Meio Bit » Games » Reembolso no Steam: benção ou maldição?

Reembolso no Steam: benção ou maldição?

Estúdio indie decide encerrar atividades após jogo ser massivamente devolvido no Steam e levanta a questão sobre mudanças no sistema de reembolso da loja

30/08/2021 às 10:19

Todos que gostam de jogos já se arrependeram de alguma compra. Seja porque o título não entregava aquilo que esperava, seja porque não rodou corretamente no seu computador ou até mesmo por a experiência oferecida não o agradou. Foi para isso que o Steam criou um excelente sistema de reembolso e embora ele tenha sido de grande ajuda para os consumidores, infelizmente tem prejudicado alguns desenvolvedores.

Summer of 58 e o sistema de reembolso do steam

Crédito: Divulgação/Emika Games

Para quem nunca pediu a devolução do dinheiro na loja da Valve, ela funciona de maneira muito simples, sem que a pessoa precise dar muitas satisfações sobre o motivo para estar fazendo a solicitação e com o valor sendo estornado em até uma semana (quase sempre levando apenas um ou dois dias). As únicas exigências feitas pelo Steam para que o reembolso aconteça é que o título tenha sido adquirido há no máximo 14 dias e que ele não tenha sido jogado por mais de duas horas.

Este tempo é suficiente para que o interessado tenha uma boa noção do que o jogo poderá lhe entregar, mas recentemente estas regras acabaram se tornando um grande problema para um pequeno estúdio chamado Emika Games. Após ter conquistado alguns admiradores com os jogos de terror Locked Up e Find Yourself, em julho passado foi a vez do lançamento de outro título do gênero, o Summer of '58.

Contando com mais de 500 avaliações na loja, sendo que 90% delas são positivas, o thriller psicológico criado por Alexander Reshetnikov e que está sendo vendido por apenas R$ 14,31 tinha tudo para ser um sucesso, com o desenvolvedor comemorando as vendas e a boa recepção por parte do público. Porém, como a sua campanha pode ser concluída em cerca de uma hora e meia, o que o estúdio registrou foi uma chuva de pedidos de reembolso, com as pessoas jogando-o até o final e pedindo que o Steam devolvesse o valor da compra.

Bastante desanimado com o ocorrido, o responsável pela Emika Games usou o Twitter para lamentar a situação e anunciar que estava jogando a toalha:

Amigos! Obrigado pelo apoio de vocês! Estou deixando o desenvolvimento de jogos por um tempo indefinido para organizar meus pensamentos. O fato é que o meu jogo Summer of ’58 não alcança as duas horas de tempo de jogo para os padrões do Steam, neste sentido, [houve] um grande número de devoluções mesmo com as avaliações positivas e eu não recebi nada ao criar um novo jogo.

Muito obrigado por terem me apoiado. Fico muito feliz que tenham gostado dos meus jogos, mas como não tenho condições de fazer algo novo, terei que fazer outra coisa. Responderei imediatamente todos que perguntarem sobre o From Day to Day: este jogo não verá a luz do dia num futuro próximo. Até logo.

A primeira reação de algumas pessoas foi jogar a culpa na desenvolvedora, afirmando que a duração do jogo é muito curta e que o seu criador sabia que estava correndo esse risco ao não estender um pouco o tempo que passaríamos na campanha. Eu não vejo o menor sentido nisso, até pelo fato de que não considero justo querermos ditar como uma obra deve ou não ser feita.

Isso então nos leva ao outro lado do problema, que é o próprio sistema de reembolso do Steam, mas também os consumidores. No caso do primeiro, já passou da hora do serviço rever essas regras, especialmente quando se trata de jogos indies e/ou de curta duração. Talvez eles pudessem implementar algum gatilho que impedisse a devolução no caso de o jogo ter sido terminado, mas principalmente, será que é preciso mais de uma hora para esta avaliação?

Já em relação àqueles que tem se valido desta brecha para jogar qualquer coisa gratuitamente, infelizmente é algo bem mais difícil de corrigir. Eu posso entender quem utiliza o reembolso do Steam como uma espécie de demo, comprando um jogo apenas com a intenção de testá-lo e se o título não for do seu agrado, pedindo a devolução sem cerimônia. Contudo, como concordar com alguém que experimentou tudo o que um jogo tinha a oferecer, independentemente do tempo que levou para fazer isso e ainda assim se achar no direito de pedir seu dinheiro de volta?

Esta não foi a primeira vez que um estúdio indie criticou o sistema de reembolso do Steam. Em abril foi a vez dos criadores do Before Your Eyes reclamarem das muitas devoluções que estavam acontecendo, justamente por o título também poder ser terminado em menos de duas horas. Outra semelhança está nos muitos elogios feitos a ele, com boa parte das pessoas defendendo que um título não precisa durar muito para entregar uma experiência marcante.

Em ambos os casos a desculpa dos que recorreram a artimanha seria de que se a loja permite o cancelamento da compra, não há nada de errado em fazer isso, mas lá na página do sistema existe uma parte dedicada ao abuso, onde podemos ler o seguinte:

O sistema de reembolsos foi feito para remover o risco de compra no Steam — não como uma forma de jogar gratuitamente. Caso aparente estar abusando dos reembolsos, poderemos revogar nossa oferta para você. Não consideramos abuso solicitar um reembolso para um título que tenha sido comprado logo antes de uma promoção e em seguida comprá-lo novamente pelo valor promocional.

Portanto, esta é uma culpa que deveria ser dividida entre o Steam e aqueles que se aproveitaram do reembolso, mesmo que essas pessoas talvez nem tenham a clara noção de como suas ações poderiam afetar o desenvolvedor. Reshetnikov até admitiu que a repercussão do caso alavancou as vendas do seu jogo e mesmo com o ato dos jogadores não tendo sido uma atitude ilegal, não quer dizer que não tenha sido, no mínimo, imoral.

relacionados


Comentários