Meio Bit » Games » Sony fala sobre o risco de investir em novas franquias

Sony fala sobre o risco de investir em novas franquias

Com o custo de desenvolvimento aumentando, CEO da Sony admite risco de marcas inéditas e fala sobre a necessidade de equilibrar novas e antigas franquias

47 semanas atrás

Uma das maiores reclamações das pessoas em relação a indústria de games é sobre a falta de criatividade e a maneira como as empresas vivem requentando suas franquias. São incontáveis continuações para séries que estão por aí há bastante tempo, mas de acordo com um dos principais executivos da Sony, Jim Ryan, no fim das contas tudo se resume ao risco que cerca o lançamento de uma nova propriedade intelectual.

Ghost of Tsushima - Sony

Crédito: Divulgação/Sony

Ao ser questionado pelo pessoal da revista GQ se com o PlayStation 5 a empresa repetirá a estratégia do seu antecessor, que foi de lançar vários títulos exclusivos e cobrar um preço cheio por eles, o CEO da Sony Interactive Entertainment fez a seguinte afirmação:

Nós investimos muito organicamente ao longo da geração PS4, mais do que as pessoas percebem. Nós adicionamos a Insomniac Games através de aquisição. Estamos fazendo ótimos jogos agora e certamente planejamos continuar fazendo ótimos jogos.

O problema com esses jogos de grande porte é que eles precisam de uma ‘bilheteria’. Eles custam mais de US$ 100 milhões para serem feitos hoje em dia e para que isso possa acontecer e possamos trazer novas propriedades intelectuais ao mercado — o que é uma coisa muito arriscada e nós fizemos quatro vezes durante a geração PS4 — você precisa ter uma bilheteria.

Temos uma organização de gestão que se concentra nos estúdios individuais e uma das coisas que olhamos bastante é para o portfólio e olhamos para o equilíbrio entre novas iterações de séries muito adoradas, como God of War ou Uncharted, e para agitar as coisas com novas propriedades intelectuais, como Horizon Zero Dawn ou Ghost of Tsushima. Nós pensamos sobre isso muito profundamente e com muito cuidado.

A bilheteria a que Ryan se refere e o valor que costuma ser cobrado por um jogo quando ele é lançado. Como a pergunta feita pelo entrevistador deixava subentendida a estratégia da Sony de não surgir com algo nos moldes de um Xbox Game Pass, o executivo voltou a defender que um serviço de assinatura como este não é algo sustentável, pelo menos não para a sua empresa.

Porém, ao conversar recentemente com a agência de notícias TASS, o mesmo Jim Ryan fez questão de lembrar que a Sony já conta com algo que funciona como um serviço de assinatura, o PlayStation Now, mas sem entrar em maiores detalhes, disse que “na verdade há novidades por vir” em relação a isso. A semente plantada por ele obviamente empolgou quem pretende adquirir um console da empresa, mas como disponibilizar lançamentos desta maneira não parece estar nos planos e hoje eles já contam com a oferta de jogos mediante uma assinatura, o que poderiam estar tramando?

Crédito: Dori Prata/Meio Bit

Enfim, outra coisa que chamou minha atenção foi quando Jim Ryan disse que o PlayStation 4 recebeu quatro novas franquias, o que está bem longe de ser realidade. Durante a oitava geração, aqueles que investiram num console da Sony tiveram acesso a vários jogos que não se tratavam de continuações, e só para citar alguns além dos dois que ele já mencionou, tivemos o Bloodborne, Days Gone, Dreams, The Last Guardian, Marvel's Spider-Man, Driveclub, Knack, The Order: 1886... E isso sem falar em alguns que depois foram parar no PC, como o Detroit: Become Human ou o Death Stranding.

Ou seja, mesmo entendendo que apostar na criação de uma nova marca seja algo bastante arriscado, está claro que existe espaço para títulos que terão encontrar o seu público. Eu não sei dizer se todos estes que citei deram o retomo financeiro que a Sony desejava, mas posso garantir que muitas pessoas ficaram felizes por poder experimentar algo novo, mesmo que o resultado final não tenha se mostrado tão bom quanto elas gostariam.

Fica portanto a esperança para que com o PlayStation 5 tenhamos acesso a tantas novidades quanto vimos no seu antecessor. Contudo, como ter uma base instalada grande aumenta consideravelmente a chance de vender novos jogos, provavelmente ainda teremos que esperar um pouco para ver a chegada de novas franquias.

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários