Meio Bit » Engenharia » Starship da SpaceX vai dar a volta ao mundo, mas é só um teste

Starship da SpaceX vai dar a volta ao mundo, mas é só um teste

A Starship fará um vôo de teste no qual dará a volta ao mundo, e se tudo der certo teremos um espetáculo. Se der errado, também

11 semanas atrás

A Starship está sendo desenvolvida em um ritmo impressionante, a metodologia de rápida iteração da SpaceX, mais a decisão de construir o foguete literalmente à vista de todo mundo está dando a oportunidade de acompanharmos o futuro sendo criado passo a passo. Agora a empresa de Elon Musk está se preparando para um grande pequeno passo: O primeiro teste (quase) orbital.

O BFR (Big... errr Falcon Rocket) em ação. Em breve. (Crédito: SpaceX)

Graças a um documento apresentado pela SpaceX ao FCC (Federal Communications Commission), a ANATEL dos gringos, foi detalhado o teste da Starship, que deve acontecer ainda este ano.

A Starship é o nome do conjunto de dois estágios, mas também está sendo como estamos chamando a nave em si, com o primeiro estágio compreensivelmente chamado de Super Heavy.

Ele faz jus ao nome. São 72 metros de altura, 28 motores Raptor e 3400 toneladas só de combustível. Isso é o peso de um Destróier da Segunda Guerra.

Acoplado a ele, temos a Starship, mais 50 metros, 6 motores e 1200 toneladas de metano e oxigênio líquido. Esse MONSTRO de 122 metros tem o poder explosivo de um artefato nuclear pequeno, de 1.8 kilotons, então ele terá que ser BEM testado antes de ser colocado em operação regular.

É grande o bicho. (Crédito: SpaceX/Editoria de Arte)

E esses testes iniciais costumam acabar em detonações espetaculares, ao menos na fase inicial. Por isso o primeiro vôo orbital do Super Heavy, e talvez seu primeiro vôo de qualquer tipo (isso não está claro ainda) terminará na água, mas não em uma balsa. Ele é grande demais pra isso e as duas plataformas de petróleo que a SpaceX comprou para transformar em plataformas de pouso ainda estão no estaleiro sendo reformadas.

Segundo o plano apresentado pelo FCC, o Super Heavy decolará, levando a Starship. Depois da separação, ele realizará uma manobra de retorno, como os Falcon 9s fazem, mas ao invés de voltar para a base em Boca Chica, ele pousará a 32Km da costa.

Durante o desenvolvimento do Falcon 9 vários pousaram na água, de propósito, antes de arriscarem uma valiosa balsa. O pouso na água, aliás, é o procedimento padrão. O Falcon 9 mira um ponto a pelo menos 100 metros da balsa, ou mais distante se for pouso em terra, e somente quando todos os sistemas estão verdes e os sensores indicam alta probabilidade de pouso bem-sucedido ele altera a trajetória para a zona de pouso real.

Isso foi útil em 2018, quando um Falcon 9 sofreu uma anomalia, e acabou pousando na água.

Pousado (nem eu sou pedante o bastante pra usar “amerissado” a Starship continuará subindo, acelerando e atingindo velocidade orbital. Ela seguirá uma rota cuidadosamente planejada para passar sobre o mar entre Cuba e as Bermudas, principalmente Cuba.

Ninguém quer repetir o acidente em 1960, quando fragmentos de um foguete Thor-Ablestar reentraram sobre a ilha caribenha e mataram... uma vaca. O bovicídio espacial gerou protestos, 300 estudantes fizeram uma passeata em frente à Embaixada dos EUA, com direito a uma outra vaca sendo levada com um cartaz no pescoço dizendo “Eisenhower, você matou uma de minhas irmãs”. Ah sim, eu sei que ninguém perguntou, mas dizem que o nome da vaca falecida era “Rufina”.

Salvem as vaquinhas! (Crédito: SpaceX)

Passado o corredor a Starship seguirá rumo ao Leste, até dar a volta no planeta. Nesse momento serão testados um monte de sistemas orbitais, jatos de manobra, links de comunicação, comportamento dos motores... a lista é imensa, mas o vôo durará perto de 90 minutos.

Quando estiverem chegando perto do Havaí, a Starship realizará uma manobra de reentrada, religando os motores e desacelerando. Isso a colocará em uma trajetória de descida mirando um ponto a 100Km de Kauai, uma das ilhas do arquipélago havaiano.

Se tudo der certo, claro (Crédito: SpaceX)

O documento não fala nada de frota de recuperação, muito menos balsa, mas é compreensível. Há tanta coisa que pode dar errado nesse primeiro vôo que é improvável que todas as milhares de coisas funcionem perfeitamente e a Starship consiga um pouso perfeito. Eu diria que a maior chance é ela se esfarelar na reentrada, por falha no escudo térmico.

Lembre-se, foguete explodir durante teste NÃO é fracasso, é aprendizado, e espetáculo.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários