Meio Bit » Games » Shinji Mikami fala sobre chegar ao auge como game designer

Shinji Mikami fala sobre chegar ao auge como game designer

Será que os game designers atingem o seu auge criativo antes dos 40 anos? Pois é nisso o que acredita o criador do Resident Evil, Shinji Mikami

19/10/2020 às 10:17

Trabalhar com a criação de games não é uma tarefa simples. Se desenvolver um jogo de pequeno porte já pode consumir uma boa quantidade de dinheiro e muito tempo, imagine estar a frente de uma projeto de grande porte, tendo que lidar com toda a pressão de uma empresa imensa e pior, sabendo que o atual projeto precisa ser melhor que o antecessor. Pois esta tem sido a vida de Shinji Mikami pelas últimas três décadas.

Shinji Mikami

Crédito: Divulgação / Bethesda

Considerado um dos principais game designers nascidos no Japão, o seu currículo fala por si só. Um apaixonado por terror, ele se destacou na Capcom após dividir com Satoshi Murata a criação do memorável Goof Troop (SNES), o que lhe rendeu o direito de dirigir um dos jogos mais adorados do mundo, Resident Evil. Depois ele ainda seria o responsável por outro sucesso da empresa, o Dino Crisis, mas aquela que é considerada a sua obra-prima, o Resident Evil 4, só apareceria bem depois, lá em 2005.

Após esse período Shinji Mikami deixou a Capcom, tendo passado pela Clover Studio, pela PlatinumGames e atualmente estando na Tango Gameworks, sendo que nas três desenvolvedoras também ajudou na criação de ótimos jogos. Mas mesmo com uma provável longa carreira pela frente, seria possível dizer que o melhor momento do game designer ficou no passado? Pois de acordo com ele mesmo, a resposta é positiva.

A opinião foi emitida por Mikami enquanto participava de um documentário sobre o surgimento do gênero survival horror, quando disse o seguinte:

Você muda dependendo da experiência que adquire. Quando é jovem você possui um bom senso de fazer as coisas. A sua energia, seu coração e a sua resistência são melhores quando é jovem. Contudo, você não tem experiência, então, mesmo que tenha bom senso, você não é maduro o suficiente para compilar as coisas ou mostrá-las de maneira simples aos jogadores.

Por outro lado, quando você ganha experiência, se torna mais efetivo em satisfazer os jogadores. Contudo, o seu gosto começa a desaparecer. Fazer um jogo também requer bastante energia, você gasta muito tempo, então há um pedágio mais alto para a sua resistência.

No geral, acredito que o auge de um criador de jogos é na casa dos 30, se você combinar todas as habilidades. Eu criei o Resident Evil 4 quando tinha 39, acredito que me encaixo nesse auge. Eu poderia citar alguns exemplos de outros criadores além de mim, mas geralmente acho que você vê muitos criadores que fizeram seus melhores jogos durante os 30. Depois dos 40 você percebe o quanto de energia é necessário quando está se fazendo um jogo, honestamente começa a ficar mais difícil.

Shinji Mikami ainda disse que com a experiência vem a vontade de tornar seus jogos perfeitos, mas as falhas sempre estarão presentes. Além disso, como um veterano a pessoa tende a enxergar melhor os riscos envolvidos num projeto, e por isso normalmente elas evitam ideias malucas, tornando-se um desafio maior entregar algo realmente novo.

Pois mesmo não gostando muito da ideia de que existe algo como um prazo de validade para os game designers, acho esse ponto de vista muito interessante e pensando no que o criador do Resident Evil disse, não consegui lembrar de criadores que produziram seus melhores jogos numa idade mais avançada. Talvez isso se deva realmente a esse maior receio, no conceito defendido pelo próprio Mikami de que os idosos gastam muito tempo tomando decisões; talvez esteja no fato de que muitos desses profissionais acabam mudando de cargo com o passar do tempo, mas parece mesmo haver uma tendência aqui.

Mas independentemente do motivo, fiquei surpreso com a sinceridade do japonês. Não é todo dia que vemos um artista afirmar que o seu auge já passou e mesmo acreditando que tais palavras não serão suficientes para fazer com que os fãs não experimentem o seu próximo trabalho, o Ghostwire: Tokyo, desconfio que os responsáveis por colocar dinheiro no estúdio de Mikami (agora a Microsoft) não devam ter gostado muito dessa história.

Caso queira ver o documentário Shinji Mikami, the birth of the survival horror game, ele está disponível abaixo, inclusive com legendas em português.

Fonte: Video Games Chronicle.

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários