Meio Bit » Ciência » Espaço » Ei USA-245, disfarça mas tem um satélite russo te seguindo...

Ei USA-245, disfarça mas tem um satélite russo te seguindo...

Um satélite russo está acompanhando de perto um satélite espião americano, em uma brincadeira de gato e rato que está deixando muita gente preocupada.

26 semanas atrás

A Guerra Fria é cheia de histórias pitorescas envolvendo embarcações e aeronaves soviéticas e americanas. Em 1988 chegaram às vias de fato, com um navio soviético abalroando dois destróiers americanos na costa da Ucrânia. Agora um satélite russo está repetindo o mesmo tipo de provocação, e quer saber? Estão fazendo direitinho.

Existem provocações que nem chegam a ser provocações, como os vôos que os russos gostam de fazer, mandando bombardeiros em patrulha na costa do Alaska e no Mar do Norte. É um teatrinho altamente ensaiado, os americanos e ingleses mandam caças para interceptar os russos, eles voam juntos por alguns minutos, depois vai cada um pro seu lado.

Esse tipo de vôo tem como objetivo além de espetar o outro lado, testar o tempo de reação do inimigo, então fica o dilema: Você reage com prontidão, mostrando aos russos o real alcance de seus radares e o tempo que leva para mobilizar seus caças, ou atrasa a resposta mas deixa o outro cara passear sem ser incomodado na costa do seu país? Guerra é divertida, ainda mais de mentirinha.

A brincadeira de hoje está mais divertida ainda, envolve um satélite de várias toneladas, do tamanho de um ônibus. Ele atende pelo nome KH-11 mas dada a pronúncia em português, vamos usar o nome alternativo USA-245.

Ele foi lançado por um Delta IV Heavy em 28 de Agosto de 2013, na missão NROL-65, que claro tem um daqueles emblemas maneiros:

O USA-245, como você já deve ter deduzido, é um satélite-espião, em uma órbita de 276Km x 1010Km de altitude, mas agora isto aconteceu:

Mais precisamente, no dia 25 de Novembro de 2019 o Kosmos-2542 aconteceu. Oficialmente um satélite de navegação, ele faz parte do Projeto 14F150 (Os russos precisam contratar o pessoal da nossa Polícia Federal pra aprender a batizar operações). Logo o satélite se posicionou em uma órbita estranhamente próxima ao USA-245.

O satélite russo então liberou um sub-satélite, que ficou acompanhando os dois.

Aos poucos os dois começaram a espelhar a órbita do satélite americano, se aproximando mais e mais. As informações são que o satélite russo tem "capacidades de observação", e não está claro a função do Kosmos-2543, o sub-satélite.

Entre 9 e 10 de Dezembro, o USA-245 modificou sua órbita, se distanciando do Kosmos-2542, mas eis que 29 de Janeiro de 2020 o Kosmos-2542 abandonou o 2543 e alterou sua órbita, igualando a do satélite americano, agora eles estão com uma diferença de plano orbital de apelas 0.55 graus, e o período orbital difere em apenas um segundo.

Em termos de distância em alguns momentos eles se cruzam a menos de 300Km de distância, o que em termos astronômicos é muito perto, o suficiente para o satélite russo fotografar e filmar em detalhes o USA-245, revelando todos os segredos que os espiões da KGB, digo, FSB porventura não tenham conseguido obter por meios tradicionais.

Esse jogo de gato e rato é extremamente irritante, e tem consequências reais. Satélites têm uma quantidade limitada de combustível, não podem ficar mudando de órbita toda hora, se o USA-245 ficar fugindo, vai perder muito de usa vida útil, e esse tipo de satélite costuma durar 15, 20 anos fácil.

Por outro lado, se não fizerem nada estão entregando de bandeja sua tecnologia pros russos, estão servindo de teste para satélites interceptadores que não vão tirar só fotos, e ainda arriscam uma colisão.

O quê Washington pode fazer? Fora xingar muito no Twitter, rigorosamente nada.

Leia mais sobre: , , , .

relacionados


Comentários