Meio Bit » Games » Steam e seus confusos critérios para jogos adultos

Steam e seus confusos critérios para jogos adultos

Desenvolvedores de Holodexxx falam sobre o processo do Steam para a aprovação de jogos adultos, que não segue padrão algum

14/05/2021 às 10:46

É um fato conhecido que o Steam nunca foi uma plataforma exatamente amigável para jogos de computador com foco em experiências para o público adulto, especificamente sexo e erotismo. A loja da Valve já foi extremamente conservadora no passado, e nenhum jogo assumidamente pr0n era aprovado.

Com o tempo isso foi mudando,  hoje há diversos jogos adultos no Steam com temática sexual, focados ou não no pr0n, embora os critérios de aprovação nunca tenham sido muito claros, nem seguirem nada próximo de um padrão. Foi o que o HDX Studio, que está desenvolvendo o jogo VR Holodexxx, descobriu da pior maneira.

Holodexxx não conseguiu entrar no Steam, mesmo após muitos ajustes e muito dinheiro gasto (Crédito: Divulgação/HDX Studio)

Holodexxx não conseguiu entrar no Steam, mesmo após muitos ajustes e muito dinheiro gasto (Crédito: Divulgação/HDX Studio)

Holodexxx se descreve como uma experiência erótica virtual realista, com um ambiente em que o jogador interage com versões digitais de atrizes reais do mercado de entretenimento adulto. O HDX Studio afirma que trabalhou em conjunto com as mesmas a fim de oferecer "uma interação positiva do sexo virtual", e seguiu os critérios que a Valve, em tese, usaria para permitir que jogos adultos possam ser comercializados no Steam.

Basicamente, o HDX Studio se apoiou em diretrizes que outros títulos teriam usado para serem aprovados, alguns com temáticas até mais pesadas que Holodexxx, e há de lembrar que alguns títulos AAA, de estúdios tradicionais, também contam com conteúdos apelativos, ainda que não totalmente pr0n. Claro que esses gozam de privilégios graças ao maior retorno, mas continuam sendo casos relacionados.

Ainda assim, a Valve não autorizou a inclusão de Holodexxx no Steam, classificando o título como "pornografia em vídeo", algo que a loja afirma não distribuir. A partir daqui, a desenvolvedora começou a gastar mais tempo de desenvolvimento para adequar o jogo às exigências da distribuidora.

A primeira versão barrada pela Valve consistia de uma experiência PG-13, estrelada por uma versão digital da atriz pr0n Riley Reid totalmente vestida, além de uma demonstração de gameplay e conteúdos censurados de outras performers. O segundo beta removeu o gameplay e incluiu outra atriz, Marley Brinx, em um ambiente virtual. Foi igualmente barrado, sob a mesma alegação vaga de "pornografia".

A terceira tentativa, que consumiu meses adicionais de desenvolvimento, trouxe um gameplay sem nudez, onde o jogador deveria interagir com a atriz através de minigames para despi-la, como já ocorre em diversos outros jogos disponíveis no Steam. Novamente a Valve barrou Holodexxx, de novo citando "pornografia".

No fim das contas, o HDX Studio alega ter perdido meses de trabalho e consumido mais de US$ 20 mil, apenas para dar com o nariz na porta, toda vez. De acordo com a desenvolvedora, Holodexxx ainda será devidamente lançado, embora não saibam como ainda (se auto publicado ou em outra loja), mas uma coisa é certa, longe do Steam.

O único elemento compartilhado por todos os três demos de Holodexxx eram os modelos virtuais das atrizes pr0n, o que o estúdio aponta como a possível causa do problema.

Subverse, uma paródia pr0n de Mass Effect, entrou no acesso antecipado do Steam (Crédito: Reprodução/Studio FOW)

Subverse, uma paródia pr0n de Mass Effect, entrou no acesso antecipado do Steam (Crédito: Reprodução/Studio FOW)

A bem da verdade o Steam sempre encrencou feio com jogos de natureza pr0n, e só de uns tempos para cá começaram a abrandar seus critérios de avaliação. No entanto, há indícios de que na ausência de critérios e padrões estabelecidos para títulos adultos, o avaliador em questão teria autonomia para decidir o destino de um game.

Isso explicaria a entrada de Subverse, uma aventura espacial que mescla uma narrativa parodiada de Mass Effect a elementos de shoot 'em ups, RPGs táticos e Dating Sims, com cenas de sexo explícito, disponível via acesso antecipado. Um avaliador mais liberal pode ter dado o sinal verde para o game do Studio FOW, estúdio de animação conhecido por seus curtas pr0n em CGi, enquanto um mais conservador recebeu Holodexxx e não aliviou. A presença de atrizes reais pode ter complicado ainda mais as coisas, justiça seja feita.

Os únicos games que parecem seguir uma espécie de critério estabelecido para distribuição no Steam, são os dos gêneros Visual Novel e Dating Sim tradicionais. Por contarem geralmente com apresentações estáticas, e por serem focados mais na história do que no sexo, eles costumam ser publicados sem muitos problemas, mas com o pr0n desligado por padrão.

O jogador deve recorrer a patches para ativar as cenas mais picantes, que podem ser distribuídos pelo próprio Steam, como é o caso de A Summer's End: Hong Kong 1986 (nota: o jogo é muito bom e tem uma trama interessante, um romance entre duas mulheres que usa como pano de fundo o retorno de Hong Kong à China, e não depende do pr0n. Recomendado), ou pela desenvolvedora por fora da loja, em que a instalação deve ser feita manualmente pelo jogador.

Visual Novels em geral, como o romance LGBTQ+ A Summer's End: Hong Kong 1986, são distribuídos no Steam com o pr0n desligado (Crédito: Reprodução/Oracle and Bone Studios)

Visual Novels em geral, como o romance LGBTQ+ A Summer's End: Hong Kong 1986, são distribuídos no Steam com o pr0n desligado (Crédito: Reprodução/Oracle and Bone Studios)

Por via de regra, boa parte dos desenvolvedores evita bater de frente com a Valve, preferindo distribuir atualizações para a inclusão de conteúdos adultos em seus jogos do lado de fora do Steam, a tentar distribuir a experiência completa e acabar sendo barrado, como Holodexxx foi. Os casos de A Summer's End, com a loja distribuindo o patch adulto, e Subverse, que é fundamentalmente pr0n, seriam exceções à regra.

Sobre o caso específico de Holodexxx, os desenvolvedores da HDX Studio questionam se a implicância com as atrizes pr0n seria replicada caso elas fossem incluídas em títulos AAA de grandes estúdios, como em cenas quentes de Cyberpunk 2077, o que levaria à Valve recusar distribuí-lo no Steam, seguindo seus próprios critérios. Vale lembrar o caso da série Yakuza, que sempre incluiu NPCs baseadas em atrizes do mercado japonês de vídeos para adultos, e dubladas pelas próprias no áudio original, ainda que elas nunca tenham aparecido nuas.

Procurada pelo site Kotaku para esclarecer quais são os critérios usados para permitir ou barrar a inclusão de jogos adultos no Steam, se é que eles existem, a Valve não se manifestou.

No mais, fica a dúvida: um jogo AAA de um grande estúdio seria permitido exibir uma atriz pr0n nua e continuar sendo distribuído no Steam? Tais critérios só valem para desenvolvedoras menores? Há um padrão para permitir que um jogo focado no sexo entre e outro não? Todas perguntas sem resposta, até o momento.

Fonte:  HDX Studio (NSFW), Kotaku

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários