Meio Bit » Hardware » Chips ARM Apple Silicon podem encerrar parceria com AMD

Chips ARM Apple Silicon podem encerrar parceria com AMD

Próximos Macs com processadores ARM Apple Silicon contam com GPU própria, que supostamente superam as dedicadas (da AMD inclusive) em performance

08/07/2020 às 10:30

A transição da Apple na linha Mac, saindo dos processadores Intel para seus próprios Silicon com arquitetura ARM deixou muitas perguntas no ar, sendo uma delas o destino da parceria com a AMD: a companhia fornece GPUs dedicadas para algumas configurações, mas os novos chips também contarão por design com um controlador de vídeo integrado.

A maçã, por sua vez deu indícios de que está fazendo um trabalho melhor do que AMD (e nVidia) em desenvolvimento de placas de vídeo, e dessa forma, o acordo estaria na corda bamba.

Apple / arquitetura dos chips ARM Silicon para Macs / amd

Durante o keynote especial da WWDC 2020, a Apple não deu grandes detalhes sobre como será feita a transição no que toca à AMD, hoje fornecedora de GPUs dedicadas para alguns modelos de Macs, especialmente o Mac Pro, que recentemente recebeu uma nova opção de configuração com a placa de vídeo Radeon Pro 5500X. O foco na apresentação foi voltado ao distanciamento da Intel e o ganho que serão os novos chips trarão para a plataforma em processamento.

No entanto, em uma apresentação fechada voltada para desenvolvedores, corroborada pela documentação oficial fornecida pela Apple, deixa bem claro que os chips Apple Silicon contarão com GPUs integradas por padrão. Basicamente é uma revisão do design já usado nos chips Apple AX e AXX, que hoje equipam iPhones e iPads, e é a mesma base de outros designs ARM de SoCs de fabricantes como Samsung (Exynos) e TSMC, esta fornecedora de Cupertino e outros, como Qualcomm e Huawei.

Oficialmente a Apple não diz uma vírgula sobre como a AMD será posicionada neste cenário futuro, mas a lógica diz que se seus futuros Macs trarão controladores gráficos integrados, a manutenção de um acordo com a fabricante rival da nVidia (que perdeu espaço junto à maçã em 2017) seria redundante.

Num primeiro momento, você vai pensar que uma placa integrada não terá a mesma performance de uma GPU dedidcada, e isso é verdade na totalidade dos casos atuais. No entanto, a Apple demonstrou como um chip ARM (no caso o Apple A12Z Bionic, que equipa o iPad Pro) se comporta rodando o beta do macOS Big Sur.

Na apresentação, o VP de Ferramentas e Engenharia de Frameworks Andreas Wendker exibiu o Maya e a demo do jogo Shadow of the Tomb Raider sendo executados via Rosetta 2, o software que emula a arquitetura x86 no ARM (pule para 1:40:21):

Segundo a Apple, a resposta para esta performance está na forma como a GPU renderiza os gráficos. GPUs integradas da Intel e dedicadas da nVidia e AMD usam Renderização de Modo Imediato (Immediate Mode Rendering, ou IMR), que calcula toda uma cena de uma vez, para depois decidir quais pixels deverão ser exibidos. Para a Apple, este método é ineficiente e menos do que o ideal.

Assim, os chips Apple Silicon usam a mesma arquitetura PowerVR da Imagination Technologies, empregada desde o Apple A11 Bionic, com uma técnica chamada Renderização Diferida Baseada em Blocos (Tile Based Deferred Rendering, ou TBDR): ele captura a cena inteira, a divide em setores (blocos) e estes então são renderizados separadamente, poupando largura de banda e processamento.

A Apple acredita que o TBDR é um design melhor do que o IMR para um chip com GPU integrada, permitindo consumir menos energia e manter uma performance alta na renderização. Como a AMD se encaixaria neste cenário é a grande incógnita, mas os documentos liberados pela maçã dão a entender que ela irá rodar junto com a Intel, num futuro próximo.

Apple / comparação de especificações entre GPUs Apple e outras

Na documentação oficial, a Apple anota que os desenvolvedores "não devem assumir que uma GPU dedicada significa maior performance", sugerindo que a GPU do Apple Silicon (que ninguém viu ainda em ação) pode vir a superar placas de vídeo dedicadas, sejam da nVidia ou da AMD, permitindo que Cupertino deixe de depender de outro fornecedor.

Isso não quer dizer que um Mac será uma máquina ideal para jogos, até porque os modelos com ARM não serão compatíveis com o Boot Camp, e a Microsoft não fornece o Windows 10 ARM para usuários finais, apenas para OEMs. Por outro lado, os futuros computadores da Apple poderão oferecer melhor performance do que PCs com Windows ou Linux em programas pesados como AutoCAD, Adobe Photoshop, Maya e outros.

Por enquanto, a Apple pretende lançar novos modelos de Macs com processadores Intel, o que permitirá à AMD continuar fornecendo suas GPUs por um tempo; assim, só teremos certeza do destino da parceria entre as empresas quando a migração da Intel para ARM estiver perto de ser concluída.

Com informações: Apple Insider, Gizmodo.

Leia mais sobre: , , , , .

relacionados


Comentários