Galaxy Note 7 substituído pela Samsung pega fogo dentro de avião

Samsung já convocou recall para trocar unidades perigosas do Galaxy Note 7. Resolvido? Parece que não.

Paulo Higa
Por

As primeiras unidades do Galaxy Note 7 tinham um defeito de fabricação na bateria que causava superaquecimento, aumentando o risco de incêndios e explosões. A Samsung admitiu o erro e convocou um recall para trocar as unidades defeituosas. Tudo resolvido, certo? Parece que não: um Galaxy Note 7 já substituído pela Samsung pegou fogo durante um voo da Southwest Airlines, nos Estados Unidos.

note-7-aviao

O incidente ocorreu nesta quarta-feira (5) no voo 994 da Southwest Airlines, que ia do estado do Kentucky para Maryland. Brian Green, o dono do Galaxy Note 7 que pegou fogo, disse ao The Verge que o aparelho já havia sido trocado pela operadora AT&T no dia 21 de setembro. A unidade trazia os sinais de segurança, como o ícone de bateria na cor verde e o símbolo preto na caixa do aparelho, que indicam que o aparelho (teoricamente) não tinha bateria defeituosa.

Green afirmou que desligou o Galaxy Note 7 com aproximadamente 80% de carga e guardou o aparelho em seu bolso, como solicitado pela tripulação antes da decolagem, até que o smartphone começou a esquentar. Ele jogou o celular no chão da aeronave, e havia uma fumaça saindo do smartphone. Desde que recebeu o Galaxy Note 7 do recall, Green só havia utilizado um carregador wireless para recarregar a bateria.

A Southwest Airlines confirmou que todos os passageiros e tripulantes do voo 994 deixaram a aeronave em segurança e ninguém saiu ferido. O Galaxy Note 7 apenas causou danos ao carpete do Boeing 737. A companhia aérea cancelou o voo e remarcou as viagens dos passageiros. Já a Samsung, em comunicado ao Business Insider, declarou que “não há evidências de que o incidente esteja relacionado ao novo Note 7”. No entanto, o The Verge obteve uma foto da embalagem do Galaxy Note 7 — e ela contém o quadrado preto de segurança, que indica uma unidade de substituição.

note-7-caixa

O Galaxy Note 7 ficou marcado pelos mais de 100 incêndios causados nos Estados Unidos, Coreia do Sul, Taiwan e Austrália. No Brasil, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) emitiu um comunicado sugerindo que “passageiros e tripulantes não liguem nem recarreguem esse modelo dentro de suas aeronaves, até que a substituição dos modelos defeituosos seja realizada pela fabricante”. A agência recomenda que o Galaxy Note 7 seja transportado “somente em bagagem de mão e desligado”.

O smartphone não chegou a ser vendido no Brasil e teve seu lançamento suspenso no país por tempo indeterminado após os relatos de explosões. Originalmente, o Galaxy Note 7 estava programado para começar a ser comercializado no mercado brasileiro no dia 12 de setembro.

Samsung, vá se benzer.

Atualização em 6 de outubro às 12h24. “Até que consigamos recuperar o dispositivo, não podemos confirmar que esse incidente envolve o novo Galaxy Note 7. Neste momento, estamos trabalhando em conjunto com as autoridades e a Southwest Airlines para recuperar o produto e confirmar a causa. Uma vez que examinado o aparelho, teremos mais informações para compartilhar”, diz a Samsung em comunicado.

Relacionados

Relacionados