcast, mesmo estando na Califórnia, onde a erva do diabo é perfeitamente legal.

Isso desencadeou uma série de eventos que culminou no questionamento da cultura corporativa da SpaceX E da Boeing, que entrou de gaiata no navio. As duas empresas foram ordenadas a realizar uma investigação completa de seus funcionários, atrás de comportamentos suspeitos, uso de drogas, etc.

Agora a melhor parte: a NASA pagou US$ 5 milhões para a SpaceX fazer a tal investigação. A Boeing não, teve que fazer do próprio bolso.

A Boeing vai entubar o custo, claro. Ambas as empresas têm contrato com a NASA para o programa de voos tripulados para a Estação Espacial Internacional. A Boeing recebeu US$ 4,82 bilhões, a SpaceX só levou $3,14 bilhões, então com uma diferença de US$ 1,7 bilhão a seu favor, a Boeing não vai ser mesquinha e arriscar melindrar a NASA por meros US$ 5 milhões, troco de pinga.

A ironia não acaba aí, embora ser pago pra se auto investigar por causa de um burocrata careta já seja um final mais que feliz, agora a NASA vai literalmente pagar para a SpaceX transportar o marafo. Sim, a nave espacial vai virar avião, fazendo um delivery pro pessoal que normalmente já está bem high.

Um dos problemas que vamos enfrentar no espaço é que mesmo depois de décadas de pesquisas, sabemos muito pouco sobre como plantas se comportam em microgravidade. Há muita variação no crescimento, algumas se adaptam melhor do que outras, os experimentos são feitos quase sempre sem solo e em espaços apertados e não reproduzem as condições de um laboratório agrícola orbital grande o suficiente para alimentar vários astronautas.

Também é importante otimizar o espaço, com plantas que tenham várias utilidades e poucas são mais úteis que o cânhamo, Cannabis ruderalis, parente da DAQUELA Cannabis, mas não se falam.

O cânhamo tem um defeito grave: baixo índice de THC, mas por outro lado cresce melhor e mais fácil que as outras variedades, e não depende de estação do ano, basta manter a luz em quantidade decente e a danada fica feliz. Desde tempos imemoriais cânhamo é usado para fazer cordas, mas também pode ser usado para alimentação (de verdade, não estou falando dos brownies daquele seu amigo noiado) humana ou animal, sendo altamente nutritivo.

Cânhamo pode ser tecido, trançado, moído, transformado em óleo, os usos são quilométricos. A questão é: esse negócio cresce no espaço?

É o que uma empresa chamada Front Range Biosciences quer descobrir. Eles vão mandar no próximo voo da SpaceX um experimento, aprovado pela NASA com culturas de células de cânhamo e café.

Elas irão na missão CRS-20, que voará em março de 2020. Depois de acomodadas as culturas serão observadas por 30 dias, depois trazidas de volta.

Em terra as 480 amostras serão examinadas para determinar os efeitos da microgravidade e radiação ambiental no DNA das duas plantas, o que ajudará a saber se será possível plantar cânhamo e -mais importante- café no espaço, o que será muito mais conveniente do que esperar a tia do café passar com seu carrinho.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários