Meio Bit » Games » Gran Turismo 7 promete ser um retorno às raízes

Gran Turismo 7 promete ser um retorno às raízes

Prometendo entregar tanto conteúdo quanto nos primeiros capítulos, diretor do Gran Turismo 7 espera que fãs da série se sintam nostálgicos com novo jogo

37 semanas atrás

Eu odeio dizer isso, mesmo porque esta foi a série que fez eu me apaixonar por jogos de corrida que pendem para a simulação, mas o fato é que hoje não consigo mais olhar para o Gran Turismo com a mesma admiração de antes. Vários fatores contribuíram para isso, incluindo o foco nos eSports adotado pelo GT Sport, mas de acordo com Kazunori Yamauchi, a ideia é fazer com que o Gran Turismo 7 pareça os primeiros capítulos da franquia.

Gran Turismo 2

Gran Turismo 2 (Crédito: Divulgação/Polyphony Digital)

Ao conversar com o site Octane Japan, o game designer e fundador da Polyphony Digital foi questionado sobre o que pode ser considerada a identidade da série, o que o levou a falar sobre como o seu passado influenciou os jogos e como ele pretende aproveitar isso para entregar muito mais conteúdo do que vimos no último jogo.

Eu mesmo cresci como um entusiasta de carros cercado pela influência das fabricantes de automóveis japonesas e pela transmissão da mídia automotiva e isso também foi a força motriz por trás da minha produção. Apesar dos títulos serem jogados em todo o mundo, eu nunca esqueci que se originaram no Japão e agora sinto a responsabilidade e a missão de herdar a cultura automotiva japonesa.

No Gran Turismo 7, embora ele herde elementos inerentes como os campeonatos da FIA que foram realizados no [Gran Turismo] Sport, voltaremos ao volume [de conteúdo] completo do Gran Turismo 1 e 4, e ofereceremos a melhor experiência Gran Turismo até hoje. Então, aqueles que conhecem os antigos Gran Turismo, acho que se sentirão um pouco nostálgicos.”

Caso não tenha acompanhado a série, saiba que o GT Sport trouxe mudanças estruturais em relação aos anteriores, com o jogo sendo mais voltado para as partidas online e aos campeonatos. Isso fez, por exemplo, com que o título não contasse com a extensa quantidade de carros que se tornou comum na franquia e vários jogadores reclamaram da maneira como o jogo se distanciou daquilo que fez com que eles se tornassem fãs.

Vale citar que esta não foi a primeira vez que o game designer disse algo no estilo, já que em 2019 ele havia afirmado que o “próximo Gran Turismo será uma combinação de passado, presente e futuro.” Contudo, este interesse em criar um jogo que nos remeta aos primeiros não quer dizer que o estúdio esteja ignorando o que um console como o PlayStation 5 é capaz de fazer e um exemplo está na utilização de ray-tracing. Segundo Yamauchi, esta é uma tecnologia que exige muito poder computacional e que era difícil de ser utilizada em consoles , mas que graças ao PS5, o efeito lhes permitirá ficar muito mais próximos do realismo quando se trata da parte visual.

Gran Turismo 7 (Crédito: Reprodução/Polyphony Digital)

Conhecido pelo seu perfeccionismo, a julgar por uma declaração dada pelo japonês durante a realização do FIA Gran Turismo Championships que aconteceu em dezembro de 2020, não será apenas no ray-tracing que as pessoas envolvidas com a criação do GT7 passarão boa parte do tempo, já que esta busca por entregar o melhor jogo possível parece ser uma mentalidade que está enraizada na desenvolvedora:

Nós sempre buscamos o melhor na Polyphony Digital. Nós não queremos fazer concessões em nada. Queremos o melhor para todos e este não é mais apenas o meu pensamento, mas uma mentalidade de todos os cerca de 200 funcionários da nossa companhia.

Eles dizem no Japão que ‘o diabo mora nos detalhes’ e isso é tão verdade. Quanta atenção você presta aos pequenos detalhes, como aperfeiçoá-los, aprimorá-los até a perfeição e aplicar uma quantidade incrível de atenção a isso, este é o nosso estilo de produção.

Com o Gran Turismo 7 estando previsto para ser lançado em algum dia de 2021, estou muito curioso para ver se a desenvolvedora conseguirá não só cumprir este prazo, já que adiamentos costumam ser frequentes na Polyphony Digital justamente por este apreço aos detalhes, mas também em saber se as palavras de Kazunori Yamauchi se confirmarão. Só torço para que a espera — e até mesmo um possível adiamento — valha a pena e que eu consiga gostar mais deste jogo do que (não) gostei do GT Sport.

Fonte: GamesRadar+

relacionados


Comentários