Meio Bit » Games » Need for Speed: mirando o futuro, EA prefere apagar o passado

Need for Speed: mirando o futuro, EA prefere apagar o passado

EA interrompe a venda de cinco jogos da série Need for Speed, diz que havia poucos jogadores e que foco dos estúdios passa a ser a criação de novos títulos

21 semanas atrás

Nascida no saudoso 3DO, lá em 1994, quando ainda carregava consigo o nome da revista Road & Track e ostentava um “The” no título, a série Need for Speed passou por muitas mudanças ao longo dos anos e deixou de ter o peso de outrora. Isso pode ser visto no fato do jogo que seria lançado em 2021 ter sido adiado para que a Criterion Games pudesse ajudar na criação do próximo Battlefield, mas também no súbito anúncio de que diversos capítulos deixariam de ser vendidos.

Need for Speed The Run

Need for Speed The Run (Crédito: Divulgação/EA)

Quem contou a novidade — e desagradou alguns consumidores — foi o gerente de comunidade da editora, que através do Reddit revelou que cinco títulos tiveram suas vendas interrompidas já a partir de ontem (31/5), com as suas lojas internas também sendo afetadas na mesma data. Já as partidas online continuarão funcionando, mas apenas até 31 de agosto de 2021. Na publicação ele entou explicar o motivo para terem tomado esta decisão:

A decisão de aposentar jogos nunca é fácil, mas agora estamos mudando a marcha para focar no futuro do Need for Speed. As equipes de desenvolvimento e a equipe operacional dedicaram muito tempo e paixão ao desenvolvimento, criação, lançamento e manutenção desses jogos ao longo dos anos e adoramos ver vocês jogarem. Mas o número de jogadores chegou a um ponto em que não é mais viável continuar trabalhando nos bastidores para manter [esses jogos] funcionando. Esperamos que vocês tenham conseguido muitas vitórias, drifts satisfatórios, momentos de amistosa rivalidade e horas de diversão ao longo dos últimos anos com esses jogos.

Quanto aos jogos que a EA optou por deixar de vender, são os seguintes:

  • Need for Speed Carbon (2006)
  • Need for Speed Undercover (2008)
  • Need for Speed Shift (2009)
  • Shift 2: Unleashed (2011)
  • Need for Speed The Run (2011)

Olhando para a lista, algumas pessoas poderão argumentar se tratar de jogos bem antigos e que não farão muita falta, principalmente por não estarem entre os capítulos mais populares da série. Porém, eu acredito que o importante aqui não é se alguém gosta desses títulos ou mesmo ainda os joga. O que lamento é por novamente estarmos vendo uma parte da história dos games sendo sumariamente apagada, deixada de lado como se não tivesse a menor importância — independentemente da qualidade das obras.

Eu entendo que o objetivo de uma empresa está no lucro e que se um jogo antigo está lhe dando prejuízo, o normal é que os executivos queiram cortar o mal pela raiz. Também sei que no caso de jogos de corrida existe uma complexa questão de licenciamento por trás, o que envolve desde as fabricantes dos automóveis até as músicas que escutamos durante as provas.

Portanto, é óbvio que se considerarmos todo o cenário, o mais fácil para a EA é “aposentar” mais esta parte da série Need for Speed. Isso, no entanto, não me impede de defender que a empresa poderia manter esses títulos sendo vendidos sem suas porções online, mas como não será o caso, considero a postura lamentável e acredito que seria até melhor se eles preferissem seguir o exemplo da própria empresa, lançando uma coletânea como aquela que reuniu toda a franquia Command & Conquer.

Ou seja, esta é mais uma demonstração de como normalmente a indústria dos games possui uma séria dificuldade em manter viva a sua história, muitas vezes passando a impressão de que faz um tremendo esforço para incentivar o consumidor a recorrer a saídas alternativas. Felizmente, do lado de cá parece haver mais pessoas que encaram a mídia com uma paixão e assim, aos trancos e barrancos, seguimos tendo acesso a títulos que de outra forma teriam realmente desaparecido.

Warhammer Online: Age of Reckoning (Crédito: Divulgação/EA)

Quer um exemplo? Outro dia estava dando uma olhada na minha coleção e me deparei com a caixa do Warhammer Online: Age of Reckoning, um MMO publicado pela própria Electronic Arts e que teve seus servidores desligados em 2013. Eu nunca cheguei a jogá-lo para valer e após realizar uma pesquisa, descobri que um grupo de pessoas tem mantido ele funcionando num servidor não-oficial, o Return of Reckoning.

No momento em que escrevia este texto, pouco menos de 500 pessoas estavam se aventurando por aquele mundo virtual criado pela Mythic Entertainment, número que obviamente é muito menor do que o registrado por qualquer grande jogo do gênero. Contudo, estamos falando de jogadores que, se não fosse pela dedicação de alguns fãs, simplesmente não poderiam estar vivendo esta experiência.

Quanto aos cinco Need for Speed que foram abandonados pela EA, a menos que alguém se dedique a reativar suas porções online, provavelmente nunca saberemos quantos jogadores deixarão de poder disputar corridas contra os outros através da internet. Deu até vontade de voltar a atravessar os Estados Unidos no divertido The Run.

relacionados


Comentários