Meio Bit » Games » Justiça proíbe Apple de banir contas de desenvolvedora da Epic Games

Justiça proíbe Apple de banir contas de desenvolvedora da Epic Games

Epic Games garante ordem de restrição que impede Apple de bloquear a Unreal Engine em seus dispositivos; Fortnite continua banido

25/08/2020 às 10:00

A Epic Games conseguiu garantir uma primeira vitória, ainda que pequena e parcial, contra a Apple: na segunda-feira (24), a juíza Yvonne Gonzalez Rogers, da Corte Distrital do Norte da Califórnia restringiu a maçã de banir as contas de desenvolvedora do estúdio, retaliação ao lançamento de uma loja alternativa em Fortnite, que não pagava a taxa de 30% sobre compras no jogo.

Por outro lado, a corte não reverteu a decisão da Apple de banir Fortnite do iOS, caso este que será decidido posteriormente.

Epic Games / Fortnite

No documento (cuidado, PDF), a juíza Rogers determinou uma ordem de restrição contra a Apple de efeito imediato, assim, a companhia fica judicialmente proibida de levar a cabo sua promessa de banir as contas da Epic Store no dia 28 de agosto, como havia determinado anteriormente.

A juíza cita que a medida foi tomada tendo em vista proteger os interesses dos desenvolvedores, e não da Epic Games, que dependem das ferramentas fornecidas pelo estúdio em seus Macs e iPhones, citando nominalmente a Unreal Engine, um dos motores gráficos mais populares e acessíveis do mundo.

Segundo Rogers, a ação da Apple desencadearia "danos significativos em potencial" tanto na Unreal Engine, quanto na indústria como um todo, de games a cinema, RV, TV e outras aplicações.

Dessa forma, a decisão judicial reconhece que embora a distribuição PC/Mac, ou Android/iOS seja bem desigual no quadro completo, boa parte dos desenvolvedores e designers gráficos que fazem uso da Unreal Engine e demais ferramentas da Epic Games trabalham com computadores e dispositivos móveis da Apple, assim, permitir o bloqueio desses recursos seria inaceitável.

A juíza conclui que "Apple e Epic Games tem todo o direito de ir à litígio uma contra a outra, mas suas disputas não podem causar mal a observadores externos (desenvolvedores e usuários)".

No seu entendimento, Cupertino reagiu de modo severo e deliberadamente buscou prejudicar terceiros, de modo a usa-los como um escudo contra a rival, o que pesou contra a Apple na decisão.

Epic Games / tech demo da Unreal Engine 5 rodando no PlayStation 5

Demo da Unreal Engine 5 no PS5 (Créditos: Epic Games)

No entanto, a Epic Games não conseguiu reverter na justiça o bloqueio de Fortnite em mais de 1 bilhão de dispositivos iOS: no documento, a juíza Rogers cita que a desenvolvedora ainda precisa provar que a ação da Apple caracteriza um caso de antitruste.

O documento cita que embora existam questões reais a respeito da taxa de 30%, praticada tanto por Apple quanto Google, Microsoft, Valve e outras plataformas, "dificilmente um especialista recomendaria a alternativa de não pagar nada", a real intenção da Epic Games.

A juíza Rogers inclusive demonstrou a latente hipocrisia da Epic Games, buscando tratamento especial (conforme alegado pela Apple), mas que não é nenhuma ONG e monetiza seus produtos, seja com itens cosméticos (Fortnite), ou com cobrança de royalties após US$ 1 milhão em receita (Unreal Engine).

Mesmo a Epic Games Store cobra uma taxa de 12% dos desenvolvedores que vendem seus produtos e jogos em sua loja, e a empresa já foi pega usando de táticas similares às de seus rivais.

Por fim, a Epic não conseguiu provar a acusação de "dano irreparável" à empresa e ao mercado de games causado pelo banimento de Fortnite do iOS, visto que ela admitiu ser capaz de reverter facilmente a atualização que introduziu a loja alternativa, algo apontado pela Apple como a condição inegociável para encerrar a disputa.

Vale lembrar que a juíza Rogers já decidiu um caso similar no passado (o questionamento da taxa de 30% e acusações antitruste) em favor da Apple, e há a possibilidade que o caso se repita quanto ao ban de Fortnite.

Já a Apple pode ser impedida em definitivo de banir as contas de desenvolvedora da Epic Games, caso a medida seja considerada injusta e prejudicial ao mercado e usuários.

Com informações: GamesIndustry.biz

Leia mais sobre: , , , .

relacionados


Comentários