Meio Bit » Robótica e IA » Disney Research apresenta robô que possui "Olhar 43"

Disney Research apresenta robô que possui "Olhar 43"

Novo animatrônico da Disney Research apresenta movimentos oculares realistas, similares aos que humanos fazem mesmo sem perceber

04/11/2020 às 13:06

Que só tem bruxos na Disney Research não é novidade a muito tempo. O grupo de laboratórios, junto com a Disney Imagineering, o braço de engenharia e P&D da casa do Mickey, é responsável pelo desenvolvimento de uma série de tecnologias estado da arte, inicialmente para uso nos parques da empresa e outras iniciativas, como cinema e TV, mas que não raro são empregadas em outras aplicações.

A novidade da vez é uma nova cabeça robótica, parte dos famosos animatrônicos da Disney, que é capaz de realizar uma série de expressões naturais, até mesmo fazer contato visual.

Não é uma gracinha? (Crédito: Disney Research)

Não é uma gracinha? (Crédito: Disney Research)

Os áudio animatrônicos da Disney encantam o público desde os anos 1960, com Pierre, o passarinho robô que Walt comprou em New Orleans e decidiu aprimorar, ao Salão dos Presidentes, que conta com robôs realistas de todos os presidentes dos Estados Unidos. E sim, tem um do Trump também.

Por mais que hoje tenhamos CGis de altíssima qualidade, há uma certa magia em interagir com bonecos físicos, que falam e demonstram expressões, seja do Abraham Lincoln, da Ariel ou da Bela, em exposição na Tokyo Disneyland:

A Bela é o atual ápice de uma tecnologia que vem sendo refinada a quase 60 anos, em movimentação e principalmente expressões, mas sempre é possível melhorar, o que nos traz ao novo artigo (cuidado, PDF), uma pesquisa conjunta de profissionais da Disney Research, Disney Imagineering, CalTech e Universidade de Illinois.

A cabeça animatrônica apresentada no estudo não possui pele, o que lhe dá um ar sinistro e a faz cair direto no Vale da Estranheza, mas é necessário para observar o funcionamento dos diversos servo-motores que controlam os olhos. A pesquisa se concentrou em recriar os movimentos oculares reais de uma pessoa, em diversas atividades, o que inclui até mesmo micro-movimentos involuntários, que fazemos sem perceber.

Ao mesmo tempo, o robô é equipado com um sistema de câmeras que detecta uma pessoa próxima, permitindo algo que nenhum outro animatrônico da Disney jamais fez: contato visual. A cabeça mecânica sabe onde o rosto de um terceiro está posicionado e os olhos se voltam para ele, de modo que o autômato poderia interagir diretamente com um visitante em um parque.

O vídeo é curtinho, mas fascinante:

No artigo, os pesquisadores mencionam a capacidade do robô realizar expressões não só com os olhos, mas com todo o conjunto facial (pescoço, pálpebras, sobrancelhas, lábios e mandíbula) para simular expressões fiéis a de um humano. Os olhos, em especial podem piscar e fazer até "sacadas", o movimento voluntário rápido de ambos os olhos em uma direção, e até simular a respiração.

A câmera de profundidade, por sua vez, mapeia um indivíduo próximo e analisa suas reações, permitindo que o robô responda de acordo, por exemplo, com um aceno de cabeça ou um sorriso. O algoritmo, por sua vez possui um "fator de vício", em que o interesse do animatrônico por uma pessoa diminui com o tempo, permitindo que ele volte sua atenção a outros, afinal, é uma atração voltada inicialmente para os parques da Disney, com grande fluxo de pessoas (em situações normais, claro).

Ainda assim, há algumas limitações. Os pesquisadores apontam que o foco atual dos olhos estão ajustados para o infinito, perfeitamente alinhados, o que daria ao robô um "olhar de peixe morto". Em uma interação, uma pessoa poderia perceber que o animatrônico não está olhando para ele, mas "através" dele, dando a impressão de desinteresse.

Ainda que haja desafios para criar um robô capaz de realmente interagir com uma pessoa, de forma individual (e quem sabe, até sustentar conversas personalizadas no futuro), a nova cabeça bizarra da Disney Research já demonstrou estar em outro nível, além dos atuais robôs da empresa.

Referências bibliográficas

PAN, M.K.X.J. et. al. Realistic and Interactive Robot Gaze. IEEE/RSJ International Conference on Intelligent Robots and Systems (IROS) (2020), 7 páginas, 23 de outubro de 2020.

Fonte: Disney Research

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários