Meio Bit » Games » Após abuso de poder no Dota 2, Valve mudará política de banimentos

Após abuso de poder no Dota 2, Valve mudará política de banimentos

Contrariado numa partida de Dota 2, cocriador do Firewatch acabou banindo um jogador e caso mudará a maneira como empresa lida com banimentos

24/11/2020 às 9:55

Controlar a comunidade criada em torno de um jogo online não é uma tarefa das mais fáceis. São trapaceiros tentando estragar a diversão dos outros, pessoas com comportamentos tóxicos e até mesmo falsas denúncias apenas porque alguém não soube perder. Por isso empresas gastam uma grande fortuna para tentar manter esses ambientes o mais limpo possível, mas devido a um problema relacionado ao Dota 2 e um dos seus funcionários, a Valve aprendeu da pior maneira que precisa mudar.

Dota 2

Crédito: Divulgação/Valve

Tudo começou quando um usuário conhecido como “Minijuanjohndoe” publicou uma mensagem no Reddit contando a experiência pela qual havia passado enquanto jogava o MOBA  da Valve. Segundo ele, após discordar de uma estratégia proposta por uma das pessoas que estava na sua equipe e por isso entrar numa grande discussão, o jogador acabou sendo enviado para uma fila de espera de baixa prioridade, um tipo de punição imposta a aqueles que abandonam uma partida ou recebem avisos seguidos.

O que chamou a atenção foi a afirmação de que a pessoa com quem ele havia discutido — e consequentemente o banido — era um funcionário da Valve, inclusive com o sujeito fazendo a famosa ameaça de quem está numa posição de poder: “Você sabe com quem está falando? Olhe meu perfil, eu sou um funcionário do Steam.” Aquilo fez com que o jogador questionasse se era justo alguém em tal cargo utilizar seu acesso às ferramentas do Dota 2 para punir os outros apenas por ter discordado dele.

Porém, o problema é que o Reddit está repleto de gente inventando as mais mirabolantes histórias apenas para ganhar algum destaque, então faltava saber até onde o que havia sido descrito era verdade.

Pois o mistério começou a ser desvendado quando JuanitoJoãoNinguém publicou uma imagem mostrando a pontuação do seu impecável comportamento e posteriormente revelou o nome da pessoa que ele acusava, ninguém menos do que Sean Vanaman.

Já podendo ser considerado um veterano, Vanaman iniciou sua carreira em 2003 na Buena Vista Games, onde participou da equipe que propôs o conceito do Epic Mickey. Depois o game designer foi peça fundamental na criação de jogos como Wallace & Gromit's Grand Adventures, Poker Night at the Inventory e The Walking Dead, além de ficar marcado por ser o cocriador do jogo Firewatch.

O sucesso alcançado por aquele título foi tão significativo e o talento do seu criador era tão grande, que em 2018 a Valve decidiu comprar o seu estúdio e o primeiro trabalho dele na nova casa foi escrever o roteiro do Half-Life: Alyx. Por tudo isso, eu sinceramente imaginava que o sujeito fingiria que nada aconteceu ou até mesmo desmentisse o caso, mas ele publicou a seguinte mensagem:

A equipe averiguou esse caso e concluiu que o usuário claramente não merece este banimento. Contudo, mesmo que o usuário merecesse o banimento, todos nós achamos que é claro que banir usuários manualmente não é uma boa ideia, por causa de como é difícil ser objetivo em partidas de DotA em que você está. Meu erro neste caso está sendo um ótimo exemplo. Como funcionários, nós não deveríamos ter privilégios especiais enquanto estamos jogando Dota 2.

Esta vinha sendo a política informal da equipe no passado, mas claramente falhou neste caso. Ela não permanecerá informal no futuro — proibições manuais como esta não serão mais permitidas. E sinceras desculpas ao usuário u/minijuanjohndoe.

Por mais que alguém possa argumentar que o pedido de desculpas só aconteceu após Sean Vanaman ter tomado uma bronca de algum engravatado da Valve, até pela política aberta da empresa acredito que este não tenha sido o caso. Por isso acho bacana ele ter admitido o erro e afirmar que por causa disso, a partir de agora as coisas serão diferentes para quem participar de uma partida online com algum funcionário da empresa.

Pelo jeito o game designer aprendeu a lição e por mais que este não tenha sido um caso tão sério quanto os que tomamos conhecimento quase que diariamente aqui no mundo real (especialmente no Brasil), é bom ver uma pessoa com certa visibilidade dando um passo atrás e tentando dar o exemplo. Sim, o erro de Vanaman foi feio, mas prefiro acreditar que ainda há esperança.

Fonte: Dot eSports

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários