Notícias Telecomunicações

Ficou mais fácil bloquear um celular roubado ou furtado

Consumidores não precisarão mais informar IMEI para inutilizar aparelhos celulares

Paulo Higa
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Você foi orientado nos últimos anos a guardar o IMEI do seu celular para bloqueá-lo em caso de roubo ou furto. O código *#06# já deve estar guardado na sua cabeça. Mas você não precisará mais se preocupar em anotar a longa sequência de números: a Anatel anunciou nesta terça-feira (8) medidas para permitir que os consumidores bloqueiem seus aparelhos fornecendo apenas o número da linha.

Segundo a Anatel, as polícias civis da Bahia, Ceará e Espírito Santo já possuem acesso ao sistema de bloqueio de celulares perdidos, extraviados ou roubados, o Cadastro Nacional de Estações Móveis Impedidas (CEMI). Em breve, as delegacias dos estados de Goiás, Mato Grosso, Rio de Janeiro e São Paulo também poderão utilizar o sistema, que é administrado pela Anatel e pelas operadoras de telefonia móvel.

celular-velho-telefonia-movel-telecom

O consumidor poderá bloquear seu aparelho por duas formas: ligando para a prestadora e informando apenas o número da linha, ou diretamente na delegacia de polícia, quando estiver registrando o boletim de ocorrência. Mais de 6,5 milhões de celulares roubados, furtados ou extraviados já estão registrados no CEMI e não podem mais ser utilizados.

O objetivo da medida é desestimular o roubo de smartphones: como o aparelho ficará inutilizado e não poderá mais ser ativado em nenhuma operadora, o dispositivo perde valor de mercado. Desde dezembro de 2014, o bloqueio vale não apenas para o Brasil, mas para todo o mundo, já que o CEMI foi integrado à base mundial de celulares administrada pela GSMA.

A Anatel também quer inibir o roubo de celulares que ainda não foram vendidos para os consumidores. Lojistas e transportadoras poderão bloquear aparelhos que foram subtraídos em crimes de roubo de carga, por exemplo. No entanto, como esses dispositivos ainda não foram ativados, as empresas ainda deverão fornecer os IMEIs dos celulares.

A orientação da agência é que, antes de adquirir um celular, especialmente no caso de equipamentos de segunda mão, o consumidor verifique se o IMEI do aparelho não está bloqueado por roubo ou furto. Isso poderá ser feito no consultaaparelhoimpedido.com.br.

Paulo Higa

Editor-executivo

Paulo Higa é jornalista, com MBA em Gestão pela FGV e uma década de experiência na cobertura de tecnologia. Trabalha no Tecnoblog desde 2012, viajou para mais de 10 países para acompanhar eventos da indústria e já publicou 400 reviews de celulares, TVs e computadores. É coapresentador do Tecnocast e usa a desculpa de ser maratonista para testar wearables que ainda nem chegaram ao Brasil.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque