Meio Bit » Games » Protestos de Hong Kong tomam as ruas do GTA Online

Protestos de Hong Kong tomam as ruas do GTA Online

Manifestantes pró-Hong Kong resolveram utilizar o GTA Online para protestar e não demorou para os chineses organizarem uma "força policial virtual".

27 semanas atrás

Algumas pessoas defendem a ideia de que as desenvolvedoras de games deveriam evitar abordar assuntos políticos nas suas criações, para desta forma não sem envolverem em polêmicas. O tema é tão delicado que dentro de uma mesma empresa temos opiniões divergentes (aqui e aqui), mas e quando a manifestação política em um jogo se dá por parte dos jogadores, como tem acontecido no GTA Online?

Manifestante pró-Hong Kong no GTA Online

Tudo começou no início de dezembro, quando a porção online do Grand Theft Auto V recebeu uma atualização e algumas pessoas descobriram que poderiam vestir seus personagens de maneira parecida com as roupas que os manifestantes honcongueses tem utilizado nos protestos realizados contra a China.

Vestindo roupas pretas, máscaras de gás e chapéus de construção amarelos, os jogadores que batizaram o conjunto de vestimentas como “Glória à Hong Kong” começaram a organizar as manifestações online através do LIHKG — uma espécie de Reddit da cidade semiautônoma — e passaram a vandalizar estações de metrô. a atacar veículos policiais com coquetéis molotov, num movimento parecido com o que tem acontecido na vida real por lá nos últimos meses.

A iniciativa porém não foi vista com bons olhos pelos habitantes da China continental que frequentam o GTA Online, com muitos deles tendo se organizado através das redes sociais para formar uma equipe que passou a usar uniformes da polícia, a dirigir caminhões equipados com canhões d’água e a carregar bombas de gás lacrimogênio. O objetivo deles era combater os “arruaceiros” que tomaram as ruas de Los Santos.

As baratas expressaram seu desejo de matar o GTA e de nos derrotar, a guerra neste jogo poderá se tornar mais feroz. Você está pronto?”, provocou um dos chineses através da rede Weibo, usando um termo depreciativo que vem sendo muito utilizado pelas autoridades policiais chinesas para se referirem aos manifestantes.

Os confrontos então passaram a ganhar força nos últimos dias, com o desfecho — ao menos por enquanto — tendo acontecido numa enorme batalha cujo relatos dão conta de que os chineses acabaram saindo vencedores, devido ao maior número de membros apoiando o grupo.

Já Mickey Chang, um honconguês que costuma usar seu canal para transmitir suas partidas pelo Youtube, disse acreditar que participar dos protestos no GTA Online tem sido uma boa maneira de chamar a atenção das pessoas de fora, pois durante uma partida é possível ver no servidor até 30 jogadores que podem não saber muito bem o que está acontecendo na região.

Vale citar que utilizar videogames para despertar o interesse das pessoas pelos protestos em Hong Kong não é exclusividade do GTA Online. Além do emblemático caso do jogador de Hearthstone, que foi banido por se manifestar pró-Hong Kong e que consequentemente disparou uma onda de protestos contra a Blizzard, recentemente os ativistas locais lançaram um jogo de realidade virtual chamado Liberate Hong Kong e que nos permite “experimentar” os protestos no conforto de nossas casas. Eles também criaram o The Revolution of Our Times, título para Android que infelizmente não está mais disponível, com o Google alegando que ele violava as políticas da Play Store.

A Rockstar por sua vez ainda não se manifestou sobre a maneira como o seu jogo tem sido utilizado por essas pessoas e por mais que a empresa possa ser acusada de ser uma apoiadora dos manifestantes, afinal foi ela quem adicionou roupas parecidas com as vestidas por esse pessoal na vida real, não acredito que isso seja justo.

O GTA Online sempre funcionou como uma grande caixa de areia onde algumas pessoas a utilizam para muito mais do que apenas organizar assaltos. Existe todo um grupo de jogadores que gostam de interpretar papéis nesse modo, com ele se transformando numa espécie de RPG Online onde cada um leva uma vida paralela quando se conecta ao servidor. Há até quem afirme ter aprendido uma lição sobre suicídio graças ao jogo, o que na minha opinião serve para mostrar o poderoso canal de comunicação que os jogos se tornaram, ao ponto de até poderem mudar a vida de alguém.

De maneira resumida, os protestos na região começaram a cerca de seis meses, quando o governo chinês propôs um projeto de lei que acabou sendo deixado de lado, mas que a princípio visava extraditar moradores de Hong Kong para o país controlado pelo Partido Comunista.

Logo as manifestações se transformaram num movimento pró-democracia, com os habitantes criticando a maneira como o governo chinês passou a limitar a liberdade prometida para o território desde que ele deixou de ser controlado pelos britânicos, em 1997.

Fonte: IGN.

relacionados


Comentários