Meio Bit » Mobile » Japão: em breve, chefões da Yakuza ficarão sem celulares

Japão: em breve, chefões da Yakuza ficarão sem celulares

Com operadoras do Japão prestes a desligar o 3G, membros sêniores da Yakuza não mais poderão usar celulares, pois são proibidos de contratar planos

08/06/2022 às 10:12

O Japão tem uma longa e convoluta história com a Yakuza, os diversos sindicatos do crime locais, equivalentes nipônicos às "famílias" da Máfia. Assim como os grupos ocidentais, eles lucram geralmente com contrabando, extorsão, lavagem de dinheiro... o de sempre.

Assim como na Máfia, há toda uma hierarquia onde quanto mais próximo da liderança de um grupo, mais um membro conseguirá acumular riqueza e gozar de tudo do bom e do melhor, ou quase tudo: no Japão, operadoras são proibidas desde 2011 a vender planos móveis a membros da Yakuza, o que deixou os mais velhos presos, incluindo os chefões, no 3G... que está prestes a ser desligado em todo o país.

Em Yakuza 6: The Song of Life, Kiryu tinha um Sony Xperia XZ; por "em tese" ser um ex-Yakuza, ele poderia usar 4G (Crédito: Reprodução/Ryu Ga Gotoku Studio/SEGA)

Em Yakuza 6: The Song of Life, Kiryu tinha um Sony Xperia XZ; por "em tese" ser um ex-Yakuza, ele poderia usar 4G (Crédito: Reprodução/Ryu Ga Gotoku Studio/SEGA)

Este "causo" é um bom exemplo de que a burocracia estatal também pode render benefícios à sociedade. Por muito tempo, os japoneses permaneceram apegados ao conceito dos "feature phones", os antigos e confiáveis celulares flip com teclado físico, que mesmo com o avanço do iPhone e dispositivos Android, continuaram vendendo muito no Japão, por anos.

A Apple só conseguiu virar o jogo e assumir a liderança do mercado mobile japonês em 2014, e apenas em 2016, as vendas de celulares flip começaram a cair, mas eles ainda não sumiram por completo. Fabricantes locais, como a Kyocera, ainda produzem novos modelos, alguns com lançamento fora do Japão, embora voltados a um público mais restrito.

Ao mesmo tempo, o Japão valoriza e muito os idosos, e o mercado entende que muitos das gerações passadas preferem manter o uso de produtos legados, daí continuarem produzindo coisas como fitas VHS (a fabricação de videocassetes só foi encerrada em 2016), e celulares flip, preferido pelos mais velhos por uma série de razões.

Você até pode pensar que este é o motivo de que chefões da Yakuza, em que quase todos passaram dos 50 anos, são vistos em público manuseando celulares flip, mas esta não é uma questão de saudosismo ou preferência, e sim de falta de recurso.

Em 2011, as prefeituras do Japão promulgaram uma série de novas leis, conhecidas como "Decretos de Exclusão do Crime Organizado", que proíbem companhias de fazerem negócios com membros e instituições ligadas à Yakuza, ou a outros grupos criminosos. Sem exceções.

Focando no mercado de telefonia móvel, operadoras são proibidas de venderem novos planos de telefonia a mafiosos, e lojas e fabricantes também não podem vender celulares, tablets e outros gadgets de forma direta. A rede varejista também não pode vender nada.

Cartões SIM (Crédito: PublicDomainPictures/Pixabay)

Cartões SIM (Crédito: PublicDomainPictures/Pixabay)

No caso dos celulares, é perfeitamente possível adquirir um aparelho de segunda mão no mercado cinza, mas quando o negócio é o chip SIM, a coisa muda totalmente de figura. Assim como no Brasil, todos os planos, sejam pós ou pré-pagos, devem ser ativados junto às operadoras mediante cadastro, e o usuário é obrigado a garantir que não é um Yakuza.

O motivo é simples: caso uma operadora finja que não viu nada, e venda um plano para um mafioso, se este for pego, a empresa será responsabilizada também. Como resultado, membros da Yakuza de antes das leis entrarem em vigor, estão presos com seus planos anteriores a isso, todos apenas 3G. Os mais novos até possuem 4G, que contrataram antes de entrarem para o crime.

Seria até possível para os líderes mentirem na declaração, mas estes já são constantemente vigiados pelas autoridades, que aguardam o menor deslize para prendê-los. Isso não impediu que casos de yakuzas pegos no ato. Em 2017, o líder do Kobe Yamagushi-Gumi, Kunio Inoue, foi preso por fraude com uma cúmplice, no que o casal tentou enrolar o sistema para comprar um celular novo, provavelmente com a mulher como "laranja".

Embora a punição para os dois não tenha sido alta, o caso rendeu um mandado de busca à polícia da prefeitura de Hyogo, na região de Kansai, que pôde entrar no escritório da organização e investigar outros membros.

Agora a cereja do bolo: as operadoras SoftBank e DoCoMo anunciaram planos para desligar o 3G em todo o país, respectivamente em janeiro de 2024 e março de 2026. A KDDI (Au), por sua vez, já puxou a tomada, em março de 2022.

É muito mais fácil ver um "chimpira", o equivalente ao "homem feito" da Máfia (o membro mais baixo da hierarquia, o soldado), usando um smartphone moderno, já os chefões continuarão com seus celulares flip e planos 3G contratados antes de 2011. E em breve, eles ficarão sem opções de telefonia móvel, pois dificilmente arriscarão ir para a cadeia devido a um gadget.

Fonte: SoraNews24

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários