Meio Bit » Games » Team Fortress 2 na Source 2? Deixe com os modders!

Team Fortress 2 na Source 2? Deixe com os modders!

Sem indícios de que o Team Fortress 2 poderia ser remasterizado para a atual engine da Valve, um grupo de fãs resolveu assumir esta árdua tarefa

11/08/2021 às 12:36

Lançado em 2007 como parte do fantástico The Orange Box, o Team Fortress 2 se tornou um sucesso que talvez nem o mais otimista funcionário da Valve esperasse. Com o tempo o jogo se desgarrou daquela coletânea e ganhou vida própria, sendo adorado pelos fãs de multiplayer e até virando assunto de estudo por parte de economistas. Mesmo assim a sua criadora parece ter cansado da brincadeira, com grandes atualizações tendo ficado no passado e o desenvolvimento vivendo uma espécie de voo de cruzeiro.

Team Fortress 2

Crédito: Divulgação/Valve

Pensando nisso, um grupo de modders conhecidos como Amper Software decidiu colocar a mão na massa e fazer o trabalho que deveria estar sendo realizado pela Valve e se tudo der certo, um dia eles pretendem lançar o Team Fortress: Source 2. Como o próprio nome dá a entender, a ideia aqui é adaptar o jogo para a versão mais nova da engine produzida pelos donos do Steam, o mesmo kit de desenvolvimento utilizado para dar vida a títulos como Dota 2 e Half-Life: Alyx.

De acordo com uma publicação feita no site do projeto, o objetivo da equipe envolvida com esta recriação é “refazer, melhorar, iterar e criar uma nova experiência Team Fortress na engine Source 2 usando o s&box.” Caso não conheça, a estrutura cujo nome é pronunciado como “sandbox” é o sucessor espiritual do Garry's Mod e como ela própria ainda está em desenvolvimento no estúdio fundado por Garry Newman, no momento o pessoal da Amper está lidando com uma ferramenta incompleta.

Há alguns meses, quando o s&box começou a liberar acesso às ferramentas da Source 2 e maneiras de criar modos de jogo customizados, nós começamos a nos perguntar: como o TF2 se pareceria se fosse adaptado para a Source 2? Sabemos que a Source 2 oferece várias melhorias gráficas, assim como uma nova engine de física. É muito mais atualizada em relação aos padrões modernos de desenvolvimento de jogos, se comparada à velha Source de duas décadas, ainda que similar em alguns aspectos. Então ver aquele jogo em uma engine moderna realmente nos interessa.

Com diversos elementos do jogo original não funcionando muito bem na nova engine, como por exemplo os efeitos de partículas ou as skyboxes, que é um método para fazer com que o estágio pareça maior do que realmente é, adaptar os mapas tem sido muito mais difícil do que alguns dos modders poderiam imaginar. Como algumas partes das fases estão sendo recriadas do zero, o processo tem se mostrado bastante lento.Contando atualmente com 20 voluntários, que vão desde level designers a programadores, a missão deste pessoal não será nada fácil. Por se tratar de um jogo multiplayer repleto de nuances e que foi lapidado ao longo de anos, tentar reproduzir tudo isso com exatidão é algo que daria bastante dor de cabeça até mesmo para um estúdio com larga experiência. Aparentemente aqueles que decidiram embarcar nesta missão tem noção da dificuldade a ser enfrentada, mas só saberemos se eles foram bem-sucedidos quando (e se) o Team Fortress: Source 2 for lançado.

Crédito: Divulgação/Valve

O grande problema em projetos assim é justamente o quão dispostos os participantes estão a sacrificar uma parte de suas vidas para criar algo que talvez nem chegue a ser finalizado. Isso normalmente faz com que o desenvolvimento se arraste por longos anos, sem falar na possibilidade de os donos da propriedade intelectual simplesmente mandarem interromper o remake.

Algo que dá um pouco de esperança aqui é o fato de a Valve normalmente ser complacente com os criadores de mods, o que já nos deu uma recriação do primeiro Half-Life e recentemente rendeu o aval para o segundo jogo da série ser remasterizado por fãs. No cenário ideal, a editora poderia até adquirir a Amper Software e colocar este pessoal para realizar um trabalho ainda incrível, fazendo com que o Team Fortress 2 aproveite a Source 2 da melhor maneira possível.

A minha única dúvida é se todo este esforço vale a pena. Até pela sua direção artística mais cartunizada, o Team Fortress 2 não é um jogo que peça gráficos muito avançados e títulos como o Titanfall 2 e Apex Legends já mostraram como é possível tirar leite de pedra usando a Source. Tudo bem que em ambos os casos estamos falando de uma versão bastante modificada da engine, mas eles deixam claro que se a Valve quiser, pode melhorar bastante o TF2 sem precisar adaptá-lo para o mais recente kit de desenvolvimento.

Fonte: GameInformer

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários