Este é o mais novo modelo da “Enterprise real” que a NASA está desenvolvendo

Emerson Alecrim
Por

Ainda não dá para dizer que se trata de mais um exemplo de ficção científica virando realidade, mas é algo bem próximo disso: a NASA liberou imagens do design que deverá ser empregado na sua Entrerprise. Sim, uma nave do tipo está em desenvolvimento e leva mesmo este nome.

Enterprise - NASA

O projeto teve início em 2012 e vem sendo liderado pelo doutor em física Harold White, que dedica suas pesquisas em formas de impulsionar naves com rapidez próxima à velocidade da luz (algo em torno de 300 mil quilômetros por segundo). Em outras palavras, White e sua equipe trabalham para criar uma tecnologia de “warp drive” ou, em português, “dobra espacial”.

O conceito de warp drive tem como base a Teoria da Relatividade de Albert Einstein. Dela se extrai a noção de que espaço e tempo são relativos e que, portanto, o uso de determinados níveis de massa e energia pode criar uma dobra no espaço que faz com que distâncias possam ser encurtadas.

O trabalho desenvolvido pela equipe de Harold White é condizente com a teoria do físico Miguel Alcubierre que, basicamente, aponta que é possível criar um equipamento de dobra espacial sem violar as leis da física, o que significa que a nave não vai sofrer danos ou mesmo ser destruída durante as viagens.

A lei de Einstein que diz que nada pode se mover mais rápido que a luz também é respeitada: durante as viagens, a nave encurta as distâncias dobrando o espaço em seu entorno, mas do ponto de vista local, o equipamento não supera a velocidade da luz.

O artista gráfico Mark Rademaker se juntou à equipe de Harold White para criar o desenho do que pode vir a ser a Enterprise “real” – por eles chamada de IXS Enterprise. As imagens mostram uma aeronave acoplada ao centro de dois gigantescos anéis que seriam responsáveis por sua propulsão, isto é, pelo efeito de dobra.

Enterprise - NASA

Enterprise - NASA

Enterprise - NASA

O desenho é uma atualização do modelo anterior mostrado abaixo. Segundo White, a nova versão é mais corpulenta, mas possui dimensões gerais menores e corresponde melhor às necessidades físicas de um motor de dobra.

Enterprise anterior

Mais imagens estão disponíveis no Flickr de Mark Rademaker.

Muito empolgante, não? Mas, quando a “Enterprise real” deixará de ser apenas uma promessa? Bom, tudo ainda não passa de teoria, então é difícil dar qualquer estimativa, mas a equipe de Harold White permanece no Centro Espacial Lyndon Johnson, da NASA, trabalhando no projeto.

As expectativas deles são grandes: novos cálculos indicam que é improvável que um mecanismo de dobra espacial possa resultar na aniquilação de estrelas (um “temor” que surgiu há algum tempo) e que a quantidade de energia necessária para as viagens não é tão assustadoramente grande quanto se pensava, por exemplo. Vai demorar muito, mas dá mesmo para acreditar que realmente chegaremos lá.

No vídeo abaixo, o doutor Harold White fornece mais detalhes sobre a pesquisa a partir do 40º minuto:

YouTube video

Com informações: io9, ExtremeTech

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Relacionados

Relacionados