Meio Bit » Games » Fã cria single-player para o Wolfenstein: Enemy Territory

Fã cria single-player para o Wolfenstein: Enemy Territory

Quase 20 anos após o jogo ter sido lançado, modder realiza o sonho dos fãs e disponibiliza uma campanha single-player para o Wolfenstein: Enemy Territory

22/11/2021 às 10:14

Eu nunca cansarei de elogiar o trabalho daqueles que se dedicam a criar modificação para games. Além de aumentar consideravelmente a vida útil de muitos títulos, essas pessoas ainda nos permitem experimentar partes que por um motivo ou outro foram removidas dos jogos, como é o caso de uma campanha single-player que, de forma não-oficial, acaba de chegar ao Wolfenstein: Enemy Territory.

Wolfenstein: Enemy Territory

Crédito: Divulgação/Splash damage

Idealizado como uma expansão para o excelente Return To Castle Wolfenstein, conforme o desenvolvimento do Wolfenstein: Enemy Territory prosseguia a Activision decidiu que seria melhor lançá-lo como um jogo independente, mas outras duas importantes alterações ainda seria feita naquele projeto.

Após a Splash Damage enviar um protótipo do single-player para a editora em que era possível jogar por uma fase, executivos da editora ordenaram que a equipe deixasse aquilo de lado e focasse no multiplayer. Além disso, quando o título finalmente foi lançado, em 2003, ele foi disponibilizado gratuitamente, o que ajudou a torná-lo um grande sucesso.

Mas além do “preço”, o que fez com que o Wolfenstein: Enemy Territory ganhasse muitos admiradores foram algumas novidades implementadas nele. Entre elas estava um embrião dos battle royales, modo no qual o último sobrevivente venceria, além da adoção de elementos de RPGs em sua estrutura. Permitindo que o personagem controlado pelo jogador ganhasse experiência durante as partidas, o jogo influenciou muitos FPSs e esta mecânica permanece sendo usada, mesmo tanto tempo depois.

Curiosamente, mesmo com todos os problemas enfrentados durante a criação daquele jogo, aqueles que trabalharam nele guardam uma boa lembrança do projeto, além de reconhecer a sua importância para o futuro do estúdio. Quem falou sobre isso foi Ed Stern, roteirista da desenvolvedora:

Eu não seio o que a Splash Damage teria se tornado se a id e a Activision não tivessem decidido lançar o Enemy Territory como um gesto de boa vontade gratuito. Ele era um jogo realmente bom, mas foi apenas um colossal golpe de sorte. Não existia nada como ele na época.

De qualquer forma, os fãs do jogo sempre se perguntaram como teria sido aquela campanha single-player e mesmo sem que maiores detalhes sobre ela tenham sido revelados, William Faure decidiu encarar a tarefa de criar essa experiência. E para fazer isso, ele teve uma sacada muito interessante.

Aproveitando os mapas existentes para o multiplayer do jogo, ele criou 16 estágios em que teremos diversos objetivos a serem cumpridos, com algumas missões seguindo um estilo que lembra o do GoldenEye 007. O modder implementou até mesmo conquistas, com 25 delas podendo ser desbloqueadas e para deixar a imersão maior, a campanha ainda conta com personagens dublados.

Com o modo solo já disponível, a previsão é de que em 30 de novembro seja lançada uma versão que nos permitirá encarar a campanha com a ajuda de um amigo, o que promete deixar a experi6encia ainda mais divertida.

Caso tenha ficado interessado em jogar esta campanha single-player, você precisará do RealRTCW, outra modificação que moderniza consideravelmente o Return to Castle Wolfenstein, trazendo, por exemplo, texturas em alta resolução, efeitos climáticos e um novo sistema de inventario. Depois que tiver instalado ela, basta visitar a página do mod na Oficina do Steam e clicar em Inscrever-se.

Por ter sido lançado há duas décadas, visualmente um jogo como este pode não ser muito atraente hoje em dia e certamente o trabalho feito por William Faure ficou bem diferente daquele imaginado pelo pessoal da Splash Damage. Mesmo assim, é sempre muito legal ver o esforço dos fãs para resgatar aquilo que um estúdio não conseguiu entregar, tornando real o que poderia se perder com o tempo.

Contudo, mesmo correndo o risco de ser o chato que reclama de barriga cheia, acho que seria legal se esta campanha tivesse sido criada em uma engine mais moderna, permitindo gráficos mais bonitos. No entanto, eu entendo que ao optar por usar o RealRTCW, o apelo à nostalgia acaba sendo muito maior e para quem passou muitas horas no Wolfenstein: Enemy Territory, encarar essa modificação será chegar muito perto de realizar um sonho.

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários