Meio Bit » Engenharia » Turismo espacial: SpaceX vai mandar quatro viajantes para além da ISS

Turismo espacial: SpaceX vai mandar quatro viajantes para além da ISS

O Turismo Espacial está chegando, e a SpaceX quer parte desse bolo. Tanto que anunciaram um vôo para além da ISS, dentro de um ou dois anos.

32 semanas atrás

Turismo espacial tecnicamente já existe, desde que Denis Tito visitou a ISS em 2001, mas por enquanto ainda é algo reservado aos muito, muito ricos. Pouca gente pode torrar uns US$60 milhões nessa brincadeira, mas como toda novidade, a tendência é baratear. Jeff Bezos e Richard Branson planejam fazer isso, e Elon Musk vem correndo pelo acostamento.

Agora a SpaceX parece que vai dar um gás, anunciando um vôo para o futuro próximo, em uma Dragon V2.

Alguns anos atrás a SpaceX anunciou que dois bilionários anônimos haviam contratado um vôo translunar em uma Dragon V2, mas depois de algum tempo a idéia desapareceu. Especula-se que ao menos um deles fosse Yusaku Maezawa, o japa tarado (perdoem o pleonasmo), que havia sido convencido a esperar mais um pouco e financiar a Starship, que teria muito mais espaço e conforto para as atividades impublicáveis que ele pretende realizar no espaço.

Agora a SpaceX e a Space Adventures anunciaram um acordo para um vôo turístico entre 2021 e 2022, que levará até quatro passageiros, mas não para a Estação Espacial Internacional, mas além.

O passeio deverá durar uns três dias, e custar menos de US$50 milhões por cabeça, e a Dragon irá atingir altitudes de uns 1000km, significativamente mais alto que os 400Km da órbita da ISS.

Desde os anos 70 nenhum homem, mulher ou chimpanzé esteve tão alto. É uma boa lembrança que as "naves" da Virgin Galactic e da Blue Origin são apenas brinquedos, fazendo vôos parabólicos ou verticais a meros 100Km de altitude, com uma fração da energia necessária para entrar em órbita.

Mesmo assim ambas as empresas estão sendo extremamente cautelosas. Um acidente com os pilotos de teste foi desastroso para a Virgin Galactic, um acidente envolvendo passageiros seria fatal para a empresa.

já a SpaceX está colhendo o efeito colateral de trabalhar com as especificações e exigências da NASA, extremamente focadas em segurança. Além de passar grande confiança ao público, elas são efetivamente seguras, diminuindo o risco de um incidente.

Se tornará rotina? Provavelmente por algum tempo, a SpaceX ainda tem um bom número de vôos contratados pela NASA, e isso gera um problema: As Dragons tripuladas pousam mas a NASA não aceita que elas sejam reutilizadas em vôos tripulados, então a Dragon voa uma vez com astronautas, o resto com cargas.

Muito provavelmente a SpaceX irá reaproveitar as cápsulas para seus vôos particulares, visto que a exigência da NASA nesse caso é exagerada, mas essa fase não irá durar muito tempo. A Starship será muito mais barata para construir e operar, e com ela o preço das passagens turísticas irã cair incrivelmente.

Não é muito difícil de enxergar esse mercado como uma das fontes de financiamento do projeto marciano de Elon Musk, e não duvido que em uns dez ou quinze anos tenhamos ministros reclamando de empregadas viajando pro espaço.

Japão. Não pergunte.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários