Meio Bit » Games » Lançamentos por US$ 70: o “novo normal” dos games?

Lançamentos por US$ 70: o “novo normal” dos games?

Se você gosta de lançamentos de grande porte e está de olho no PS5 ou no Xbox Series S|X, prepare-se, pois US$ 70 deverá ser o padrão para tais games

18/11/2020 às 11:09

Com todas as maravilhas trazidas pelo avanço da tecnologia, a nova geração de consoles está entre nós. Contudo, além de todas as incertezas trazidas por aparelhos que ainda não foram testados em larga escala, como por exemplo um problema no PS5 que supostamente está relacionado ao modo descanso, há também uma novidade que tem desagradado muitas pessoas, que são os lançamentos de grande porte com preços mais altos que os praticados até então.

Lançamentos de games serão mais caros

Crédito: Dori Prata/Meio Bit

O primeiro indicativo de que tanto o PlayStation 5 quanto o Xbox Series S|X veriam seus lançamentos saltarem de US$ 60 para US$ 70 foi dado em julho, quando a Take-Two confirmou que passaria a cobrar tal valor pelos seus games. Mas enquanto alguns tinham esperança de que aquele seria um movimento isolado, não demorou para que a Sony entrasse na dança.

Depois de afirmar que desenvolver games para o seu novo console será mais caro do que antes, o presidente e CEO da Sony Interactive Entertainment concedeu uma entrevista ao The Telegraph e ao ser questionado se acha justo os lançamentos serem vendidos por $70/£70, Jim Ryan deu a seguinte resposta:

Sim, sim, eu acho. Se você medir as horas de entretenimento oferecidas por um videogame, como o Demon’s Souls, comparadas a qualquer outra forma de entretenimento, acho que é uma comparação muito simples de se fazer.

Durante a conversa, Ryan também aproveitou para desmentir um artigo publicado pelo Bloomberg recentemente e que dizia que, de acordo com relatos vindo da própria Sony, em determinado momento a empresa chegou a cogitar lançar seus jogos por valores ainda maiores que os US$ 70 que acabou sendo estipulado. Já em relação a títulos de estúdios como a Naughty Dog chegarem ao consoles por este preço, o executivo preferiu não fazer previsões sobre coisas que podem ou não acontecer.

Microsoft e outras editoras devem aderir

Call of Duty: Black Ops Cold War (Crédito: Divulgação/Activision)

Mas se a Sony já mostrou um posicionamento favorável a este aumento no preço dos lançamentos de games, do lado do Xbox a postura tem sido um pouco mais cautelosa. Participando da conferência Jefferies Interactive Entertainment, o diretor financeiro Tim Stuart ousou tocar neste tópico e fez a seguinte declaração:

Não faremos um anúncio específico sobre o preço dos jogos first-party ainda. Então faremos isso no devido tempo. Acho que olharemos para o que as editoras farão para tomarmos a decisão correta para seus conteúdos. Se elas puderem impelir um preço premium ou um preço mais alto, então acho que se justifica. Os preço não aumentaram por — o que, algumas gerações, então não é inédito ver coisas como essa acontecendo.

E assim como defendeu Jim Ryan, o executivo da Microsoft usou como argumento a ideia de que os jogos estão ficando cada vez mais caros de se produzir e que um aumento agora representaria uma maior garantia de retorno de investimento. Há também o fato de que um reajuste no valor cobrado por um lançamento é algo que não acontece há 15 anos, além de constantemente vermos promoções nas lojas virtuais dos consoles.

Por outro lado, as pessoas que comandam essas grandes empresas parecem ignorar a maneira como hoje em dia boa parte das superproduções recorrem a diversas formas de monetização. Seja disponibilizando passes de temporadas, lançando expansões ou mesmo recorrendo a microtransações, as editoras estão sempre tentando tirar um pouco mais do nosso dinheiro com jogos pelos quais já pagamos.

De qualquer forma, as companhias citadas anteriormente no texto não são as únicas que estudam ou até já aderiram à faixa de US$ 70 para a nova geração. A Activision é uma que já adotou o novo valor para as versões do Call of Duty: Black Ops Cold War para PlayStation 5 e Xbox Series S|X, e de acordo com o CEO da IDG Consulting, outras deverão seguir pelo mesmo caminho.

Segundo Yoshio Osaki, desenvolver para a nona geração poderá custar entre 200% e 300% a mais do que antes, dependendo da franquia. Além disso, se a última revisão de preços para os games aconteceu quando o Xbox 360 e o PlayStation 3 chegavam às lojas, de lá para cá o ingresso para o cinema aumentou cerca de 39%, a Netflix viu dobrar a sua mensalidade e a TV por assinatura subiu 105%.

Sendo assim, se pensarmos que este aumentou no preço dos lançamentos seria de “apenas” 17%, será que as empresas estão erradas em fazer o reajuste? É claro que como consumidor quero sempre pagar o mínimo possível e por isso acho que o melhor é sempre protestarmos com o bolso. Um jogo está muito caro? Então podemos esperar por uma promoção ou pela queda de preço que inevitavelmente acontecerá — exceto no caso da Nintendo, é claro.

relacionados


Comentários