Meio Bit » Games » Confirmado: o Xbox One foi um fiasco (no Japão)

Confirmado: o Xbox One foi um fiasco (no Japão)

Revista Famitsu revela que o Xbox One vendeu menos de 115 mil unidades no Japão, número que inclusive já foi ultrapassado pelo Xbox Series S|X

11 semanas atrás

A antipatia dos japoneses pelos consoles da família Xbox é algo notório e que pode ser explicada pela aversão do público de lá por qualquer coisa produzida fora do país. Romper essa barreira não é uma tarefa fácil e por mais que a Microsoft tenha se esforçado para mudar esse cenário, com o Xbox One a empresa descobriu que ainda teria um longo caminho pela frente.

Xbox one

Crédito: Reprodução/Toru Yamanaka/AFP

Quem mostrou como se desenrolou a história da Gigante de Redmond no arquipélago nas última duas décadas foi a conceituada revista Famitsu. Ao publicar um artigo celebrando os 20 anos da chegada do primeiro console da empresa por lá, o periódico revelou que no total apenas 2,3 milhões de Xbox foram vendidos no Japão, detalhando os números de vendas de cada aparelho com a seguinte lista:

  • Xbox – 472.992
  • Xbox 360 – 1.616.128
  • Xbox One – 114.831
  • Xbox Series X/S – 142.024

Há alguns detalhes que considero interessantes nessa lista, começando pelo relativo ótimo desempenho do Xbox 360 no Japão. Comparado com o seu antecessor, estamos falando de uma venda quase quatro vezes superior, o que poderia ser o indicativo de que a marca havia encontrado seu caminho.

Porém, a maneira como os japoneses ignoraram o Xbox One é algo que provavelmente acendeu um sinal de alerta nos escritórios da Microsoft. Talvez o público de lá tenha odiado a maneira como esse videogame foi apresentado, talvez a sua inicial exigência do Kinect não tenha sido bem-vista e talvez os jogadores simplesmente não tenham aprovado a biblioteca do console. Difícil saber ao certo, mas é possível também que tudo isso tenha contribuído para o insucesso comercial naquele país.

Algo que demonstra o quão fraco foi o desempenho do Xbox One no Japão é o número atual do seu sucessor. Segundo a matéria, o Xbox Series S|X já teria vendido 27 mil unidades a mais do que o aparelho da oitava geração, sendo que o atual videogame chegou às lojas há apenas pouco mais de um ano.

Crédito: Reprodução/InspiredImages/Pixabay

Ainda assim, é muito cedo para dizermos que a marca caiu nas graças dos consumidores japoneses, com a distância para o número de vendas do Xbox 360 ainda sendo muito grande e possivelmente não podendo ser alcançada. Digo isso porque com aquele console a Microsoft apostou pesado na criação de títulos exclusivos, com jogos como Blue Dragon, Lost Odyssey e Infinite Undiscovery certamente tendo lhes ajudado a vender algumas centenas de videogames.

E por falar em jogos, a revista também revelou os cinco títulos que registraram os melhores desempenhos no Japão. São eles:

  1. Dead or Alive 3 (Xbox) – 271.149
  2. Star Ocean 4: The Last Hope (Xbox 360) – 208.521
  3. Tales of Vesperia (Xbox 360) – 204.305
  4. Blue Dragon (Xbox 360) – 203.740
  5. The Last Remnant (Xbox 360) – 154.493

Dentre eles, o mais impressionante certamente é o Dead or Alive 3, afinal 46% de todos que possuíam o primeiro Xbox acabaram comprando o jogo de luta da Tecmo e que foi exclusivo para a plataforma.

Mas seria possível a Microsoft reverter essa situação? Para algumas pessoas, a única maneira deles conseguirem uma fatia maior daquele mercado seria adquirindo uma grande desenvolvedora/editora japonesa, algo como a Sega, Capcom ou Square Enix. Em 2019 Phil Spencer chegou a declarar o interesse da sua empresa em tapar “um buraco” que eles tinham na Ásia, mas para o ex-editor da revista Edge, Nathan Brown, esta é uma possibilidade que parece pequena, dada a resistência dos japoneses a serem adquiridos por empresas de outros países.

Já para o Dr. Serkan Toto, CEO da empresa de consultoria Kantan Games, aquisições hostis são muito raras no Japão e “uma entidade estrangeira assumindo um estúdio de capital aberto contra sua própria vontade seria uma missão suicida: todos [os funcionários] sairiam instantaneamente.” O analista então brincou, dizendo que apostaria sua casa que isso não vai acontecer.

Crédito: Reprodução/Anthony/Pexels

Isso quer dizer que uma grande aquisição por parte da Microsoft está descartada? Não necessariamente, até porque depois deles partirem para cima da Activision Blizzard, tudo é possível. Nós também não podemos dizer que, por ter vendido pouco no Japão o Xbox One pode ser considerado um videogame ruim.

Além de contar com mais poder de processamento que o seu concorrente direto (considerando o Xbox One X), o ecossistema fornecido pela Microsoft é fantástico, com uma assinatura do Game Pass servindo como um grande diferencial — principalmente para quem estiver chegando ao console agora e/ou não tiver muitos jogos na sua coleção.

O que não consigo entender é como esse videogame teve uma base instalada tão relativamente tão modesta. Segundo o site VGChartz, apenas pouco mais de 50 milhões de unidades do Xbox One foram vendidas, número bem inferior aos 85 milhões do seu antecessor e menos da metade dos 116 milhões do PlayStation 4. Na minha opinião, aquele o videogame merecia uma melhor sorte.

Fonte: Video Games Chronicle

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários