Meio Bit » Games » Stadia paga pouco e estúdios evitam serviço de streaming

Stadia paga pouco e estúdios evitam serviço de streaming

Contando com apenas 28 jogos, o Google Stadia vem sofrendo para conquistar os estúdios e motivos seriam a falta de incentivo e a incerteza no futuro

30 semanas atrás

Desde o seu lançamento o Stadia vem sofrendo com críticas e reclamações. Do atraso nas respostas ao comandos até jogos que não rodam com a qualidade de imagem prometida, são problemas que alguns conseguem perceber, outros parecem não se incomodar. Mas se tem algo que é inquestionável no serviço de jogos por streaming do Google, é a sua pequena oferta de jogos.

Google Stadia

Embora exista a promessa de que ainda durante este ano 120 jogos deverão aparecer na biblioteca do Stadia, até o momento apenas 28 deles estão disponíveis e de acordo com um levantamento feito pelo site Business Insider, existem dois motivos para esta falta de interesse por parte das desenvolvedoras e estúdios: a pequena quantidade de dinheiro paga pelo Google e a falta de confiança no futuro da plataforma.

Conforme explicou um importante desenvolvedor indie cuja identidade foi mantida em segredo, no caso de um novo serviço que está sendo lançado, seria natural que os criadores de jogos recebessem algum tipo de incentivo para ter suas obras por lá, mas em se tratando do Stadia eles praticamente não existem.

[O problema] é que não existe dinheiro suficiente lá. [A oferta aparentemente] foi tão baixa que nem mesmo se tornou parte da conversa.

Já um executivo de uma editora foi além, afirmando que “com o Google, é fácil olhar para eles como, bem, é o Google, mas eles falharam muito no passado e desistiram dos principais serviços.” Outro questionou: “você pode se ver entrando numa relação de longo prazo com o Google?” Para depois concluir dizendo que “devido a história do Google, eu nem sei se estaremos trabalhando no Stadia daqui a um ano”, incertezas que até levou uma pessoa a se perguntar o que os levaria a ser um dos primeiros estúdios a estarem na plataforma.

De fato, apostar num console, serviço de streaming ou seja lá o que for já no início é algo que pode ser bastante arriscado. Por outro lado, é nesse período em que a pequena quantidade de títulos disponíveis pode ajudar um estúdio a se destacar e se os indies não conseguem ver o Stadia como um bom lugar, será que a iniciativa do Google conseguirá dar a volta por cima?

Pois ao ser questionado sobre o problema, o representante do Google, Patrick Seybold, disse que nem todas as empresas revelaram quais jogos levarão para o Stadia e que mais títulos serão anunciados com o passar do tempo. Ele também fez questão citar diversas editoras de peso que estão trabalhando com a Gigante de Mountain View, como a 2K Games, EA, Ubisoft, Bethesda e Rockstar Games, o que de fato são apoios que não podem ser ignorados.

No entanto, hoje o Stadia flutua sobre uma mistura que costuma sepultar qualquer nova plataforma que se arrisca pelo mercado de games. Embora não seja exatamente um console, sempre que um videogame chegou ao mercado e teve que lidar por muito tempo com a falta de interesse das desenvolvedoras e o baixo número de usuários, o desfecho não foi dos melhores.

Se o Google será capaz de reverter esse quadro, só saberemos no futuro, mas da maneira como a coisa tem andado, infelizmente parece estarmos diante de mais um serviço de streaming que não vingará. Se isso acontecer, restarão apenas a Sony e o seu PlayStation Now, a Microsoft com o xCloud e a Nvidia com o Geforce Now. Isso se uma delas também não resolver pular do barco.

relacionados


Comentários