Meio Bit » Fotografia » Logitech e o boi de piranha de 100 Milhões de Dólares

Logitech e o boi de piranha de 100 Milhões de Dólares

9 anos atrás

google-tv-4

A boatosfera está de novo ouriçada com a idéia de que a Apple lançará uma TV, e é sintomático que vários blogs batizem o equipamento de Apple TV, sem sequer se tocar que já existe um aparelho com esse nome.

Não que a Apple colabore muito, já que a Apple TV sempre foi tratada com status de Hobby, algo que Steve Jobs gostava mas não era “mágico” o suficiente para ser vendido como produto revolucionário.

Muita gente não percebeu essa posição da Apple e a entendeu como fraqueza. Como resultado o Google resolveu invadir o mercado de TV via Internet, com a Google TV. Só que o buraco era mais embaixo. O espectador normal está longe do geek acostumado a configurações complicadas, o espectador quer sentar, apertar o mínimo de botões e assistir seus programas, sem interação, sem encheção de saco, sem burocracia.

 

A Apple não conseguiu fazer o Apple TV emplacar com uma interface minimalista parecida com o Coverflow e um controle remoto mínimo do Mac. Os fabricantes de Google TVs queriam emplacar com um controle assim:

sony-tv-remote-450

 

Os fabricantes também não se animaram a entregar o controle de suas TVs para o Google, então a plataforma se resumiu a TVs da Sony e ao Logitech Revue. Só que enquanto a Apple TV custava US$99,00 o hardware da Logitech começou a ser vendido por US$300,00, muito acima do aceitável para uma compra por curiosidade.

A questão não é técnica, a Google TV é melhor que a Apple TV em termos de hardware, disponibilidade de conteúdo e “abertura”, a questão é que é o produto errado no tempo errado. Todo mundo já vê televisão, pagar US$300,00 a mais para continuar vendo TV não faz sentido. A experiência, como resenhada pelo Roniuj neste artigo, não é satisfatória.

A Logitech descobriu isso da pior forma, quando teve que baixar o preço do Revue para US$99,00 para que ele começasse a vender.

Também rolou uma sabotagem pesada, pois o Google TV usava web browser para acessar o conteúdo de sites como Hulu, CBS, Fox, etc. Os sites, que não gostaram de alguém chupando seus streamings sem exibir o site completo com a publicidade, meteram a faca e bloquearam nos servidores o acesso via Google TV.

A plataforma ficou tão defasada que os fabricantes de TV a ultrapassaram. A promessa de Apps do Android Market rodando na Google TV, que foi feita para janeiro só foi cumprida no final de Outubro.

Nessa brincadeira entre desenvolvimento, marketing, licenças e venda abaixo do preço de custo a Logitech empacou US$100 milhões, sem muita esperança de recuperar a longo prazo. Só para lembrar, em Agosto as unidades devolvidas superaram as vendidas.

Qual a solução então?

Interface, interface, interface, infelizmente algo que o Google não sabe fazer. A experiência de uso unindo o conteúdo da Internet à facilidade da TV ainda não existe. Steve Jobs antes de morrer disse ter “quebrado o código”, imagina-se que esteja falando disso, mas não há nada concreto e ninguém tem que ficar esperando o Jobs fazer o dever de casa.

A banda já está disponível na maioria dos países relevantes, o Android já está estável o bastante para gerenciar um decoder inteligente, Só falta a Interface. Quem resolver isso, Apple ou não ganhará rios de dinheiro.

Até lá, seja Revue, Apple TV, Boxee ou Roku esse tipo de equipamento continuará restrito a geeks de 5o dan. E se você duvida, visite parentes e amigos e veja quantas TVs FullHD estão ligadas apenas via vídeo composto, pois as pessoas acham complicado demais esse negócio de HDMI…

Fonte: Gigaon

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários