Meio Bit » Internet » Meta recolherá 47,5% em comissões sobre vendas no Metaverso

Meta recolherá 47,5% em comissões sobre vendas no Metaverso

Criadores terão que pagar ao Meta comissão de 30% da Oculus Store, e mais 25% sobre o restante para vender itens no Horizon Worlds

14/04/2022 às 10:30

O Meta anunciou seus planos de monetização para o Horizon Worlds, a plataforma que permitirá seus usuários criarem mundos e experiências no Metaverso da companhia, que poderão ser comparlhados com outras pessoas, e também vender itens e conteúdos, incluindo NFTs no futuro.

No entanto, o anúncio vem deixando os criadores furiosos, no que o Meta propôs uma comissão de quase metade da receita bruta repassada ao ex-Facebook, na forma de duas taxas distintas. É uma porcentagem bem maior do que os 30% padrão que Apple e Google retiram de apps, jogos e serviços em suas plataformas, que o CEO Mark Zuckerberg classificou no passado como "um obstáculo à inovação".

Zuck passou anos criticando a "taxa absurda" de Apple e Google sobre apps. Enfim, a hipocrisia (Crédito: Reprodução/Meta)

Zuck passou anos criticando a "taxa absurda" de Apple e Google sobre apps. Enfim, a hipocrisia (Crédito: Reprodução/Meta)

Basicamente, o Horizon Worlds é um ambiente em 3D com avatares personalizados, que se difere das experiências separadas Horizon Venues, esta reservada para shows, e Horizon Workspace, para ambientes de trabalho virtuais (home office/teleconferência). Todos foram lançados em dezembro de 2021 exclusivamente para o Oculus Meta Quest 2, o óculos de RA do Meta, mas em breve, a empresa espera liberar o Worlds para dispositivos móveis, consoles de videogame e desktop.

O foco do Worlds está em permitir um uso mais livre da plataforma virtual, e é totalmente centrado em experiências criadas pelos próprios usuários, que poderão ser de entretenimento e/ou educacionais, basicamente uma App Store em RA no ecossistema do Meta, interligando Facebook, Instagram e cia. Com o Meta Quest 2 tendo vendido 10 milhões de unidades, é seguro dizer que a base instalada para explorar existe, ainda que o número de usuários ativos do Worlds e do Venues somados tenham sido apenas 300 mil, segundo dados de fevereiro de 2022.

De qualquer forma, o Worlds é uma experiência voltada para entretenimento colaborativo, e pensado como uma evolução de uma loja de apps, como a Apple App Store e a Google Play Store, com aplicações do Meta e outras providas por desenvolvedores independentes, outras empresas ou mesmo pelos usuários, e claro, se há dinheiro envolvido, há uma comissão a ser recolhida pela provedora da plataforma. E foi aqui que o caldo entornou.

Na última quarta-feira (13), um porta-voz do Meta esclareceu alguns pontos sobre o sistema de monetização do Horizon Worlds ao canal CNBC, revelando que a companhia fará duas cobranças em cascata. A primeira, de 30%, será referente a uma "comissão de plataforma em hardware", no momento, recolhida pela Oculus Store do Meta Quest 2; a seguir, o Meta imporá uma segunda comissão, de 25% sobre o valor restante após a cobrança dos 30%, esta referente ao uso do Horizon Worlds.

Unindo ambas comissões, o Meta ficará com 47,5% de quaisquer conteúdos criados por usuários ou desenvolvedores dentro do Horizon Worlds, ao menos referente ao consumo dos mesmos através do Meta Quest 2; em outras plataformas a porcentagem final pode variar, dependendo do valor determinado da primeira taxa, se maior ou menor que os 30% padrão praticados pela Oculus Store.

Claro que a decisão do Meta em garfar quase metade da receita bruta desagradou todo mundo, e por uma série de motivos. O primeiro e mais óbvio, está no fato de que Mark Zuckerberg passou anos criticando a taxa de 30% recolhida por Apple e Google sobre apps e jogos em suas plataformas. Em agosto de 2020, durante uma conferência interna, o CEO disse que as políticas da maçã eram "monopolistas e prejudiciais" aos consumidores, e que "impediam a inovação e a competição".

Em junho de 2021, Zuck disse em uma postagem que anunciariam uma taxa menor do que a praticada por Apple e Google, o que ele reforçou em novembro, ao afirmar que a comissão de 30% recolhida por Cupertino e Mountain View "inviabilizava oportunidades para que criadores lucrassem com seu trabalho".

A rusga maior de Mark Zuckerberg, é, sem dúvida, com a Apple. Quando a nova política de privacidade do iOS 14.5 foi anunciada, o Meta entrou de estado de pânico com a possibilidade de que o usuário poderia bloquear, de forma ativa, a coleta e compartilhamento de dados de rastreio entre apps, ao ponto de apelar para o FUD ao sugerir que com a medida, o Facebook e o Instagram deixariam de ser gratuitos.

Claro, não deu em nada. A adesão dos usuários foi massiva, ao ponto de causar evasão de usuários e uma redução severa no seu valor de mercado, o que levou Zuckerberg a passar o último ano tecendo várias críticas ao sistema de comissão tanto da Apple, quanto do Google, que está prestes a implementar um recurso de bloqueio de coleta de rastreio no Android.

Porém, ao instituir duas comissões em cascata sobre experiências criadas por terceiros para o Horizon Worlds, que reverterão quase 50% da receita bruta de apps, jogos e serviços ao Meta, Zuck apresentou um comportamento absolutamente hipócrita, ao criticar os concorrentes dizendo que a cobrança de 30% "prejudica os consumidores", enquanto enfia a faca ainda mais fundo em seus usuários no Metaverso.

A ideia de Mark Zuckerberg em cobrar quase 50% de comissão no Metaverso pode não dar muito certo (Crédito: Andrew Harrer/Bloomberg/Getty Images)

A ideia de Mark Zuckerberg em cobrar quase 50% de comissão no Metaverso pode não dar muito certo (Crédito: Andrew Harrer/Bloomberg/Getty Images)

A comunidade de criadores de NFTs, acostumados com taxas abaixo de 10% em plataformas como o OpenSea (desconsideremos os problemas inerentes ao formato, o qual já discutimos), estão absolutamente possessos com o anúncio do Meta, o que pode se reverter com estes, e outros criadores, se recusarem a vender seus produtos e serviços dentro do Horizon Worlds.

Por enquanto, o Meta se recusa a rever sua atual posição. Em entrevista ao site The Verge, o VP do Horizon Vivek Sharma disse que a comissão de 25% sobre vendas no Horizon Worlds são uma taxa "competitiva", e que "outras plataformas encontrarão seu espaço"; o que ele não menciona, entretanto, são os 30% que a Oculus Store, e outras lojas no futuro, recolherão antes que a comissão do Metaverso seja descontada.

Fonte: CNBC, The Verge

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários