Meio Bit » Engenharia » Como disfarçar seu avião secreto: Coloque um gorila pra pilotar

Como disfarçar seu avião secreto: Coloque um gorila pra pilotar

Disfarçar um avião secreto nem sempre é fácil. Às vezes é preciso fazer algo tão maluco e surreal que ninguém acreditaria no que estava vendo

28 semanas atrás

Tocar projetos sigilosos em países mais livres é complicado. Se os russos queriam projetar um avião secreto, era só determinar uma área no mapa e quem chegasse perto, sumiria. Nos EUA, mesmo com a Área 51, muita informação vazava.

Jack Woolams e seu chapéu coco (Crédito: USAF)

Algumas vezes os projetos eram feitos a céu aberto, com um objetivo falso. Quando a CIA gastou bilhões projetando o Glomar Explorer, um navio para içar um submarino soviético, a construção foi pública. A justificativa era que o bilionário Howard Hughes, o Tony Stark da época iria explorar o fundo do oceano atrás de Manganês.

Outros projetos são absolutamente secretos, como o SR-71, o avião era transportado em uma caixa, entre a fábrica e a Área 51.

Os voos eram sempre noturnos, mas mesmo assim o avião acabou vazando.

SR-71 Blackbird sendo transportado. (Crédito: USAF)

Muito antes disso métodos criativos eram usados para ocultar projetos, como o caso o P-59, o primeiro caça a jato dos Estados Unidos.

Em 1942 ele começou seus primeiros testes, mas era uma tecnologia avançadíssima, e secreta. Ele deveria ser mantido low profile mesmo para a maioria dos soldados e aviadores na base aonde era testado.

Para disfarçar o avião secreto, criaram uma hélice falsa, de madeira, que ficava encaixada no nariz do P-59, assim quem passasse não estranharia um avião sem hélice, mas essa não é a melhor parte.

Sim, o pessoal era enganado por isso. (Crédito: USAF)

Durante os voos era comum encontrarem aviões militares, e mesmo alguns civis. Por mais que os militares soubessem manter a boca fechada, eles acabariam falando, e os civis muito mais, ao ver um avião revolucionário voando sem hélices.

A idéia para complicar a vida dos enxeridos veio de Jack Woolams, chefe dos pilotos de prova da Bell Aircraft, empresa que estava projetando e construindo o P-59 Airacomet.

Jack passou a pilotar o P-59 em seus voos de teste usando uma máscara de gorila, um chapéu coco e um charuto. Quando um avião emparelhava com ele, Jack pegava o charuto e saudava o outro piloto, antes de acelerar e ir embora.

Jack Woolams, disfarçado (crédito: USAF)

Quando os pilotos começavam a contar a história de um avião que voava sem hélice, acabavam emendando que quem pilotava era um gorila. Todo mundo soltava um “aham, claro!” e o segredo permanecia seguro, pois ninguém acreditaria em qualquer parte da história.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários