Meio Bit » Entretenimento » Os 9 maiores deslizes da história do cinema

Os 9 maiores deslizes da história do cinema

Erros e deslizes são comuns no cinema, mas a maioria passa batido. Alguns entretanto são tão óbvios que a gente não pode deixar de ver, e fazer listinha

05/06/2020 às 17:32

Erros de gravação, falha de continuidade, furos de roteiro, todo filme tem algum deslize, não importa se é um indie do Kevin Smith ou um blockbuster de Hollywood. Alguns são gritantes, outros mais sutis.

Nesta lista vamos conhecer alguns dos maiores deslizes da história do cinema, mas como sempre, algumas regrinhas: Falhas de continuidade simples, como a gravata do Richard Gere no Uma Linda Mulher, não entram. Também não contam erros óbvios que o diretor justifica dizendo que eram propositais, como os tênis que aparecem em Maria Antonieta.

Cats, por exemplo foi um deslize, um erro, uma falha, uma catástrofe contínua.

Também não contam coisas obscuras como o 747 de Austin Powers, que voou pela primeira vez em 1969 mas no filme ele aparece em 1967/68. E por favor, NINGUÉM se importa com o fato da Gibson ES-345 que Marty McFly toca em 1955 ter sido lançado em 1958. É por isso que você não tem amigos.

Dito isso, vamos à nossa listinha

1 - Pulp Fiction

Em cinema a mesma cena é filmada diversas vezes, tanto para conseguir variações como para garantir que nenhum erro no filme ou mais modernamente SSD suma com as imagens. Isso causa problemas pra turma dos efeitos especiais, coisas práticas como explosões, objetos ou janelas quebradas precisam ser repostos.

Em Pulp Fiction, na cena em que Jules e Vincent estão no apartamento de Brett um sujeito escondido surpreende os dois e dispara seis tiros em direção aos dois, que miraculosamente não são atingidos. Miraculosamente ou o sujeito foi stormtrooper imperial em outra encarnação. O curioso é que se você prestar atenção no momento 1’22” do vídeo abaixo, vai reparar que os furos dos tiros já estão na parede atrás dos dois, antes dos disparos.

Também não há cena da reação deles, o mais provável é que Quentin Tarantino não tenha gostado do resultado e preferiu mostrar somente do ponto de vista de Jules e Vincent, não do atirador.

2 - Gladiador

Gladiador é um filme excelente, um show de Joaquin Phoenix e Russell Crowe, com uma ótima reconstituição de época e um visual geral impressionante, apesar de tomar extremas liberdades históricas. Cómodo por exemplo realmente lutava no Coliseu, em lutas arranjadas, mas não morreu na arena. Ele foi envenenado por Márcia, sua amante, e como não morreu imediatamente foi estrangulado no banho por Narciso, seu parceiro de lutas e, aparentemente, de banheira, não que haja nada de errado nisso.

Errado foi deixarem passar um deslize que todo mundo no cinema viu e estranhou. Durante a apresentação no Coliseu, quando soldados em bigas atacam os gladiadores, uma é derrubada. É nitidamente óbvio o cilindro de nitrogênio usado pra acionar o equipamento que fazia a biga capotar na hora certa.

No vídeo abaixo é na posição 2’10” mas veja a cena inteira, é ótima.

3 - Titanic

O filme de James Cameron foi (sorry) um divisor de águas, um raro filme aonde meninas se derretem com o romance e meninos se empolgam com aquele bichão singrando os mares. Titanic foi pioneiro em usar dublês digitais em computação gráfica, a água simulada é decente até para os padrões de hoje e foi um raro momento em que o DiCaprio ficou com alguém da idade dele.

O que não impede o filme de ter seus deslizes. Um deles ocorre no Cantinho de Encoxar gente, aonde Leo leva primeiro seu amigo Fabrizio, que aparentemente não topa posar pelado pra ele, então mais tarde ele parte pro plano B, a Rose. O curioso é que entre as duas cenas a âncora na proa muda de modelo e posição, equipamento desaparece e até o chão é pintado de branco.

4 - 2001 Uma Odisséia no Espaço

Esse deslize nem está na lista por causa de sua gravidade, que é mínima, mas por causa do diretor envolvido. Stanley Kubrick era absurdamente perfeccionista, ele exigia que tudo funcionasse sem erro, por isso 2001 é um filme de 1968 que se sustenta muito bem visualmente, alguns efeitos como a caneta flutuando em microgravidade ainda impressiona.

Um erro que não é erro é a omissão da IBM. A empresa, em um show de miopia ameaçou processar a produção caso HAL fosse listado como um computador IBM, como no livro. Algum idiota engravatado achou que seria danoso pra imagem deles um computador ser o vilão.

Como resultado as logos da IBM foram removidas de quase todas as cenas, menos na do pouso do transporte lunar, mas esse não é o deslize.

A Discovery tinha um imenso carrossel, que giraria simulando uma fração da gravidade terrestre, Kubrick mandou construir uma centrífuga de verdade em tamanho real. Em uma das cenas nesse cenário os astronautas estão almoçando suas papinhas espaciais. Isso também é um erro, com gravidade eles não precisam comer comida de robocop, mesmo no espaço hoje em dia come-se comida normal.

O erro: Dave Bowman se serve num dispenser, coloca as bandejas em uma ordem, e quando mostram o astronauta já na mesa, a ordem das bandejas mudou. Não se sabe se Kubrick chegou a tomar conhecimento desse erro mas como não há registro de algum continuísta morto com requintes de crueldade, imagino que não.

5 - Teen Wolf

Em 1985 estreava um filme de Sessão da Tarde chamado Teen Wolf, que aqui ganhou o inacreditável título de “O Garoto do Futuro”, para aproveitar a fama de Michael J. Fox em um filme cujo nome no momento me escapa. O momento principal do filme é uma partida de basquete aonde o protagonista usa seus poderes de lobisomem para vencer o jogo. O que pouca gente viu na época, mas descobriu com os videocassetes, foi durante a comemoração um dos figurantes está com as calças abertas, e aparentemente seu bigurrilho está pra fora.

Ele discretamente ajeita a roupa de baixo e fecha as calças, mas é tudo capturado pela câmera.

Isso se tornou uma teoria conspiratória que continua até hoje. A resolução podre do VHS não permite ver mais detalhes (ainda bem) e há até uma vertente que diz que o tal figurante é uma mulher.

Será verdade? Será só a cueca? Você é o júri, você decide!

6 - Scary Movie 3 (Todo Mundo em Pânico 3)

Essa falha é imperdoável, mais que um deslize, é um desleixo, uma falta de respeito com o público e com o elenco.

Na cena a personagem de Pamela Anderson está na cozinha brigando com um armário cuja porta não fecha. O clima de tensão é brilhantemente passado pela exímia intérprete, que se assusta com uma torradeira e uma inconveniente arara. Próximo à intérprete, um rolo de papel-toalha aparece com uma folha desenrolada, mas no momento do susto o papel agora está enrolado.

Essa distração faz com que percamos o foco da exímia demonstração dramatúrgica da exímia atriz, e é um absurdo. Por esse e somente esse motivo esse erro foi aqui listado. O erro imperdoável aparece aos 2’40” no vídeo abaixo.

7 - Speed (Velocidade Máxima)

Velocidade Máxima é uma daquelas premissas idiotas que por acaso funcionam, ainda mais em épocas de absurdos. Um ônibus com uma bomba que explodirá se ele reduzir a velocidade abaixo de sei lá quanto. Aí, claro, dão um jeito do ônibus andar mais de 150m em Los Angeles sem ficar preso num engarrafamento, o que categoriza o filme como ficção científica.

Em determinado momento sabe-se lá por que, uma seção de um viaduto não foi construída, devem ter sumido com as vigas. Não, hahah isso é ridículo, tem que ser um Estado muito falido pra algo assim acontecer.

O Ônibus então faz um salto impossível com uma rampa que aparece e desaparece, mas o deslize é outro: Os artistas de efeitos visuais fizeram um ótimo trabalho apagando parte do viaduto, só esqueceram de um pequeno detalhe: Remover a sombra do viaduto real.

8 - Bad Boys

Não, não é o filme de Michael Bay de 1995. Esse Bad Boys é outro, e muito mais bad. É de 1983, dirigido por um tal Rick Rosenthal, que depois se tornou basicamente diretor de seriado de tv. Não que ele se importa, Rick não está nem aí pra hora do Brasil.

Em seu Bad Boys, que incrivelmente tem Sean Penn no elenco, há uma cena de luta, algo notoriamente complicado de filmar. Rick queria mais de um ponto de vista, mas como provavelmente não tinha tempo pra isso, resolveu usar mais de uma câmera.

Até aí tudo bem, mas lembra que eu falei que Rick não está nem aí? Pois é. O segundo cameraman aparece em toda sua glória, quase como um documentarista. Na posição 0’12” no vídeo abaixo, na esquerda da imagem.

9 - Quantum of Solace

Essa é uma daquelas falhas que a gente pode culpar diretamente o diretor. Muito provavelmente o Marc Forster reclamou que o figurante varrendo o chão estava fazendo barulho ou levantando poeira. Sem muita opção o coitado, que não ganha o suficiente pra isso, deve ter sido instruído por algum assistente a não varrer de verdade mas parecer que está varrendo, faz mímica, sei lá, não quer ser ator? Se vira.

O sujeito se virou, e “varreu” a dois palmos do chão.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários