Meio Bit » Games » Microsoft revela especificações e detalhes do Xbox Series X

Microsoft revela especificações e detalhes do Xbox Series X

Novo console da Microsoft trará processador de 3,8 GHz e 16 GB de RAM. Armazenamento expansível do Xbox Series X usa unidade proprietária

32 semanas atrás

A Microsoft enfim revelou quase todos os detalhes técnicos do Xbox Series X: o próximo console de mesa da companhia possui especificações de ponta para suportar jogos em 4K a 60 fps reais de forma constante, além de ray tracing e maiores taxas de quadros, em alguns casos.

Microsoft / Xbox Series X

A Microsoft definiu três pilares para o Xbox Series X, que focam em potência, velocidade e compatibilidade. No primeiro quesito, temos um hardware interno de respeito, começando pelo processador AMD de arquitetura Zen 2 customizado para o sistema. Ele é um octa-core com processo de litografia de 7 nanômetros, que alcança um clock fixo simultâneo de 3,8 GHz em todos os núcleos.

Esta é uma decisão curiosa, porque Redmond está privilegiando uma operação com o Hyper-Threading desligado, embora haja a opção de ativar o recurso e adicionar mais 16 threads. Como consequência, o clock base cai para 3,66 GHz. É intenção da Microsoft que os estúdios prefiram a frequência mais alta, e de qualquer forma, ambos clocks são fixos e não há velocidades intermediárias.

O processador recebe o suporte do chip gráfico também produzido pela AMD, uma GPU customizada com base na arquitetura RDNA 2 da AMD, com 56 unidades computacionais físicas, mas que por questões de design apresenta 4 delas desativadas por padrão; isso também derruba a quantidade de shaders, de 3.584 presentes para 3.328 funcionais.

Ainda assim, o chip gráfico é capaz de executar 12,155 Tflop/s e apresenta um clock também fixo, de 1,825 GHz. Segundo a Microsoft, o chip integrado é capaz de oferecer gráficos em 4K a 60 frames por segundo reais, sem upscaling, sem marmotagens e de forma constante, embora haja também suporte a até 120 fps, provavelmente em 1080p (resolução não foi informada), para privilegiara jogabilidade sobre gráficos.

Em informes anteriores foi dito que o Xbox Series X também suportaria 8K, o que não foi mencionado no release atual. Caso esteja também disponível, é provável que jogos nesta resolução rodem a uma taxa de quadros mais baixa, como a 30 fps.

Ainda sobre potência, o suporte a ray tracing via aceleração por hardware foi demonstrado em jogos como Minecraft, com uma iluminação ambiente bem mais realista, com efeitos de luz, sombra e reflexos que mudam conforme sua posição. Outra demo, desta vez com Gears 5, demonstrou neblina volumétrica de alta resolução, 50% mais partículas do que o jogo traz no PC nas configurações Ultra e melhores texturas, rodando a 100 fps.

Microsoft Studios / Minecraft / xbox series x

Microsoft Studios / Minecraft / xbox series x

Microsoft Studios / Gears 5 / Xbox One X vs. Xbox Series X

O segundo pilar, a velocidade, mira essencialmente na arquitetura de conexões e nas unidades de armazenamento. Pela primeira vez, um console de mesa sairá de fábrica com um SSD, no caso um NVMe personalizado, com 1 TB de capacidade.

Ele utiliza PCI Express 4.0 e é ligado direto ao chip integrado, para prover maior velocidade de carregamento, permitir multitarefa (manter vários jogos e apps em segundo plano) e até mesmo retomar uma partida após o desligamento do console, ou uma atualização de sistema.

A Microsoft ressalta que o tempo de carregamento será consideravelmente menor, quando comparado com o Xbox One X.

A Xbox Velocity Architecture, desenvolvida especificamente para prover maior velocidade de execução, manterá sempre 100 GB de ativos do jogo, como sons, texturas e outros, disponíveis ao desenvolvedor de forma instantânea, como uma memória estendida.

Já um módulo dedicado de hardware será encarregado da compressão e descompressão de dados, podendo aumentar a taxa efetiva de transferência de 2,4 GHz para 4,8 GHz.

O grande ponto que está incomodando os jogadores diz respeito à expansão do espaço interno. Como forma de manter a performance e velocidade constantes e altas nos jogos exclusivos do Xbox Series X, a Microsoft preteriu o uso de armazenamento externo de jogos (com exceção dos de plataformas anteriores até o Xbox One) em HDs ou SSDs, conectados via porta USB (aqui, três 3.2 Type-A).

Como forma de contornar esse problema e, levando em conta que os jogos da nova plataforma tendem a ser cada vez maiores, a solução foi fazer a Sony e adotar uma unidade de expansão proprietária.

Desenvolvido em parceria com a Seagate, o pequeno SSD (que lembra os antigos cartões de memória do PSOne e PS2) possui 1 TB de capacidade e se conecta ao Xbox Series X da mesma forma que a unidade interna, via porta PCI Express 4.0 e diretamente ao chip integrado.

Assim, ainda que um conector físico possua ordens de magnitude menos velocidade que um barramento interno, a unidade oferecerá muito menos latência do que um HD ou SSD conectado via USB. As unidades externas ainda poderão ser usadas, mas não para games.

As dúvidas giram em torno de quanto custará a unidade de expansão (se o PS Vita serve de referência, será caro), e se Microsoft e Seagate lançarão modelos de maiores capacidades durante o ciclo de vida do console.

Sobre a memória RAM, temos 16 GB GDDR6 customizados divididos em 6 chips de 2 GB e 4 de 1 GB. Destes, 10 GB são dedicados aos jogos e contam com uma largura de banda de 560 GB/s para uma maior velocidade de renderização.

Os 6 GB restantes, que rodam a 336 GB/s, são divididos em 3,5 GB para tarefas menos pesadas e essenciais em jogos e 2,5 GB exclusivos para o sistema operacional, uma versão customizada do Windows 10.

Para encerrar o quesito velocidade, temos o controle. O design foi retrabalhado e o periférico está ligeiramente menor, permitindo mais conforto para quem possui mãos pequenas (especialmente mulheres), há um botão Share dedicado, separado dos clássicos Menu e Visão.

O D-Pad segue o estilo implementado no controle Elite do Xbox One e há um sistema de monitoramento constante dos botões, para transmitir os inputs tão logo um deles é pressionado, para reduzir a latência ao máximo.

Por fim, a compatibilidade: o Xbox Series X rodará jogos do Xbox One (segundo declarações anteriores, a biblioteca completa), do Xbox 360 e do Xbox original, com estes últimos seguindo a estratégia recentemente abandonada de retrocompatibilidade, introduzida posteriormente e em etapas. Há de se levar em conta a diferença de arquiteturas, que no caso do novo console, compartilha da mesma x86 usada na atual plataforma.

Até onde se sabe, os HDs e SSDs externos conectados via USB poderão armazenar jogos desses consoles, junto com dados de backup, músicas, fotos, vídeos e outros arquivos. No entanto, a Microsoft não esclareceu este ponto; a empresa se limitou a informar que os jogos exclusivos do Xbox Series X só poderão rodar instalados ou no SSD interno, ou na unidade de expansão.

O site Digital Foundry destrinchou completamente o Xbox Series X, e você confere detalhes profundos no vídeo a seguir:

Xbox Series X — Ficha Técnica

  • Processador: octa-core AMD de arquitetura Zen 2 (7 nm), com clock fixo de 3,8 GHz (3,66 GHz com Hyper-Threading ligado, usando 8 núcleos e 16 threads);
  • Chip gráfico: GPU customizada RDNA 2 com 56 unidades computacionais (52 funcionais), 3.584 shaders (3.328 funcionais), clock fixo de 1,825 GHz e 12 Tflop/s;
  • Memória RAM: 16 GB GDDR6 (6 chips de 2 GB e 4 de 1 GB);
  • Largura de banda da RAM: 10 GB a 560 GB/s (jogos), 6 GB a 336 GB/s (tarefas básicas em jogos e SO);
  • Taxa de transferência da RAM: 14 GB/s;
  • Armazenamento interno: SSD NVMe personalizado de 1 TB, com taxa de transferência de 2,4 GB/s (tamanho original) ou 4,8 GB/s (compactado);
  • Armazenamento expansível: unidade de expansão proprietária opcional de 1 TB, desenvolvida em parceria com a Seagate;
  • Armazenamento externo: suporte a unidades externas via porta USB (incompatível com jogos);
  • Drive óptico: leitor de discos Blu-ray 4K UHD;
  • Reprodução de gráficos: 4K a 60 fps real (base), suporte a 120 fps (resolução não informada) e ray tracing;
  • Portas: HDMI 2.1, três USB 3.2 Type-A (1 frontal e 2 traseiras), Ethernet Gigabit, PCI Express 4.0 para placa de expansão proprietária, trava de segurança Kensington;
  • Sistema operacional: Windows 10.

Quando e quanto?

O lançamento do Xbox Series X está previsto para o final de 2020, a tempo das festas do fim de ano. Não há informação de preço.

Com informações: Microsoft, Eurogamer.

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários