Meio Bit » Games » UFL, o jogo que tentará concorrer com FIFA e eFootball

UFL, o jogo que tentará concorrer com FIFA e eFootball

Criado por um estúdio independente europeu, UFL será um jogo de futebol gratuito que promete uma jogabilidade justa e sem recorrer ao modelo pay-to-win

14 semanas atrás

O mercado do futebol movimenta uma quantidade enorme de dinheiro anualmente e por isso várias desenvolvedoras apostam na criação de jogos baseados no esporte mais popular do planeta. Porém, a maioria desses títulos evitam se aproximar do realismo, entregando uma jogabilidade mais descontraída e o motivo para isso é a dificuldade de concorrer com dois gigantes há muito consolidados, que são as séries FIFA e eFootball. Mas para um estúdio desconhecido e o seu novo UFL, isso não parece ser um problema.

UFL

Crédito: Divulgação/Strikerz Inc.

Fundada em 2016 por acionistas da Vizor Games e Playrix com o nome Strikerz Inc., o site da desenvolvedora afirma que atualmente eles contam com a colaboração de mais de 200 pessoas, com elas estando em cinco escritórios espalhados pela Europa, em países como Belarus, Chipre, Ucrânia e Lituânia.

Ainda de acordo com os responsáveis pela iniciativa, desde o início a ideia era criar um jogo de futebol que melhorasse profundamente as partidas online e durante a Gamescom eles aproveitaram para anunciar o UFL.

Somos fãs de futebol e jogadores apaixonados — temos jogado videogames de futebol por anos e sabemos exatamente o que as pessoas querem ver em um simulador de futebol,” declarou o entusiasmado CEO do estúdio, Eugene Nashilov. “Queremos reinventar os jogos de futebol do zero, oferecendo aos jogadores ao redor do mundo uma revolucionária, empolgante e justa experiência de jogos. mal podemos esperar para compartilhar mais sobre o jogo.

As palavras do executivo podem parecer exageradamente ambiciosas, mas ao olharmos para alguns detalhes do projeto percebemos que eles estão realmente apostando alto. A começar pelo fato de o título estar sendo desenvolvido na poderosa Unreal Engine, mesmo utilizada pela Konami na próxima edição do seu eFootball e que deverá garantir gráficos de ponta.

Além disso, a Strikerz Inc. anunciou que graças a um acordo com a FIFPRO, os jogadores encontrarão no UFL mais de 5000 atletas reais para serem utilizados nos clubes que criarem, mas exceto pela presença do West Ham no primeiro trailer, nada foi dito sobre termos outras equipes do mundo real. Como este será um jogo voltado para as partidas online, imagino que o foco acabe recaindo nos clubes que criarmos, o que facilitaria muito a vida dos desenvolvedores, pois não precisariam se envolver em contratos milionários para poderem usar uniformes e escudos famosos.

Por fim, eles também fizeram uma parceria com a InStat, uma das principais empresas do mundo quando se trata de estatística e análise de performance de atletas de diversas modalidades. Juntado esses dois apoios, a expectativa é de que o UFL consiga entregar a “mais autêntica representação digital do futebol jamais vista”, conforme defendeu o diretor de marketing e desenvolvimento de negócios da FIFPRO, Andrew Orsatti.

Ainda sem uma data prevista para o seu lançamento e com a informação de que o jogo chegará aos principais consoles do mercado, estou muito curioso para ver o que surgirá desta iniciativa. No papel a ideia parece muita boa, com um novo competidor podendo trazer o ar de novidade que os amantes do futebol há muito têm esperado, mas será que isso poderá surgir de um estúdio tão novo e sem nomes conhecidos?

Digo isso porque existe uma enorme diferença entre querer desafiar marcas estabelecidas e de fato conseguir incomodá-las. Se voltarmos à década de 90 veremos diversas empresas de muito maior porte que se arriscaram neste ramo, como por exemplo a Sega (Virtua Striker), a Capcom (Soccer Shootout) e até mesmo a Namco (Libero Grande), mas sem nunca ter feito frente àquelas que seguem até hoje se revezado na liderança deste mercado.

Com sorte o UFL não será apenas uma daquelas boas intenções que que nunca conseguem se concretizar, com o espírito independente daqueles que o estão criando sendo suficiente para nos entregar uma experiência tão boa quanto vem sendo prometido. A proposta já começa bem ao sabermos que, mesmo sendo um jogo gratuito, ele quer entregar uma jogabilidade onde o que fará a diferença será a habilidade daquele que estiver no controle, fugindo do tão odiado modelo pay-to-win.

Ainda assim, por enquanto seguirei um tanto cético em relação ao UFL, mas torcendo para ser surpreendido quando maiores informações forem divulgadas e principalmente, quando puder finalmente disputar algumas partidas nele.

Fonte: GamesRadar+

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários