Meio Bit » Ciência » Quem diria, Marte é um planeta ideal para mutantes

Quem diria, Marte é um planeta ideal para mutantes

Mutantes são problema na Terra, mas podem ser a solução em Marte. Há uma mutação que os torna especialmente adaptados à vida no planeta vermelho

28/09/2020 às 19:15

Filmes como Total Recall previram que Marte teria uma população de mutantes, criada por falta de proteção contra radiação e sistemas ruins de filtragem de ar. Ironicamente agora parece que mutantes serão sim bem-vindos em Marte, mas eles sairão da Terra. E sim, eles já existem.

Total Recall estava certo. Tomara. (Crédito: Splash News)

Uma das primeiras coisas que a gente aprende é que o dia tem 24 horas. Mais tarde aprendemos que tem 24 horas e uns quebrados. Mais tarde ainda a gente aprende que existe dia solar, dia sideral, dia sinódico e no final eu chuto o pau da barraca e defino que amanhã é quando eu acordo e pronto.

O dia de 24 horas parece absolutamente natural para nós, e é. Acordamos com o nascer do Sol, com o cair da noite nos tornamos mais letárgicos logo cedendo ao sono. Antigamente achava-se que esse ciclo de atenção, letargia, sono era controlado pelo ciclo do nascer/pôr do sol, mas é mais complicado que isso.

Durante o período de (mais ou menos) 24 horas temos estágios de atenção diferentes, com variações hormonais, de temperatura, pressão, etc. Chamamos a isso de Ritmo Circadiano.

O Ritmo, ou Ciclo Circadiano. (Crédito: YassineMrabet - Domínio Público - Wikimedia)

Agora o mais fascinante: Se você isolar uma pessoa, fora da luz do dia, ela continuará a viver em um ritmo de 24 horas e uns quebradinhos. A influência externa pode afetar nosso ritmo circadiano, por isso luz acesa é péssima pro sono, embora mantenha os monstros debaixo da cama.

Nós temos um relógio biológico que regula o ritmo circadiano, esse relógio está sincronizado com a duração do dia no Planeta Terra e não é por acaso. É um lindo exemplo de como a Evolução funciona em escala planetária.

Basicamente se você é proto-rato burro que gosta de sair de noite, quando os predadores estão mais alertas, você não vai deixar descendentes. Se você não tem hora pra dormir, não vai conseguir acompanhar o resto do seu bando e vai acordar sozinho na toca.

Ratos voadores preferem dormir de dia e caçar de noite. (Crédito: Mike Lehmann - CC-BY-SA-2.5)

Para mamíferos de sangue quente e indefesos, a melhor estratégia é todo mundo estar acordado e alerta durante o dia, dormir durante a noite e sonhar com um Meteoro pra dar um jeito nos malditos dinossauros.

E sim isso vale pros mamíferos noturnos, que vivem em regiões sem muito lugar pra se esconder durante o dia e é mais vantajoso dormir de dia e caçar de noite.

Ritmos Circadianos não existem somente em mamíferos. Estão presentes em outros animais, plantas e até em formas de vidas unicelulares. Em cianobactérias conseguimos até determinar os três genes responsáveis pelo ritmo. E mais: Testes com bactérias sem ritmos circadianos mostraram que elas perdem quando competem com cianobactérias funcionando em um ritmo de 12 horas de luz/12 horas de escuridão.

E no Espaço?

Sono sempre foi um problema pra astronautas, mesmo descontando a insônia causada por perceber que você está dentro de uma lata de tomates caindo a 28000Km/h e só não morrendo porque enquanto cai você erra a Terra.

A NASA aloca 8,5 horas de sono para os astronautas, que em média dormem 6 horas, e as luzes na Estação Espacial Internacional são mantidas num ritmo de 12 horas acesas / 12 horas em modo noturno mas seu ritmo circadiano é afetado por iluminação de telas de computadores, passagens pela Cúpula, aonde visualizam um nascer ou por do sol a cada 45 minutos, e quando há alguma acoplagem o ciclo de iluminação é interrompido.

ISS e controladores seguem o ritmo normal de 24 horas (Crédito: NASA)

E na Terra

Existe um outro grupo que sofre com o Ritmo Circadiano, e a culpa é de... Marte.

É um fato pouco conhecido, mas os robôs da NASA em Marte não têm faróis, e eles precisam de muita energia pra se manter aquecidos. Com temperatura média de -62 graus, Marte é bem frio e de noite esfria mais ainda. A maior parte do trabalho acaba sendo feita de dia, mas há um problema.

Enquanto na Terra um Dia Solar tem 24 horas 3 minutos e 56.555 segundos, em Marte o dia dura 24 horas, 39 minutos e 35 segundos.

Imagine um dos funcionários da NASA operando a Curiosity, Insight ou outras sondas marcianas. O sujeito tem que estar no console quando o Sol estiver nascendo em Marte, mas a cada dia esse horário avança 35 minutos.

O pobre coitado tem que sair de casa cada vez mais cedo pra se manter sincronizado com Marte.

A maioria acaba chutando o pau da barraca e adotando o ritmo marciano, o que causa extremo estresse físico e mental, depois de algum tempo. Imagine você não só vivendo num ritmo diferente do ciclo dia/noite, mas também um ritmo que todo dia você tem que modificar em uma meia-hora.

Isso é absolutamente insano, mas é o que vai acontecer em Marte, quando começarmos a colonizar o planeta. Humanos acostumados a um dia de 24 horas e uns quebrados, com um ritmo circadiano de 24 horas e 11 minutos terão que se adequar a 24 horas e 40 minutos.

Ou não.

Eles estão entre nós. Disfarçados, escondidos, o Homo superior, infiltrado entre os pobres Homo sapiens. São mutantes, gente (mutantes são gente? Preciso consultar o Senador Keene) que nasceu com uma mutação no gene CRY1. Essa mutação faz com que o ritmo circadiano passe para um período de 24 horas e 30 minutos.

Precisamos falar sobre o problema mutante (Crédito: Marvel Comics)

Bingo!

Na Terra esses mutantes, que chegam a 1% da população vivem vidas inquietas, com dificuldade de se adequar ao ritmo dos humanos, sofrem com distúrbios do sono, problemas de temperatura e fadiga.

Em Marte esses mutantes se sentiriam perfeitamente encaixados no ritmo do planeta. Claro, é um tratamento radical para insônia, mas se a NASA for esperta vai colocar a mutação como ponto a favor de candidatos a astronautas.

De qualquer jeito, mesmo que decidam que Marte é só para Humanos e proíbam a entrada de mutantes, a longo prazo é inevitável: a Evolução falará mais alto e começarão a nascer crianças marcianas adaptadas ao dia de 24h39min.

Nós já nos adaptados e vamos nos adaptar de novo. É um processo contínuo. 600 milhões de anos atrás o dia tinha 21 horas. Agradeça à Lua por tornar os dias mais longos e fazer as sextas-feiras demorarem mais a chegar. Em Marte, pelo menos, não teremos esse problema.

Fontes:

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários