Meio Bit » Demais assuntos » A morte do General Qasem Soleimani - Podem Estados Unidos e Irã começar a Terceira Guerra Mundial?

A morte do General Qasem Soleimani - Podem Estados Unidos e Irã começar a Terceira Guerra Mundial?

Estados Unidos e Irã estão em uma crise como não se via faz tempo. Um ataque americano eliminou o mais importante militar iraniano, e é só o começo.

37 semanas atrás

Ontem (2) um ataque eliminou o Major-General Qasem Soleimani, da Guarda Revolucionária Iraniana. Foi uma ação de surpresa, que pode...não, que terá graves repercussões no Oriente Médio e adjacências, azedando de vez as relações entre Estados Unidos e Irã.

A ousadia foi muito além do ataque em si, foi uma quebra de protocolo, uma mudança de regras como raramente acontece, com antecedentes que remontam a 18 de abril de 1943.

General Qassem Soleimani - O pivô do conflito entre Estados Unidos e Irã

O maior trauma coletivo da história dos Estados Unidos foi o ataque a Pearl Harbor e mesmo o ataque a Tóquio com a força do Tenente-Coronel James Doolittle, ou o filme do Michael Bay não foram suficientes para aplacar esse sentimento. Internamente precisavam de uma resposta a altura e ela veio quando a Inteligência Naval decodificou a criptografia japonesa. Em uma mensagem, de número NTF131755, foram enviados planos detalhados para uma visita do Almirante Isoroku Yamamoto ao fronte.

Yamamoto foi o idealizador do ataque a Pearl Harbor e ali, de bandeja, todos os detalhes de sua rota, escalas, aviões utilizados, escoltas, tudo. Foi preparada às pressas a muito bem batizada Operação Vingança, autorizada ou não pelo Presidente Roosevelt.

Avião na Segunda Guerra

16 caças de longo alcance P38G foram usados, depois de mais de 1.000 km desviando de patrulhas inimigas, eles localizaram o transporte com o Almirante e ele foi devidamente eliminado. Isso criou um imenso impulso na moral dos americanos, abalou profundamente a moral das forças japonesas e mais importante, tirou de campo um brilhante estrategista.

A morte do General Qasem Soleimani terá o mesmo efeito. Estrategicamente foi milhares de vezes mais importante do que a eliminação de Osama Bin Laden, que era só uma figura de propaganda, sem nenhuma relevância real para a Al Qaeda.

Quem Foi o General Qasem Soleimani?

Soleimani era veterano da Guerra Irã-Iraque (1980-1988), durante a qual descobriu seu grande talento: ele era ótimo em comandar operações ousadas em território inimigo, identificando e recrutando grupos dissidentes. Ele fez amizade com os curdos do Iraque, que mais tarde seriam brutalmente mortos em um ataque químico de Saddam Hussein.

Com o tempo Soleimani foi expandindo sua rede, fomentando rebeliões, ataques terroristas e atividades subversivas, financiando grupos como o Hamas, Hezbollah e brigadas iraquianas anti-Saddam.

Subindo nos rankings, da Guarda Revolucionária iraniana e logo foi nomeado supremo líder das forças Quds, uma unidade da Guarda Revolucionária com 20 mil homens, especializada em "guerra não-convencional e operações extraterritoriais".

General Qassem Soleimani e seus amigos entre Estados Unidos e Irã

General Qasem Soleimani e seus amigos

Traduzindo: eles treinam, financiam, armam e controlam agentes estrangeiros, sejam terroristas como o HAMAS, sejam governos, como o da Síria.

Não é o Osama

Apesar de lidar com terroristas, não devemos achar que Soleimani é um idiota que gosta de vestir C4, ele era um exímio diplomata, um líder nato e um brilhante estrategista. Ele é o principal responsável pela eliminação do ISIS de boa parte do Iraque, não por bondade no coração, mas por serem inimigos mortais mesmo.

Nessa de o inimigo do meu inimigo é meu amigo, Soleimani já se aliou momentaneamente com um monte de gente, incluindo os Estados Unidos, mas atualmente ele estava fomentando revoltas no Iraque, com ajuda de milícias locais pró-Irã.

Uma semana atrás um ataque de foguetes atingiu uma base americana em Kirkuk, ferindo vários militares e matando um contratado civil. Foi mais um dos ataques com o dedo do Soleimani. Os americanos responderam com um ataque a acampamentos terroristas e as milícias responderam a resposta com uma tentativa de invadir a embaixada americana em Bagdá.

militantes do Kataib Hezbollah na embaixada americana, uma das origens do atual conflito entre Estados Unidos e Irã

Militantes do Kataib Hezbollah na embaixada americana, uma das origens do atual conflito entre Estados Unidos e Irã

Abul Mahdi al-Muhandis, líder do Kataib Hezbollah, uma milícia iraquiana pró-Síria e pró-Irã jurou retaliação, os americanos pagariam por atacar seus acampamentos.

O Kataib Hezbollah é tão brazuca...

O Kataib Hezbollah é tão brazuca...

Não rolou. Al-Muhandis, junto com Soleimani e vários outros foram detectados voltando de uma reunião no Líbano. A Inteligência os identificou no aeroporto de Bagdad, provavelmente uma ação envolvendo elementos do Iraque, Israel, a CIA e outras forças anti-Irã.

Depois de tantos anos Soleimani se tornou complacente, achou que estaria seguro, cercado por milícias fiéis, em um país aonde após anos de infiltração política, o Irã estava cada vez mais influente. E não, ele ter uma proibição de viagens da ONU não quis dizer nada, incrivelmente Soleimani não ligava muito pro que as Nações Unidas achavam dele e enquanto isso, continuava cutucando as relações entre Estados Unidos e Irã.

General Atomics MQ-9 Reaper. Fear the Reaper.

Nesse momento tudo entrou em modo turbo. A informação foi confirmada, drones identificaram o grupo e os carros aonde estavam. Em Washington foi discutida a possibilidade de se eliminar Al-Muhandis, Soleimani e mais um bando de outros caras legais. As repercussões foram pesadas e a ordem foi dada. Um General Atomics MQ-9 Reaper lançou um míssil AGM-114 Hellfire, antiblindado, mas como Soleimani não morava no Rio de Janeiro e não tinha necessidade de carro blindado, o teto foi atravessado como manteira, a ogiva de 9 kg de alto-explosivo polpificando todos os envolvidos.

E como vivemos em modernos e loucos tempos, claro que alguém filmou o ataque.

Ataque dos Estados Unidos e Irã

Soleimani, agora mais dividido que partido Democrata, foi identificado rapidamente, quando acharam uma mão ainda usando seu inconfundível anel. Ainda bem que pegaram antes que ele conseguisse as outras cinco jóias do infinito.

RIP in pieces, Soleimani

RIP in pieces, Soleimani

E a repercussão disso tudo?

Na Síria estão distribuindo docinhos, no Iraque estão dançando nas ruas, Soleimani era odiado na maioria dos lugares aonde atuou, mas no Irã era extremamente popular, tendo sido cotado várias vezes como candidato a presidência e tinha acesso direto ao Ayatollah Ali Khamenei, Supremo Líder do país. Muitos dizem que ele inclusive atropelava o Presidente e era o segundo em comando, mas Soleimani não se metia em política ou intrigas palacianas, ele era muito mais uma figura estratégica.

O Irã, claro, está fumando, disseram que os Estados Unidos irão ser alvo de uma vingança, "no tempo e locais certos", que corpos de americanos se espalharão pelo oriente médio, etc, etc. Oficiais diplomáticos da Suíça, país que faz o leva-e-traz entre Estados Unidos e Irã foram convocados pelos dois lados várias vezes hoje, levando e trazendo cartas, muito provavelmente escritas em tom bem ríspido.

O Iraque está em uma bananosa, um militar de alta patente de um país vizinho foi assassinado em seu território por um aliado, em qualquer manual de diplomacia do mundo isso se chama Casus Belli, um termo bonito para "agora eu vou dar... porrada!".

O Parlamento Iraquiano vai se reunir amanhã pra votar se expulsa as tropas americanas do país, o que pode servir para aplacar o Irã, ou abrir as portas para uma invasão. Nenhum dos dois tem exatamente um monte de amigos na região, então é mais provável que os vizinhos digam "vocês que são brancos que se entendam".

O conflito entre Estados Unidos e Irã vai começar a Terceira Guerra Mundial?

Não, só se for a divisão de várzea. O Irã não é pato bobo, eles têm capacidade de mobilizar mais de um milhão de homens, são ótimos em guerra não-convencional e qualquer força americana de invasão será atacada em todo lugar, uma guerra entre Estados Unidos e Irã seria um pesadelo logístico e um banho de sangue, que ninguém quer pagar pra ver.

Ao mesmo tempo o Irã não vai atacar diretamente ninguém. No máximo só por força do hábito mandar uns mísseis pra Israel. Um ataque direto daria espaço para um contra-ataque, e como os EUA têm muito mais possibilidade de destruir a infraestrutura iraniana do que vice-versa, não vale o esforço.

Mesmo assim coisas ruins podem acontecer. O Irã tem uma forte presença naval no Golfo Pérsico, incluindo submarinos classe Kilo, russos, que podem estragar o dia de uma esquadra. E também desenvolveram táticas de usar enxames de embarcações pequenas e ágeis para fazer ataques de torpedos e mísseis, recentemente foram flagrados acompanhando um porta-aviões americano:

Navios dos Estados Unidos e Irã

Um ataque desses pode provocar uma guerra aberta? Tecnicamente sim, mas ao contrário do Twitter, países ficam com pé atrás e historicamente coisa muito pior já aconteceu entre Estados Unidos e Irã.

Em 1988 a fragata USS Samuel B. Roberts atingiu uma mina iraniana no Estreito de Ormuz e como todos sabemos, mexer com mina dos outros nunca termina bem. Um rombo de quase 10 metros se abriu no casco, o navio pegou fogo, só por milagre ele conseguiu permanecer flutuando.

Foi organizada a Operação Praying Mantis, que com um porta-aviões e uma esquadra de apoio, atingiu vários alvos iranianos em retaliação, afundando uma fragata, uma canhoneira e duas plataformas de petróleo. A reação desproporcional convenceu o Irã a aceitar um encerramento diplomático para o conflito com o Iraque.

A reação desproporcional

Assassinar Soleimani é uma resposta fora do normal, mesmo com as desculpas que ele estava planejando ataques contra alvos americanos. Normalmente gente no nível dele conta com uma certa imunidade, e talvez esse tenha sido o erro. Historicamente o sujeito pode ser malvado à vontade, se sua morte tiver consequências ruins. Nisso um monte de gente defende Saddam, Osama, Khadaffi, o Grande Líder. É sempre a desculpa que se está ruim com ele, sem ele o país cairá no caos, vai ser pior, será formado um vácuo de poder, etc.

Ao ignorar as consequências, os EUA estão testando algo novo, responsabilizando diretamente o sujeito que manda um monte de jovens morrer nas guerras. As medidas antigas, como colocar em lista de terroristas, banir viagens internacionais, aplicar sanções? Soleimani tinha o pacote completo. Não adiantou nada, nunca adianta.

Faz sentido então liberar caça aos líderes? Não. É uma aposta muito alta, vai fazer o Irã acelerar seu programa nuclear, e aumentar os ataques terroristas. É uma questão prática, a curto e médio prazo o Irã será bastante afetado, mas isso terá um custo em vidas humanas e sem uma política de mudança de regime, você termina com um mártir no caixão e 20 mil sujeitos putos nas calças.

Por outro lado, a mentalidade local respeita demonstrações de força, se os Estados Unidos aumentarem as forças na região e responderem a qualquer ataque de forma desproporcional e implacável, isso pode ativar um clique na cabeça dos combatentes e a solução negociada se torna uma opção. Resta saber, Trump terá cojones pra ser implacável?

O quê o Irã não vai fazer

Existe toda uma especulação de que o Irã pode fechar o Estreito de Ormuz e bloquear boa parte do tráfego mundial de petróleo. Não vai acontecer. Se isso for feito o petróleo iraniano vai ser detido também, e assim como a especiaria, o petróleo precisa fluir. O Irã tem um comércio imenso com a China, e Beijing não vai ficar nada satisfeita em ter suas encomendas de óleo cru interrompidas.

No máximo farão ataques esporádicos, como já fizeram um tempo atrás, mas nada suficiente para interromper o tráfego. No máximo dificultar.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários