Meio Bit » Internet » Perfis (roubados) do Facebook à venda

Perfis (roubados) do Facebook à venda

Comércio de perfis roubados/falsos no Facebook é tendência, mas esbarra na fidúcia e integridade da rede social.

11 anos atrás

Sucesso, em qualquer área, traz benefícios e problemas. O Facebook, como maior rede social do mundo, enfrenta alguns, desde preocupações de usuários e órgãos governamentais no que concerne à privacidade dos membros, até a venda de perfis roubados. Esse último problema foi apontado pela iDefense, uma divisão da VeriSign Inc.

De acordo com os pesquisadores da iDefense, existe hoje um mercado negro para a comercialização de perfis roubados no Facebook. Eles varreram alguns locais onde esse tipo de informação é vendida durante o mês de fevereiro, e detectaram, naquele período, 1,5 milhão de perfis sendo vendidos por aí.

Um dos crackers que realiza esse tipo de comércio, identificado como "kirllos", vende lotes de 1000 perfis, cada um com menos de 10 amigos, por míseros US$ 25. Se os perfis possuem mais de 10 amigos, o preço sobre para US$ 45. Os roubos de perfis seguem aquela velha e batida fórmula, o phishing. Com a quantidade enorme de apps, joguinhos, "qual famoso você é?", e por aí vai, não é muito difícil.

Facebook: cuide bem das suas credenciais.

Facebook: cuide bem das suas credenciais. (Foto por Franco Bouly)

Pelo menos em tese, já que o próprio Facebook, rebatendo as descobertas da iDefense, diz que a coisa não é tão feita quanto parece. kjirllos, o comerciante de perfis do Facebook, é, segundo Barry Schnittm porta-voz do Facebook, um falsário (nos dois sentidos). Schnitt disse, à reportagem do The New York Times, que esse e outros "comerciantes" blefam bastante, e que o Facebook, internamente, já tentou comprar perfis do rapaz, sem sucesso. Além disso, é muito comum entre esse tipo de cracker a criação, às vezes automatizada, de milhares de contas-fantasma, simplesmente para vendê-las posteriormente.

As alegações de Schnitt, pelo menos na teoria, são bem plausíveis. O Facebook realmente chama a atenção de crackers, pois existe uma cultura de dizer a verdade, usar nomes reais, conectar-se com pessoas conhecidas ali. Enfim, o Facebook esbanja credibilidade por toda a Internet. Tudo isso é ouro na mão de estelionatários. Porém, o que é bom para eles, ao mesmo tempo mina tentativas mais elaboradas e maciças de apropriação de perfis alheios. A técnica de criação de contas falsas, por exemplo, esbarra nos filtros antispam do Facebook, já que há um comportamento padrão nesses casos: adição de várias pessoas num curto espaço de tempo, e a consequente rejeição da maioria desses pedidos. Denúncias de usuários também são analisadas e úteis na prevenção desse tipo de prática.

O Facebook garante que a situação está num nível aceitável, e prova maior disso é o baixíssimo valor que crackers pedem pelos perfis na rede social. Entretanto, é sempre bom atentar-se para quais apps instalar, onde inserir suas credenciais do Facebook, e por aí vai. Afinal, não seria nada legal deixar seus contatos, amigos, familiares, colegas de trabalho, à mercê das loucuras de um cracker qualquer, não?

Leia mais sobre: , , , .

relacionados


Comentários