Meio Bit » Games » O hacker que tem infernizado jogadores de Elden Ring

O hacker que tem infernizado jogadores de Elden Ring

Definindo-se como "um mal necessário", trapaceiro espera que a FromSoftware veja o que ele está fazendo e melhore o multiplayer do Elden Ring

11 semanas atrás

A série Souls sempre foi conhecida pelo seu elevado nível de dificuldade e embora o Elden Ring não seja um dos seus capítulos, ele herdou essa característica dos jogos da FromSoftware. Relatos de pessoas sofrendo para avançar pelo vasto mundo do mais recente jogo da empresa são muitos, mas algumas delas estão tendo que lidar com um problema ainda maior, um inimigo praticamente invencível.

Elden Ring

Crédito: Divulgação/FromSoftware

Tendo iniciado sua onda de terror no Dark Souls 3 e depois atormentado alguns jogadores no Dark Souls Remastered, Malcom Reynolds se tornou conhecido entre a comunidade pelas supostas consequências das suas invasões. Isso porque além do seu personagem ser absurdamente poderoso, sucumbir aos seus ataques faria com que a vítima sofra um softban, passando a ser obrigado a jogar apenas com trapaceiros.

Valendo-se de uma brecha no sistema de anti-cheat implementado pela desenvolvedora, o sujeito consegue utilizar uma magia fortíssima capaz de incinerar outros jogadores em segundos. Encarar alguém assim já seria motivo para irritar qualquer pessoa, mas segundo relatos, o raio ainda adicionará um item chamado “pavel” ao inventário do derrotado e ao voltar para o jogo, a pessoa sofrerá o banimento.

Isso acontece por se tratar de um item que só estava presente na versão de testes do Elden Ring, logo, apesar dele se encontrar no código, não deveria ser utilizado. Para o sistema anti-trapaça a situação passa a ser interpretada como se o jogador estivesse roubando e a punição acontece imediatamente.

No vídeo abaixo é possível ver o hacker usando sua técnica e para o desespero daqueles que forem invadidos, só existe duas maneiras de evitar o problema: cometer suicídio ou se desconectar dos servidores do jogo.

Mas apesar da música animada e das risadas de Reynolds na demonstração acima, ele afirma existir uma boa intenção por trás de seus ataques. Provavelmente se achando uma espécie de “Coringa do mundo dos games”, ele explicou ao Kotaku que tem apenas tentado alertar a FromSoftware e a sua editora sobre as falhas de segurança nos jogos que eles tem criado.

Eu sou um mal necessário. Você pode estar se perguntando se ser pego é parte do plano e sim, é. Se eu fizer isso, o jogo vai morrer? Acho que não, mas talvez a Bandai conserte isso. Está na hora de agir.

Particularmente não engulo essa justificativa e sigo por aqui pensando que, na verdade, o invasor está apenas se divertindo ao poder bancar o superpoderoso. Mas independentemente das minhas convicções, há quem defenda que toda essa história de levar as pessoas ao banimento não passa de uma lenda que se criou em torno de Malcom Reynolds.

Em uma entrevista concedida ao site Rock, Paper, Shotgun em 2018, ele foi questionado sobre o assunto e admitiu que as coisas não funcionam da maneira como muitos pensam.

Eu faço [o softbanning], mas não da maneira como as pessoas dizem que faço. Existem apenas algumas pequenas formas de realmente sinalizar o save de uma pessoa [ao banimento] e não é apenas as golpeando ou entrando em seus mundos.

Mas sim, o softbanning definitivamente é uma coisa real. Só não é tão simples quanto as pessoas fazem parecer... As pessoas que jogam o Dark Souls sabem tão pouco sobre o jogo que elas jogam, mas é tão fácil espalhar um rumor. Eu nunca reivindiquei ter levado alguém ao softban, as pessoas é que fizeram isso por mim.

Afirmando que Malcom Reynolds não é uma inspiração no personagem da série Firefly, mas sim seu verdadeiro nome, o hacker fez parecer ter sido uma coincidência a quantidade de caracteres servir explorar para um bug no primeiro Dark Souls. Segundo ele, sempre que deixava uma mensagem para outros jogadores seus jogos poderiam travar apenas por causa disso, o que nos leva a questionar a veracidade de tudo relacionado a ele.

Crédito: Divulgação/FromSoftware

De qualquer forma, assim como acontece com qualquer jogo com porções multiplayer, para acabar com os trapaceiros no Elden Ring a FromSoftware deverá ter pela frente um caminho até mais difícil do que aquele que ela mesma impõe em seus jogos.

Por enquanto, alguns juram ter derrotado um desses hackers, tal como um usuário do Reddit que disse ter obtido quase 23 milhões de runas após matar um invasor. Novamente, é difícil saber se a história é verdadeira, mas a imagem publicada pela pessoa deixou muita gente morrendo de inveja.

Além disso, a desenvolvedora ainda precisará lidar com o problema do balanceamento, consertando falhas que estão prejudicando bastante a experiência nas partidas PvP. A mais grave delas parece estar relacionada aos itens Exlipse Shotel e Fire's Deadly Sin. Quando utilizados em conjunto eles fazem com que o personagem se torne muito difícil de ser derrotado, bastando nos aproximar dos outros para que o adversário seja contaminado com um efeito que invariavelmente o levará à morte.

Para piorar, como o Death Flare dispara uma animação em que a vítima é empalada por espinhos, isso faz com que ela fique vulnerável e se o atacante souber o que está fazendo, ele poderá nos submeter a uma infinita sequência de golpes pelas costas que só poderá ser interrompida ao sairmos do jogo. No vídeo abaixo é possível ver o problema e a sorte do jogador que o publicou é que outra pessoa apareceu e chamou a atenção da dupla que o "prendeu".

Portanto, quando você estiver bravo com um chefe que segue te derrotando ou pensando em abandonar o Elden Ring, lembre-se que há coisas que podem ser muito piores nas temidas Terras Intermédias.

Fonte: NME

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários