Meio Bit » Demais assuntos » Bilionário japonês quer transformar espaçonave de Elon Musk no Barco do Amor

Bilionário japonês quer transformar espaçonave de Elon Musk no Barco do Amor

O bilionário japonês Yusaku Maezawa surpreendeu quando anunciou que investiria na Starship da SpaceX. Agora ele quer usar a nave para arrumar namorada

36 semanas atrás

Elon Musk de vez em quando parece ser um sujeito zicado. Depois de ter enfiado o pé na boca, acusado um sujeito de pedofilia no resgate dos jovens na Tailândia e por pouco não ter perdido uma grana num processo, agora outro possível escândalo, envolvendo Yusaku Maezawa, seu grande parceiro no projeto da nada criativamente batizada espaçonave Starship.

O projeto da Starship vai custar caro, um bom número de bilhões de dólares, se quiser fazer um vôo tripulado para a Lua em 2024. O conceito todo é extremamente ousado. Assim como Kryptonita, uma nave espacial leva anos e custa uma fortuna, e ao contrário do Falcon 9 e da Dragon, não há grana da NASA no projeto.

Além dos investidores normais e da grana da caixinha da SpaceX, Elon Musk apresentou em uma cerimônia bem especial o aporte de Yusaku Maezawa, bilionário japonês do setor da moda, que trouxe toda uma perspectiva lúdica para o projeto.

Mais do que avanços científicos e comerciais, Maezawa ressuscitou o conceito do filme Contato, "deveriam ter mandado um poeta". Em seu projeto ele financiaria com alguns bilhões de dólares parte do desenvolvimento da Starship, e em troca faria um vôo de circunavegação lunar em 2024, junto com 6 a 8 artistas, entre poetas, escritores, pintores, dançarinos. Seria uma viagem de descoberta, de mudança de perspectiva, de toda a magina, beleza e infinito deslumbramento do Universo, reportada, em tempo real para todos na Terra.

Nah, o Maezawa quer usar a Starship pra pegar mulher.

Em um post completamente despropositado no Twitter, ele fez um "convite" para quem quiser ser a primeira mulher a viajar para a Lua, "com ele".

Em tempos de For All Mankind, com mulheres astronautas sendo celebradas na ficção e na realidade, com a NASA garantindo que (sabe-se lá quando) voltará para a Lua com a primeira americana a dar um pequeno passo para uma mulher mas um passo gigantesco para a mulheridade, imagina-se todo um cenário de papéis nobres e dignos para o belo sexo.

A idéia de mulheres como adereço de cena ou mocinhas indefesas em filmes de ficção científica é coisa do passado, queremos mais Sarah Connors e Ellen Ripleys, e menos Vic Vales gritadeiras. Queremos Niobe, Janeway, Uhura. Acima de tudo queremos que a primeira mulher na Lua esteja lá por seu próprio mérito e capacidades, não por ser bonita, apadrinhada ou lanchinho de alguém.

A proposta do bilionário japonês é mais detalhada no site oficial da idéia de jerico.

Chamado de "Full Moon Lovers", será um documentário aonde Yusaku Maezawa selecionará uma parceira, com mais de 20 anos, personalidade brilhante, atitude positiva, disposta a curtir a vida ao máximo e todos os outros clichês daquelas "entrevistas" atrás do pôster das coelhinhas da Playboy. Ah sim, ela deve "ser alguém que deseje a paz mundial".

No "racional" do projeto ele diz que está com 44 anos, sentimentos de solidão e vazio começam a tomar conta de sua alma e que ele quer amar uma mulher.

Talvez ele tenha ficado com inveja de seu chapa Elon Musk, que é tímido e desajeitado na frente das câmeras, mas no one-to-one não deixa nada a dever para Tony Stark. Musk namorou algumas beldades de Hollywood, como a roboa de Westworld Talulah Riley e a melhor ruiva molhada desde a Ariel, Amber Heard.

A diferença é que embora tenha seus lados playboy, bilionário, gênio, filantropista, Elon Musk não os mistura, no máximo vai usar parte dos circuitos da Grimes, sua nova namorada, para melhorar o sistema de inteligência artificial do módulo de navegação da Starship. Já Maezawa está literalmente trocando uma viagem para a Lua por algumas seções escrevendo o NASA Sutra.

"Ah mas há um monte de programas com essa premissa"

Com certeza, há programas de todos os tipos, The Bachelor, The Bachelorette, o Shot At Love com a Tila Tequila, minha segunda nazista favorita, a lista é imensa, mas esses programas dão como prêmio um casamento falso com alguns meses de duração, se tanto. Maezawa transformou algo que seria um prêmio inestimável para alguma artista talentosa em uma versão muito cara do lema dos hippies motorizados nos Anos 70:

A imprensa especializada está criticando bastante Maezawa, e no Twitter o consenso entre as jornalistas, vloggers e blogueiras de ciências é "yuck!". Todo o entusiasmo com a missão desapareceu, toda a imagem de mecenas espacial foi trocada por uma percepção, provavelmente correta, que Maezawa é um sujeito desesperado pra dar uma bimbada, e não está medindo despesas pra isso.

Como irá afetar o projeto? Ninguém sabe. O Japão é um lugar complicado, ainda mais nessa área relativa a sexo. A popularidade de Maezawa provavelmente não será afetada localmente, mas se isso sair de controle no ocidente, pode ser um desastre de relações públicas para a SpaceX.

Teremos Elon Musk, querendo transformar a Humanidade em uma espécie multiplanetária, terraformar Marte, do outro lado um japa tarado que provavelmente foi o bilionário misterioso que queria usar uma Dragon para viajar com um passageiro misterioso até a Lua e voltar.

Todos sabemos que Maezawa VAI gravar uma sex tape em gravidade zero e vazar isso pra Internet. Mais e mais o sonho nerd da SpaceX está se transformando em Barbarella, que não tem nada de errado, também era um sonho nerd, mas adequado para 1968.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários