Meio Bit » Mobile » Google vai avisar quem olha para o Android enquanto anda, mas deveria?

Google vai avisar quem olha para o Android enquanto anda, mas deveria?

Novo recurso do Google para o Android avisará usuário para olhar por onde anda, algo que ele deveria fazer desde o início

27 semanas atrás

Pouca gente resiste a olhar para o celular enquanto anda, seja o iPhone ou o Android, em casa ou na via pública, esta última uma prática perigosa para o usuário e outros em sua volta. Em diversos países, estudos, campanhas de conscientização e até leis com previsão de multa pela prática foram consideradas, mas nada deu certo para coibir o mau hábito. O Google agora quer corrigir isso.

Segundo o XDA Developers, o Android está recebendo um recurso que vai mandar o usuário olhar para a frente, quando detectar que ele está caminhando e olhando para a tela. Embora seja uma iniciativa bem intencionada, de nada adianta se o cidadão não colaborar.

Mulher caminhando e olhando para smartphone (Crédito: Candid_Shots/Pixabay)

Mulher caminhando e olhando para smartphone (Crédito: Candid_Shots/Pixabay)

Vejamos primeiro a parte técnica. O conjunto de recursos Bem-estar Digital, introduzido no Android 9 Pie, foi criado para fornecer ao usuário informações sobre o tempo de uso de apps, gerenciar notificações e como elas são exibidas, quanto tempo você passa olhando para o display, e oferece ajustes para desconectar durante a noite, ativar o modo de silêncio completo de notificações, e também ajustes para definir o tempo máximo que um app pode ser usado por dia.

Esses recursos foram criados para diminuir o vício e a dependência dos celulares Android, principalmente entre os mais jovens e mais suscetíveis. Agora como forma de oferecer mais um recurso para prover um uso saudável dos dispositivos que usam seu sistema móvel, o Google está desenvolvendo uma ferramenta de notificação específica, chamada "Heads Up" ("Atenção", em uma tradução menos literal), que vai detectar quando um usuário está andando com a cara enfiada na tela.

O recurso em si não é necessariamente uma novidade, e já foi visto em novembro de 2020. A novidade é que alguns usuários de dispositivos Google Pixel já estão recebendo atualizações que incluem a ferramenta. Ao que tudo indica, deverá levar um tempo para que ele seja implementado em dispositivos de OEMs como Samsung e Xiaomi, entre outras.

O Heads Up depende de permissões para diferenciar o que o usuário está fazendo, como separar atividades físicas de uma caminhada corriqueira, e oferece a opção de detectar a localização do usuário, provavelmente para não exibir a notificação na casa ou no local de trabalho do indivíduo, como também em ambientes fechados como um todo.

Configuração do Heads Up (Crédito: Reprodução/Google) / Android

Configuração do Heads Up (Crédito: Reprodução/Google)

O Google sabe muito bem que olhar para o celular enquanto se caminha na rua é uma prática muito perigosa, ainda mais porque motoristas fazem a mesma coisa enquanto dirigem. A notificação serviria como um alerta óbvio para quem se distrai em ambientes abertos, quando o certo seria parar, usar, guardar e seguir seu caminho.

O Heads Up reconhece também o óbvio: a notificação não substitui o velho hábito, cada vez mais ignorado, de prestar atenção e olhar por onde anda. Ainda assim, tal recurso pode acabar sendo útil para alertar usuários mais relapsos, que tendem a não tirar os olhos da telinha. Esse, aliás, é o problema.

Ainda que a ferramenta de alerta do Google tenha sido criada com uma proposta honesta de oferecer mais segurança ao usuário, ela depende do mesmo querer ser ajudado. O Heads Up não é um ajuste impositivo, pois pode ser configurado pelo dono do aparelho, nem impede o uso do celular quando em movimento, podendo a notificação ser simplesmente ignorada, se não desligada completamente.

Em geral, o usuário mobile médio não gosta de ser repreendido digitalmente, e dessa forma, qualquer tipo de ajuste que ele entenda como limitador de sua experiência de uso (usando o Android como referência, já que o iPhone é bem mais engessado em algumas situações) será desconsiderado, ou mesmo desativado, para que ele possa usar seu smartphone como desejar. Claro que é direito dele, ele pagou pelo gadget e decide como usá-lo, mas e quando esse modo de uso põe em risco sua segurança e a de outros ao seu redor?

Há quem diga que o Google está impedindo Darwin de fazer o seu trabalho, e lembra, com razão, que o Heads Up não é equivalente a motoristas que usam o celular enquanto dirigem, prática esta considerada um crime em muitos lugares. No Brasil é uma infração gravíssima do Código de Trânsito, com multa de R$ 293,47 e adição de 7 pontos na CNH.

Ainda assim, um transeunte distraído, seja com um celular ou com qualquer outra coisa, não está só colocando a si mesmo em risco, e nesse sentido, a atualização do Google é útil. O ponto é que ela não deveria ser, se o usuário se educasse para não criar situações de risco para si e outros.

De qualquer forma, o Heads Up só será realmente útil para diminuir o número de acidentes em público se os usuários se tocarem de que andar e olhar para o celular o tempo todo é uma péssima ideia, algo que deveria ser reforçado com campanhas de conscientização, inclusive em escolas. Até lá, vai todo mundo desligar o ajuste e vida de segue, sem olhar para a frente, claro.

Fonte: XDA Developers

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários